1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Brasil pode usar experiência alemã para organizar a Copa, diz sociólogo

País pode aprender com os alemães que organização do Mundial é tarefa coletiva, diz o sociólogo Maurício Murad. Ele aponta reforma dos estádios e segurança pública como potenciais áreas para cooperação Brasil-Alemanha.

default

Estádio Olímpico de Berlim: modelo para reformar o Maracanã?

O sociólogo Maurício Murad, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), vê a escolha do Brasil para sediar a Copa 2014 como oportunidadade para o país conquistar uma vitória fora de campo. Em entrevista por e-mail à DW-WORLD, ele diz que o Brasil tem de aproveitar a experiência obtida pela Alemanha na Copa de 2006 para organizar o evento.

DW-WORLD: Foi acertada a decisão da Fifa de escolher o Brasil para sediar a Copa 2104?

Maurício Murad: Sim. O Brasil é o país com maiores vitórias no futebol, dentro de campo. É preciso ter a chance de conquistar vitórias, também, fora de campo. E a Copa será uma rara oportunidade.

Qual é primeiro passo que o país precisa dar após o anúncio?

A primeira coisa é avaliar: 1) a última competição equivalente, a Copa de 2006, na Alemanha; 2) o último grande torneio que o país sediou, o Pan-2007, no Rio de Janeiro, e 3) suas outras pretensões, como as Olimpíadas de 2016 – diga-se que o COI já credenciou o Rio como cidade olímpica candidata. E essas avaliações têm que ser científicas, para ajudar o planejamento, a execução e a gestão do legado.

O Brasil não teve concorrentes para sediar o torneio. Quais são os maiores adversários internos do país, que podem impedir o sucesso da Copa 2014?

Os nossos principais adversários são: a burocracia, a corrupção e, acima de tudo, a impunidade.

O Brasil conseguirá oferecer a infra-estrutura e a segurança pública necessárias para um evento desse porte?

Com vontade política, envolvimento da sociedade e muito trabalho, creio que conseguiremos. É preciso reforçar os planos de segurança, melhorar a iluminação das cidades, aliviar o trânsito, envolver as escolas e os meios de comunicação em campanhas de conscientização. Também é preciso envolver os empresários, para que façam investimentos e criem empregos diretos e indiretos, porque isto terá um enorme impacto social.

O que o Brasil pode aprender da organização da Copa 2006 na Alemanha?

O que o Brasil pode aprender da Alemanha é mostrar que a Copa é uma grande oportunidade e que o futebol é um patrimônio cultural. Mostrar que um evento dessa grandeza é tarefa e trabalho coletivos. Mostrar novos valores e melhores conceitos, para mudar a imagem do país. Acho que esses são alguns aspectos que podemos e devemos aprender com a experiência alemã.

Brasil e Alemanha já fecharam um acordo de cooperação para transferência de know how para a organização do Mundial de 2014. Quais são as áreas em que a Alemanha concretamente pode cooperar com o Brasil?

Dentre outras, podemos destacar: a recuperação e modernização dos estádios, sem ferir a tradição cultural, como foi feito no Estádio Olímpico de Berlim, e o cuidado com a segurança, especialmente nos aspectos de prevenção e inteligência policial. Mapear as áreas problemáticas, controlar e fiscalizar a ação de grupos ligados a práticas de agressividade urbana e controlar a venda e o consumo de bebidas alcoólicas.

Maurício Murad é sociólogo e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e do mestrado da Universo (RJ). A convite da Fundação Konrad Adenauer, ele proferiu palestra em Berlim, durante a Copa 2006 sobre "Futebol e Sociedade Brasileira". Seu livro mais recente é A violência e o futebol: dos estudos clássicos aos dias de hoje , Editora da FGV, RJ, 2007.