1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

BMG reage à crise e baixa preços

Em reação à pirataria e à conseqüente crise no consumo de CDs, a empresa alemã oferecerá, em fase experimental a partir de agosto, três categorias de preços, entre € 9,99 e € 17,99.

default

Boas novas aos consumidores

A queda de 19,8% no faturamento do mercado fonográfico alemão no ano passado obrigou as gravadoras a repensar sua política de preços e produtos. A BMG (Bertelsmann Music Group) colocará no mercado a partir de agosto, e em caráter experimental, produtos em três categorias, do barato à versão luxo.

O mais barato, a 9,99 euros, vem sem cover e sem encarte, obviamente por contenção de custos. O nome das faixas está gravado diretamente no disco, cujo baixo preço é justificado como "medida antipirataria" pelo presidente da BMG, Maarten Steinkamp.

Objetivo é aumentar as vendas em 25%

Também os CDs já no mercado com preços a partir de 16,99 euros passarão a custar € 12,99. Na terceira categoria, a mais cara (€ 17,99), os discos serão incrementados com versões em DVD e outros extras.

Com a mudança, a gravadora alemã espera aumentar suas vendas em 25%. "Temos de nos preocupar mais em atender às expectativas da clientela. Não estamos certos de que obteremos êxito com a iniciativa. Pode ser até que tenhamos prejuízo, mas está na hora de orientar mais nossos produtos pelo cliente. O segmento da música esteve acomodado por tempo demais", justifica Steinkamp.

Vendas pela rede

Será a segunda campanha deste tipo no mercado fonográfico mundial. No final do ano passado, a líder de mercado Universal Music já havia reduzido em 30% seus preços nos Estados Unidos, sem no entanto conseguir aumentos sensíveis nas vendas.

Um dos motivos para a retração na compra de discos continua sendo a pirataria através da internet, mas também as cópias legais conquistam um filão cada vez maior na rede. O líder de mercado iTunes, da Apple, conseguiu vender mais de 95 milhões de títulos em 12 meses. Na primeira semana de vendas na Europa, em meados de junho, foram vendidas somente na Alemanha 250 mil músicas ao preço de 99 cents. Em todo o continente, o montante chegou a 800 mil títulos.

O faturamento do mercado fonográfico alemão teve uma queda de 19,8% no ano passado, com 183,2 milhões de discos vendidos a menos que em 2002. Em contrapartida, um estudo por amostragem encomendado pela indústria fonográfica e feito com 10 mil entrevistados revelou que em 2003 os alemães compraram 325 milhões de CDs virgens para a gravação de músicas, um crescimento de 25% em relação ao ano anterior.

A BMG está prestes a se fundir com o segmento de música da Sony. Fontes de Bruxelas disseram que, apesar de restrições iniciais, a autoridade anticartel da União Européia pretende permitir a união, cuja nova empresa vai concorrer de perto com a líder de mercado Universal Music.

Leia mais