1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

BRASIL E ALEMANHA FORA DA FINAL

Nossos usuários opinaram esta semana sobre a atuação do Brasil e da Alemanha na Copa. A revolta dos torcedores brasileiros com a seleção contrasta com o reconhecimento ao esforço dos jogadores alemães. Leia aqui!

default

A seleção brasileira da Copa 2006 é um desrespeito ao torcedor brasileiro. Abaixo as peças de museu, como Roberto Carlos e Cafu, abaixo Parreira e seu futebol niilista, abaixo o "Fenômeno", Ronaldinho Gaúcho e outras estrelas galácticas! Lugar de estrela é no cinema, e não no futebol.

Márcia Bic

O exemplo vem de "cima": políticos e administradores públicos desonestos e corruptos. Nem jogador de futebol tem mais compromisso com o sofrido povo brasileiro – ser hexacampeão do mundo seria uma grande satisfação e o povo conseguiria esquecer temporariamente suas agruras. Mas os jogadores estavam mais preocupados com novos contratos financeiros e em atender às "marias-chuteiras". O técnico Parreira foi um "boneco" nas mãos da CBF, e o supervisor Zagalo estava apenas preocupado com sua coleção de camisetas.
Lindolfo Reinheimer

O Brasil foi eliminado por falta de competência, tanto por parte dos jogadores como, principalmente, por parte do técnico.

Anna Luiza Ferrugini

Depois que o mundo viu a lambança que o Brasil fez, espero que o técnico do Brasil se demita o mais rápido possível! Eu não agüentava mais vê-lo no jogo. O Brasil perdendo e ele com os braços cruzados e colocando aquela língua para fora o tempo todo.
Aninha Nilson

Eu, como brasileiro, acho que a seleção brasileira nem deveria ter ido para a Alemanha. Este empreendimento custou uma grande fortuna e, no final, o resultado é que a seleção realmente não entrou em campo, mesmo com as vitórias vergonhosas da primeira fase e, depois, sobre Gana. Na lógica, tem interesses por trás de tudo. Se o técnico pretendia homenagear os velhinhos, deveria ter feito uma festa, um jogo de despedida. O time reserva é melhor que o dos titulares, só o técnico não viu isso, ou entrou algo chamado dinheiro para deixá-lo cego.
Amarildo Costa

Perdemos porque era uma seleção brasileira "falsa". Não representava o que há de melhor no futebol brasileiro. Mais do que habilidade e espetáculo, é preciso vencer com amor nesse esporte. Amor ao futebol é o que existe no Brasil, e infelizmente ele foi suprimido por sentimentos menos nobres nesta nossa equipe, neste Mundial. Não poderia mesmo vencer. Felizmente, esse nosso amor pelo futebol não se acaba, e o Brasil voltará a encantar o mundo.
Alexandre Nunes

Claro que não foi merecida a derrota do Brasil! Não porque somos brasileiros, mas sim por causa desse cabeça de melão que é o técnico Parreira. Ele tem que sair fora e dar lugar para outro. Ele já está ultrapassado e ainda não aprendeu que a voz do povo é a voz de Deus!!!! Ele faz o que quer e nem se importa com o que nós, brasileiros, torcedores fiéis, acham de sua escalação. Tenho certeza, e todos nós sabemos, que temos time, sim, senhor, para sermos hexacampeões! Mas agora é tarde, né? E que isso sirva de lição para ele e também para outro técnico que venha a entrar após sua saída. Ouvir mais os torcedores, porque eles sabem quem está apto a participar duma Copa do Mundo. Não estou dizendo que quem foi à Copa eram ruim, mas também não eram os melhores! Tudo isso aconteceu por causa do Parreira. Se tem um culpado e tem que ser punido é ele... É inaceitável o que ele causou: muita dor e sofrimento ao nosso povo brasileiro simples e humilde. [...]

Edson A.

O que destruiu o Brasil foi a maldita arrogância do treinador e a auto-suficiência dos convencidos jogadores. A França já passou por isso e foi mais foi humilde o suficiente para corrigir este defeito. Se tão somente Scolari pudesse voltar à seleção! A França não é a ovelha negra do Brasil. Falta é amor e compromisso com a camisa amarela, que esses brasileiros "europeus" já não têm como antes.
Gilmar Fr. Loiola

Como todo acidente, não se atribui apenas a uma causa, a um fator, e sim a uma sucessão de erros e falhas que colaboram para a ocorrência do sinistro. Com o Brasil não foi diferente. E aqui está uma sequência de causas: 1– A escolha de um técnico de filosofia defensiva. Seria quase uma novidade para ele mesmo armar uma seleção de forma ofensiva, principalmente com jogadores talentosos de características ofensivas. 2– Sabedores da condição fisica de alguns craques, cabia uma preparação mais prolongada e sem o oba-oba que houve na Suíça. 3– Falta de peito do técnico em cortar quem não estivesse bem e também colocar no banco quem rendesse menos que o seu reserva. 4– Falta de capacidade ou de inteligência do técnico que, mesmo com pouco tempo de preparo (três semanas), ainda não tinha a formação do time. [...] 6- Poderia aqui enumerar também a falta de coração dos jogadores brasileiros, mas como acusá-los? Como saber se foi falta de coração deles ou o esquema de marcação que Parreira impôs ao time durante sua medíocre preparação? Bem, eu poderia enumerar alguns itens a mais, mas sinceramente estou muito aborrecido e decepcionado.
Alfredo George Pontual Branco

