1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Bertelsmann retira-se do mercado editorial científico

O grupo editorial BertelsmannSpringer foi vendido à holding britânica Cinven & Candover pela soma recorde de 1,05 bilhão de euros. Esta é a maior transação já registrada no mercado editorial da Alemanha.

default

Gunter Thielen: concentração nos setores prioritários da Bertelsmann

Sob o teto da BertelsmannSpringer estão reunidas cerca de 70 editoras que, no ano passado, faturaram um total de 731 milhões de euros e registraram um lucro operacional de 71 milhões de euros, através da publicação de livros (mais de 4 mil novos títulos) e revistas (700 edições) sobre temas científicos, medicinais, econômicos ou técnicos.

Apesar dos lucros obtidos, a empresa matriz Bertelsmann decidiu-se pela venda da BertelsmannSpringer, que tinha pouca chance de tornar-se a líder do setor. O grupo editorial científico surgiu da fusão do setor técnico-científico da editora Springer com a área de literatura técnica da Bertelsmann, em 1999.

Televisão e música

As editoras científicas constituem um dos negócios mais lucrativos do setor de mídia, que se encontra em crise. A BertelsmannSpringer sempre trouxe lucros, mas representava apenas 3,7% do faturamento total da matriz. Além disso, já não cabia mais dentro da concepção da Bertelsmann, que pretende concentrar suas atividades sobretudo nas áreas de televisão e música.

A retirada do setor editorial científico traz à empresa sediada em Gütersloh, no norte da Alemanha, uma bem-vinda injeção de capital. Com a aquisição da gravadora americana Zomba por 3 milhões de dólares, no ano passado, a Bertelsmann tinha superado seu limite auto-imposto de endividamento.

Agora, com o elevado preço de venda da BertelsmannSpringer, surgiram especulações sobre possíveis novas aquisições por parte do conglomerado Bertelsmann. Em março passado, o presidente da empresa, Gunter Thielen, tinha excluído tal possibilidade, enquanto não fosse vendido o grupo editorial científico. Isto concretiza-se agora, tão logo as autoridades antitruste sancionem a transação.

Novas aquisições?

Um porta-voz da Bertelsmann não quis falar de possíveis novas aquisições da empresa no seu principal setor de negócios. Do conglomerado fazem parte a maior editora mundial de beletrística Random House, o grupo editorial do setor de música BMG, a rede de radiodifusão RTL Group e a segunda maior editora mundial de revistas Gruner + Jahr.

Existem especulações sobre um eventual interesse da Bertelsmann pelo setor livreiro da AOL Time Warner, que se encontra à venda. Além disso, fala-se de uma possível fusão da BMG e da Warner Music, como nova forma de cooperação entre a Bertelsmann e a AOL Time Warner. Embora partam de círculos bem informados do setor, tais informações ainda são meramente especulativas, sem qualquer confirmação por parte das empresas envolvidas.

Leia mais