1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Blogueiro saudita vence prêmio de direitos humanos

Com Prêmio Sakharov, Parlamento Europeu reconhece luta de Raif Badawi pela liberdade de expressão na Arábia Saudita. Ativista está preso desde 2012, condenado a dez anos de prisão e mil chibatadas.

O blogueiro saudita Raif Badawi, de 31 anos, foi agraciado com o Prêmio Sakharov de direitos humanos e liberdade de pensamento de 2015, anunciou nesta quinta-feira (29/10) o Parlamento Europeu.

O anúncio foi aplaudido de pé pelos parlamentares, em Estrasburgo. "Peço ao rei da Arábia Saudita que o liberte [Badawi] para que ele possa receber o prêmio", afirmou o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz. "Relações dependem do respeito aos direito humanos por nossos parceiros. Eles não estão somente sendo desrespeitados, mas estão sendo pisoteados."

A Badawi foi imposto um dos "castigos mais cruéis", que equivale a uma "tortura permanente", disse Schulz. Segundo o político alemão, o ativista tornou-se um herói para muitos ao lutar no mundo digital por direitos fundamentais.

Badawi está preso na Arábia Saudita desde 2012, acusado de iniciar uma página online que "insulta os valores islâmicos e dissemina ideias liberais". O ativista foi condenado em 2014 a dez anos de prisão e mil chibatadas e uma multa de cerca de 200 mil euros por suas postagens críticas.

Em seu site, Liberais sauditas livres, Badawi apontava abusos políticos e sociais na Arábia Saudita. Após receber as primeiras chibatadas em janeiro deste ano, a punição física ao ativista deveria continuar semanalmente, mas foi suspensa por motivos de saúde.

A esposa do ativista, Ensaf Haidar, que está exilada no Canadá, agradeceu ao parlamento pelo prêmio e afirmou que ele é uma "mensagem de esperança e coragem" para Badawi.

Luta por direitos humanos

Os outros dois indicados para o prêmio neste ano eram o oposicionista russo Boris Nemstov, que foi assassinado em fevereiro, em Moscou, e a Oposição Democrática da Venezuela, coalizão da qual vários membros estão detidos ou em prisão domiciliar.

O Prêmio Sakharov é concedido anualmente pelo Parlamento Europeu a pessoas que lutam pela defesa dos direitos humanos e pela liberdade de expressão. Criado em 1988, ele teve Nelson Mandela como primeiro contemplado.

Entre os premiados estão as Mães da Praça de Maio da Argentina, em 1992, o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, em 2003, e a paquistanesa Malala Yousafzai, em 2013.

Em fevereiro deste ano, a Deutsche Welle concedeu a Badawi o prêmio Freedom of Speech (Liberdade de Expressão).

CN/afp/dpa/epd

Leia mais