1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

BMW mantém desempenho recorde

Bom momento para a BMW: além de alcançar no primeiro trimestre de 2003 o recorde financeiro do ano passado, a montadora alemã também recebeu permissão para iniciar sua produção no mercado chinês.

default

Montadora investirá 1,3 bilhão de euros na nova fábrica em Leipzig/Halle

"Esperamos alcançar no primeiro trimestre de 2003 a marca de 260 mil veículos vendidos", diz o presidente da BMW, Helmut Panke. O volume já equipara o resultado de março de 2002. Entretanto, o objetivo da BMW para este ano é aumentar as vendas em todas as suas marcas – BMW, Mini e Rolls Royce. Esse prognóstico, entretanto, vai depender, entre outros, do rumo que tomar a guerra no Iraque.

"Uma previsão concreta para 2003 ainda é difícil em virtude da conjuntura política mundial, da crise econômica e da insegurança que ela traz consigo", explica Panke. Para que a meta se concretize, é preciso um desfecho rápido da crise do Iraque e a implantação de uma política econômica clara na Alemanha.

O grande Mini – Crucial para que a BMW atingisse o recorde do ano anterior foram as vendas do modelo Mini, que ultrapassam qualquer resultado mensal da empresa até então. Já as vendas de modelos BMW registraram uma queda de cerca de 8% em relação ao primeiro trimestre de 2002, ficando na margem dos 215 mil veículos vendidos.

A companhia caracterizou a queda como esperada, uma vez que está tirando de produção a linha 5. Mas, ainda neste ano, a marca central deve retomar o fôlego com o lançamento do modelo esporte Z4 na Europa, dos novos Coupe 6 e X3, além da linha 3, que retorna ao mercado com novos retoques.

Negócio da China – Outro grande trufo da BMW é a inauguração da linha de montagem no nordeste da China. A montadora recebeu recentemente autorização estatal para a formação de uma joint-venture com a chinesa Brilliance China Automotive e pretende iniciar a produção na nova fábrica já no segundo semestre deste ano.

De acordo com a legislação chinesa, a BMW só pode obter 50% do controle da nova empresa, ficando a outra metade nas mãos da parceira chinesa. Inicialmente, a companhia fabricará modelos da linha 3 e mais tarde acrescentará ao programa os modelos da linha 5. A médio prazo, serão fabricados 30 mil veículos para venda exclusivamente local.

A BMW demorou mais que as concorrentes Volkswagen e Audi para entrar no mercado automobilístico que mais cresce em todo o mundo, mas o momento parece ideal, uma vez que a BMW almeja o mercado de carros de luxo, um nicho que só agora se desenvolve na China.

Foco permanece a Alemanha - Juntas, as duas companhias planejam investir 450 milhões de euros durante os próximos três anos na nova firma, gerando cerca de três mil empregos. Mas a maior parte dos investimentos, a BMW fará na Alemanha: "Nosso maior investimento de 1,3 bilhão de euros será em nossa fábrica em Leipzig/Halle. Em 2004, começa a operação-piloto e em 2005 ficará pronto o priemiro veículo feito na nova fábrica", promete Panke.

Leia mais

Links externos