1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Bolsa alemã vai aos EUA

A Eurex será a primeira bolsa estrangeira a abrir uma filial nos Estados Unidos. Chicago é o principal mercado para negócios a termo. É esse filão que a Eurex quer explorar, para desgosto das concorrentes americanas.

default

Plataforma eletrônica fará concorrência em Chicago

Quem acha que pode calcular exatamente como irá se desenvolver a cotação de uma ação pode ganhar muito dinheiro através da Eurex, a bolsa teuto-suíça de mercado futuro. A Eurex é um projeto conjunto da operadora da Bolsa de Frankfurt, a Deutsche Börse AG, e a Swiss Exchange (SWX). E já se tornou a maior bolsa do mundo para negócios a termo.

Como isso não lhe basta, ela aspira ascender a novas alturas. Para tanto, precisava da autorização de funcionamento da CFTC ( Commodity Futures Trading Commission), nos Estados Unidos, que demoraram mas concederam a autorização nesta quarta-feira (04/02). Com o "sim", os investidores interessados já poderão comprar suas primeiras ações pela Eurex a partir de domingo (08/02)

Tradição americana x moderna técnica européia

A bolsa alemã de mercadorias e futuros enfrentou dificuldades com sua decisão de atravessar o Atlântico. Sua pretensão de se estabelecer em Chicago abalou o establishment. Três bolsas locais dividem o bolo dos negócios a termo. Seus prédios situam-se a poucas quadras de distância, pelo que as más línguas costumam se referir ao mercado a termo de Chicago como um agradável clube masculino.

Lá se negocia de tudo, desde contratos de juros até carne de porco congelada. O perigo para as bolsas e os corretores americanos reside principalmente na tecnologia moderna dos europeus. Forte concorrente, a Eurex poderá abocanhar uma boa parte desse bolo. Sua plataforma eletrônica é completamente eletrônica. Portanto, não apenas transparente como também mais barata do que o pregão dos americanos.

Pedras no caminho dos EUA

Temendo a perda do seu monopólio, as bolsas americanas moveram mundos e fundos e apelaram a Washington para impedir a entrada dos europeus. E encontraram apoio na Comissão Agrícola do Congresso. Num estado agrário como é Illinois - com sua capital Chicago - os preços para o comércio atacadista de milho, trigo e soja estão acoplados diretamente ao mercado futuro da Chicago Board of Trade.

Por isso, o assunto facilmente se transformou em tema eleitoral. As bolsas americanas patrocinam a campanha eleitoral de vários deputados. Por sua vez, é o Congresso que decide sobre o orçamento do órgão fiscalizador CFTC.

Eurex também tem amigos

Apesar das resistências, os observadores estavam confiantes de que a Eurex receberia autorização para funcionar. Afinal, não lhe faltam defensores influentes, à frente deles o presidente do Fed, Alan Greenspan e o secretário norte-americano do Tesouro, John Snow.

Associações financieras também esperam da filial americana da Eurex maior eficiência e custos mais baixos nos negócios a termo. A inauguração estava marcada para 1º de fevereiro, mas teve que ser adiada pela falta da licença. De parte da Eurex está tudo pronto para o tiro de largada. E de parte do mercado financeiro americano o sinal é claro: ready to trade.

Leia mais