Sim, a derrota foi merecida. A equipe pentacampeã jogou muito mal, as estrelas brasileiras não brilharam. A equipe francesa foi fantástica. Parabéns, França!
Divina J.G.S.

Eu não estou acostumado a colocar a culpa em técnico. Mas desta vez não tem como não falar. O Sr. Parreira esteve preocupado em manter um quarteto que, desde o início da Copa, já dizia que não iria dar certo. Além do mais, minha impressão era que ele estava preocupado em garantir os recordes de suas "estrelas". Então: sai fora, Parreira!!!
Arlindo

Parreira não deve ficar. Deve-se dar oportunidade a outros técnicos. Mais uma vez está provado que estrelas não ganham jogo. Pode-se colocar uma seleção com os melhores jogadores do mundo, que não ganha de uma equipe bem entrosada. O que manda é o conjunto, um complementa o outro. Parreira, mais uma vez, provou sua teimosia, insistiu com jogadores-estrelas, para o lugar dos quais tinha em mãos jogadores com mais garra e fome de bola. Ainda por cima, fez substituições erradas na partida, tirou Juninho Pernambucano, que conhece o futebol francês e estava rendendo bem, para colocar um jogador instável, Adriano. Por outro lado, demorou muito para mudar. Ronaldinho Gaúcho ficou em débito com a seleção. O gol francês foi numa falha inadmissível da zaga esquerda brasileira, Roberto Carlos estava fora da sua posição e havia dois franceses no lance do gol.
João Carlos Januário

Eu espero, para o bem de todo o Brasil, que o Parreira e o Zagalo jamais ocupem qualquer outro cargo na seleção brasileira. Ele é teimoso, prepotente, e pior de tudo, é muito, mas muito burro! As suas famosas convicções de 40 anos de futebol ajudaram a enterrar a seleção brasileira. Ele não soube dar conjunto a uma geração talentosa, omitiu-se ao ser peitado por seus geriátricos laterais, Cafu e Roberto Carlos, preferiu ater-se às suas teorias em vez de reconhecer que o "quadrado" de mágico não tinha nada e, pior, não soube efetuar as substituições no momento certo. Nesse intervalo, ele encontrou tempo para dedicar-se à sua pseudo-autobiografia, ao lançar seu livro Formando equipes vencedoras, que, a essa altura, deve estar encalhado na seção de livros de ficção. Torcedor revoltado.
José Luiz Oliveira Cardoso

Concordo plenamente com a imprensa alemã, além de uma ou outra do Brasil. Só quem não se atrelou à maior rede de televisão do Brasil (executora aparente de "clientelismo" com a seleção brasileira) é que não se decepcionou. Qualquer pessoa que acompanhasse com seriedade a trajetória desta "seleção" já saberia, antecipamente, que, ao contrário de estrelas do esporte, tratavam-se de meteoros. Não era um time que entrava em campo, mas um elenco (cast). Atores de uma peça na qual só os ingênuos acreditavam.

Emmanuel de Mesquita

Como brasileiro, me envergonho, não da derrota, que é coisa do jogo, mas do medo em relação ao adversário, estampado na atuação medíocre do grupo brasileiro. Concordo é com a imprensa argentina, que disse que Parreira (que, entre todos, teve a atuação mais fraca) deveria seguir o exemplo de Pekerman e se demitir do cargo. Ficaria mais elegante para alguém com o curriculum dele.

Breno Lacourt Rodrigues

Realmente, a imprensa alemã tem toda razão ao analisar o péssimo desempenho do time brasileiro na Copa 2006. Era um grupo de craques e não um time. Tem-se a impressão de que se venderam, tal o desinteresse pela partida! Jogadores chamados de estrelas não passaram de figuras apagadas, apáticas, sem nenhum brilho e sem vontade de jogar. Covardemente se renderam aos franceses, que souberam se aproveitar da situação e se consagraram. Forte abraço a todos.

Ozeias Rocha

A sorte ajuda os competentes, já afirmava um executivo de sucesso. E é verdade! Veja o exemplo de Portugal: time que não "vale" a metade do time do Brasil, mas tem técnico, manager, coach, father, pai, liderança e ...tática. Meus amigos da DW, ganhará a Copa quem for competente. Fora Parreira!

Mauro

Continue para ler as opinões sobre a seleção alemã