Brasil perde para a Holanda por 2 a 1 e está fora da Copa do Mundo | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 02.07.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Brasil perde para a Holanda por 2 a 1 e está fora da Copa do Mundo

Seleção brasileira saiu na frente e dominou o jogo no primeiro tempo. Depois do intervalo, porém, Holanda foi superior e virou o placar. Felipe Melo, que deu o passe para o gol de Robinho, marcou um contra e foi expulso.

default

Kuyt, Sneijder e Robben comemoram a vitória

Acabou a Copa de 2010 para a seleção brasileira. Uma derrota por 2 a 1 para a Holanda, nesta sexta-feira (02/07), em Port Elizabeth, foi que decretou a sentença. Pelo segundo Mundial consecutivo, o Brasil se despediu nas quartas de final. Agora, são quatro anos para planejar a próxima. A vaga do país-sede já está assegurada para 2014.

Começo agitado

Dois dos favoritos ao título. Duas das escolas mais tradicionais do futebol mundial. Duas seleções que chegaram invictas às quartas de final. O mínimo que se poderia esperar de Holanda e Brasil era um grande jogo.

Assim que o árbitro Yuichi Nishimura, do Japão, autorizou o início da partida, começou a emoção. Como os holandeses haviam previsto em declarações durante a semana, o jogo começou aberto, com os dois times procurando o gol.

O Brasil começou mais eficiente. Podia ter aberto o placar aos 7min, quando Daniel Alves recebeu de Luís Fabiano e tocou para Robinho marcar, mas a arbitragem viu – corretamente – o impedimento do lateral de origem, que estava substituindo Elano no meio-campo.

Fußball WM 2010 Südafrika Viertelfinale Niederlande vs Brasilien

Robinho abriu o placar a apenas 9min de jogo

Aos 9min, a torcida pôde comemorar de verdade. Do círculo central, Felipe Melo mostrou visão de jogo e precisão num lançamento perfeito para Robinho. Por trás da zaga, o atacante surgiu livre, em condição legal, e precisou de apenas um toque na saída de Stekelenburg para balançar as redes.

Domínio brasileiro

Em vantagem no placar, o Brasil pôde recuar um pouco, para tentar espaço para os contra-ataques. Mas só um pouco, e com marcação firme, pois sabia da boa capacidade dos atacantes holandeses, inclusive de longa distância. Kuyt chegou a levar perigo com um chute da esquerda, mas Júlio César espalmou para escanteio com segurança.

E o Brasil não abdicava do ataque. Aos 24min, quase chegou ao segundo gol. A defesa laranja afastou mal a bola depois de um escanteio e a bola voltou para Daniel Alves, que cruzou a meia altura – e Juan finalizou por cima do gol. Aos 30min, Kaká bateu colocado da intermediária e obrigou Stekelenburg a fazer uma bela defesa.

Os comandados de Dunga dominavam a partida, mas não conseguiram ampliar o placar até o fim do primeiro tempo. Era notável a irritação dos jogadores holandeses, que não conseguiam criar diante da boa marcação brasileira. Houve algumas disputas ríspidas entre os atletas dos dois times, mas apenas um cartão amarelo para cada lado na etapa inicial.

Segundo tempo laranja

Fußball WM 2010 Südafrika Viertelfinale Niederlande vs Brasilien

Wesley Sneijder, camisa 10, foi o carrasco do Brasil

A Holanda voltou do intervalo mais organizada, conseguindo passar mais tempo no campo de ataque, e chegou rapidamente ao gol de empate. Robben levantou a bola na área, Felipe Melo saltou mal, atrapalhou a saída de Júlio César e ainda desviou a bola que o goleiro poderia ter defendido. Ela morreu no canto direito.

A equipe europeia continuou tendo mais volume de jogo, mas não chegava a dominar a partida. Mesmo assim, era quem estava mais perto do gol. E chegou lá aos 22min. Após cobrança de escanteio da direita, Kuyt desviou de cabeça antes da primeira trave e Sneijder, também de cabeça, completou na pequena área: 2 a 1.

WM 2010 Brasilien Niederlande

Nishimura mostra o cartão vermelho a Felipe Melo

Foi a vez de os jogadores brasileiros perderem o controle emocional. Felipe Melo cometeu falta em Robben e, em seguida, pisou no astro holandês. Cartão vermelho, sem dúvida. O jogo que poderia ter consagrado o volante com o passe do primeiro gol, o transformou um vilão, com um gol contra e uma expulsão.

O Brasil abdicou de qualquer estratégia e partiu para o abafa, no desespero, e chegou a ameaçar o gol de Stekelenburg em alguns escanteios. Obviamente, era enorme o risco de um contra-ataque da Holanda, mas não havia opção. E nem tempo. Assim acabou a Copa da África do Sul para os brasileiros.

HOLANDA 2 X 1 BRASIL

1 Stekelenburg – 2 van der Wiel, 3 Heitinga, 13 Ooijer, 5 van Bronckhorst – 7 Kuyt, 6 van Bommel, 10 Sneijder, 8 de Jong, 11 Robben – 9 van Persie (21 Huntelaar)

Técnico: Bert van Marwijk

1 Júlio César – 2 Maicon, 3 Lucio, 4 Juan, 6 Michel Bastos (16 Gilberto) – 8 Gilberto Silva, 5 Felipe Melo, 13 Daniel Alves, 10 Kaká – 11 Robinho, 9 Luís Fabiano (21 Nilmar)

Técnico: Dunga

Local: Estádio Nelson Mandela Bay, Port Elizabeth

Árbitro: Yuichi Nishimura (Japão)

Gols: Robinho, aos 9min do primeiro tempo / Felipe Melo (contra), aos 7min, Sneijder, aos 22min do segundo tempo

Cartões amarelos: Heitinga, van der Wiel, de Jong, Ooijer (H), Michel Bastos (B)

Cartão vermelho: Felipe Melo (B)

Autor: Tadeu Meniconi

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais