1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Brasil e Alemanha têm adversários modestos

Seleção brasileira pega Austrália, Croácia e Japão. Alemanha enfrenta Costa Rica no jogo de abertura e, depois, Polônia e Equador. Confira os perfis das 32 seleções na seção "Copa 2006" da DW-WORLD.

default

Pelé e Matthäus analisam resultado do sorteio

Brasil e Alemanha pegaram adversários fáceis para a primeira fase da Copa 2006, no sorteio desta sexta-feira (09/12), em Leipzig. Enquanto a seleção brasileira vai enfrentar a Croácia, Austrália e Japão no Grupo F, os alemães pegam a Costa Rica, Polônia e Equador no Grupo A. Os anfitriões fazem o jogo de abertura, em 9 de junho de 2006, em Munique, contra os costa-riquenhos.

O primeiro jogo do Brasil pelo Grupo F será no Estádio Olímpico de Berlim, no dia 13 de junho, contra a Croácia, talvez o mais difícil adversário no grupo. Os croatas classificaram-se invictos pelo Grupo 8 das Eliminatórias da Europa.

Os três grupos considerados mais fortes são o B, C e E. Na avaliação do presidente do Comitê Organizador da Copa, Franz Beckenbauer, os grupos mais difícies são o da Argentina e da Itália, "onde tudo pode acontecer".

Confira a composição dos grupos:

Grupo A: Alemanha, Costa Rica, Polônia, Equador

Grupo B: Inglaterra, Paraguai, Trinidad e Tobago, Suécia

Grupo C: Argentina, Costa do Marfim, Sérvia e Montenegro, Holanda

Grupo D: México, Irã, Angola, Portugal

Grupo E: Itália, Gana, Estados Unidos, República Tcheca

Grupo F: Brasil, Croácia, Austrália, Japão

Grupo G: França, Suíça, Coréia do Sul, Togo

Grupo H: Espanha, Ucrânia, Tunísia, Arábia Saudita

Alemanha satisfeira

Fußball: Brasiliens Trainer Carlos Alberto Parreira

Parreira diz que Austrália é forte

O técnico Carlos Alberto Parreira disse que, o preparo físico terá um papel importante no Grupo F, "já que todas as equipes correm muito. A Austrália é um adversário muito forte, que causou enormes problemas à Alemanha na Copa das Confederações. Todos os seus jogadores atuam na Europa".

Os alemães mostraram-se satisfeitos com o resultado do sorteio. Tanto o técnico Jürgen Klinsmann quanto o gerente da seleção Oliver Bierhoff disseram acreditar que a Alemanha conseguirá passar pela primeira fase.

"Como em 2002, temos a chance de iniciar bem o torneio, mas devemos cuidar e não subestimar a Costa Rica", disse Bierhoff. "Sabemos que os favoritos sempre enfrentam dificuldades no jogo de estréia. A derrota da França por 1 a 0 para o Senegal, há quatro anos, é uma advertência para nós", acrescentou.

A festa do sorteio

WM 2006 Gruppenauslosung Ball

Modelo Heidi Klum apresenta a bola da Copa

Mais de quatro mil convidados no Centro de Feiras de Leipzig e 320 milhões de torcedores em todo o mundo acompanharam o sorteio dos grupos da Copa 2006.

A festa foi aberta pelo apresentador Reinhold Beckmann e pela modelo alemã Heidi Klum, que chamaram ao palco o presidente da Alemanha, Horst Köhler, e o presidente da Fifa, Joseph Blatter. O presidente alemão deu boas-vindas, classificando o país como "amigável, caloroso e alegre". Köhler ratificou o lema da Copa "o mundo entre amigos". Joseph Blatter recebeu o troféu da Copa do Mundo das mãos do presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Ricardo Teixeira.

WM-Auslosung 2005 in Leipzig, Sepp Blatter, Pokal

Blatter (e) recebeu o troféu da Copa das mãos de Teixeira

Aos poucos, a história das Copas do Mundo foi sendo apresentada. Após o show do ilusionista holandês Hans Klok, que fez truques inclusive com o troféu da Fifa, foi a vez do mascote da Copa, o leãozinho Goleo.

A Fifa aproveitou também para apresentar seu programa de assistência a crianças carentes em todo mundo, o Aldeias Infantis SOS. O espetáculo incluiu ainda saudações do técnico da seleção alemã, Jürgen Klinsmann, aos convidados e "embaixadas" de Michael Ballack, capitão da seleção alemã, com a bola oficial da Copa do Mundo, batizada de "espírito de equipe". Ela foi desenhada por uma garota de 14 anos. O show que antecedeu o sorteio contou ainda com o músico colombiano Juanes, que cantou La camisa negra.

No final, sob o comando do diretor de comunicação da Fifa, Markus Siegler, os chamados "padrinhos" do sorteio – Matthäus, da Alemannha, e Roger Milla, do Camarões, (conjunto 1), Johan Cruyff, da Holanda (2) e Pelé (3), Christian Karembeu (França), Lucas Radebe (África do Sul), Masahi Nakayama (Japão) e Cobi Jones (EUA) – distribuíram as seleções nos diferentes grupos.

Leia mais