1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Bola com chip impede erros de arbitragem

Fifa pode testar bola de futebol com chip, inventada por cientistas alemães, para prevenir gols fantasmas e controlar jogadores. Tecnologia pode ser útil também para outros esportes.

default

Foi gol ou não? Chip ajuda a esclarecer decisões duvidosas

Depois do tira-teima, já usado nas transmissões de TV, uma nova tecnologia poderá revolucionar a arbitragem dos jogos de futebol. Cientistas do Fraunhofer Institut de Erlangen, perto de Nurembergue, desenvolveram um sistama baseado em tecnologia wireless para determinar a posição exata dos jogadores em campo e, assim, esclarecer no ato dúvidas sobre impedimentos, gols e faltas discutíveis.

A comunicação e determinação da posição ocorre através de um chip implantado na caneleira dos jogadores e outro dentro da bola de futebol. Os dados são coletados por até dez antenas posicionadas à beira do gramado, processados por um computador central e, em seguida, transmitidos para aparelhos portáteis.

100 Jahre FIFA

Josef Blatter, presidente da Fifa

A idéia revolucionária partiu do presidente da Cairos Technologie AG, Hartmut Braun, e seu sócio Roland Stucky, após um jogo de veteranos do ATSV Mutschelbach. Como fazem milhões de torcedores todos os fins de semana no mundo inteiro, eles também discutiram horas se a bola havia entrado no gol ou não.

Primeiro, os dois empresários pensaram em instalar barreiras de luz ou radares nas traves. Mas, depois, Braun resolveu pedir aos pesquisadores do Fraunhofer o desenvolvimento de um chip a ser fixado nos jogadores e na bola.

Durante cinco anos, até 60 cientistas do instituto dedicaram-se à programação, medição e a um bate-bola inusitado para os funcionários das empresas vizinhas em Erlangen. Um teste geral foi feito também no Frankenstadion, o estádio do 1. FC Nürnberg, da primeira divisão do futebol alemão.

Malandro da rodada

Chip im Fußball, Max-Planck-Institut für Integrierte Schaltungen

Nova tecnologia mede posição exata da bola e do jogador em campo

"Os chips captam com precisão centimétrica até duas mil vezes por segundo as posições atuais dos 22 jogadores e da bola", explica René Dünkler, do Fraunhofer Institut. Esses dados, processados imediatamente, podem ser usados tanto pelos juízes, para corrigir decisões e acalmar a torcida, quanto pelos treinadores, para avaliar o desempenho dos jogadores e, eventualmente, realizar substituições.

"É uma idéia interessante para medir estatisticamente o rendimento da equipe, mas existe o risco de que a imprensa sensacionalista use os dados para eleger o jogador mais preguiçoso da rodada", diz o técnico do Stuttgart, Matthias Sammer.

Segundo o gerente de marketing da Cairos, Oliver Braun, as redes de TV poderão usar o novo sistema para fornecer mais estatísticas aos telespectadores. “Mas só com estatísticas não se pode explicar o futebol. Um centro-avante que corre pouco, mas marca dois gols, também cumpriu seu papel“, diz Georg Kofler, diretor-executivo do canal comercial Premiere.

A Confederação Alemã de Futebol (DFB) já manifestou seu interesse no invento. "Já trabalhamos com análises de vídeo. Os novos dados são um bom complemento para programar treinos de resistência e definir a tática dos jogadores", disse o instrutor da DFB, Erich Rautemöller.

Chip im Fußball, Max-Planck-Institut für Integrierte Schaltungen

Chip é implantado na caneleira e na bola de futebol

A Fifa anunciou que poderá fazer o primeiro teste oficial da bola com chip eltrônico no dia 27 de fevereiro próximo, durante a final da Copa da Liga da Inglaterra, em Cardiff. "Estamos buscando uma solução aceitável para controlar a linha de gol", disse o presidente da Fifa, Josef Blatter, ao jornal inglês The Daily Mirror.

Os juízes alemães também apóiam a idéia do chip na bola. "Os árbitros ativos são os últimos que resistiriam a uma inovação como essa, que facilitará o nosso trabalho", declarou Herbert Fandel, que juntamente com seu colega Markus Merk é candidato a apitar partidas da Copa 2006 na Alemanha. "Se a tecnologia está madura, então também deve ser usada", disse o juiz da Fifa, Urs Meier, que apitou a semifinal da Copa 2002 entre Alemanha e Coréia do Sul.

Além do futebol, a nova tecnologia poderá beneficiar o basquete, vôlei, beisebol, golf e até o esqui. Fora do campo esportivo, o novo chip também poderá ser usado em sistemas de segurança nos aeroportos ou para controlar o movimento de presidiários e a localização de pessoas desaparecidas. A bola com chip pode ser o início de uma revolução que vai muito além dos campos de futebol.

Leia mais