1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Boko Haram divulga vídeo de decapitação

Grupo radical nigeriano usa técnicas avançadas de produção gráfica e edição, num sinal de que pode estar começando a empregar tática do "Estado Islâmico". Imagens mostram três terroristas e dois reféns.

Tschad Armee Boko Haram

Soldados do Chade combatem Boko Haram na região de fronteira com a Nigéria

A organização radical islâmica Boko Haram, que atua majoritariamente no nordeste da Nigéria, divulgou um vídeo que sugere a decapitação de dois reféns – numa demonstração de que pode estar começando a usar uma técnica similar à do "Estado Islâmico".

No vídeo, tornado público na segunda-feira (02/03), dois extremistas aparecem de pé, armados com fuzis, atrás de dois homens ajoelhados com as mãos amarradas atrás das costas. À frente, um militante segura uma faca em ameaça aos reféns.

Um dos radicais fala, diante da câmera, que os reféns foram pagos por autoridades para espionar o grupo terrorista. Depois, o vídeo salta para outra cena, mostrando seus corpos decapitados. Não foi possível determinar data, identidade dos reféns e autenticidade do vídeo.

O vídeo, que usa técnicas avançadas de produção gráfica e edição, aumenta as preocupações de que o Boko Haram estaria expandindo a sua área de influência e buscando inspiração em outras redes terroristas, como a Al Qaeda e o "Estado Islâmico".

Em sua luta para estabelecer uma teocracia islâmica no norte da Nigéria, os militantes do Boko Haram já mataram milhares de pessoas e sequestraram outras centenas, tendo intensificado seus ataques na fronteira com Camarões, Chade e Níger.

Na segunda-feira, tropas do Chade cercaram o Boko Haram na cidade nigeriana de Dikwa, de importância estratégica e que estava nas mãos dos terroristas. Antes de fugirem, os militantes do Boko Haram teriam matado dezenas de civis.

Paralelamente, tropas nigerianas repeliram um ataque do Boko Haram a Konduga, situada a sudoeste de Dikwa, matando mais de 70 insurgentes. As Nações Unidas afirmaram nesta terça-feira que as lutas provocaram a fuga de 16 mil nigerianos para o Chade só no último fim de semana.

Desde que o levante do grupo radical islâmico teve início, há seis anos, mais de 1,6 milhão de pessoas foram forçadas a deixar suas casas na Nigéria e centenas de jovens foram sequestrados, segundo a ONU.

Os levantes também aumentaram a preocupação internacional com o número de vítimas: cerca de 10 mil pessoas foram mortas somente no ano passado. Em comparação: nos quatro anos anteriores, a atuação do Boko Haram foi responsável pela morte de 2 mil pessoas.

CA/ap/rtr

Leia mais