1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Berlusconi retira todos os seus ministros do governo italiano

Tensões das últimas semanas culminam em racha entre partidos da coalizão em Roma. Saída de cinco ministros conservadores do gabinete do premiê Enrico Letta pode levar a nova coligação de governo ou novas eleições.

O ex-primeiro-ministro italiano e chefe do partido Povo da Liberdade (PdL), Silvio Berlusconi, retirou neste sábado (28/09) todos os seus cinco ministros de Roma. A decisão provoca uma grave crise no governo italiano, liderado pelo primeiro-ministro Enrico Letta. A renúncia dos chefes das pastas poderá levar a novas eleições ou à formação de uma nova coalizão.

Nas últimas semanas vinham crescendo rapidamente as tensões entre os grupos da coalizão governamental, o conservador PdL e o Partido Democrático (PD) de Letta, de orientação social-democrata, devido a ameaça de exclusão do ex-premiê Berlusconi do Senado. Letta anunciara para a próxima semana um voto de confiança a fim de saber se ele ainda conta com uma maioria que o permita governar, depois de o gabinete debater durante horas um pacote fiscal, sem resultados.

Caso ele perca o voto, o presidente Giorgio Napolitano poderá ter que convocar novas eleições – embora, segundo tem demonstrado, contra sua vontade. O premiê e o chefe de Estado anunciaram uma reunião para deliberar os próximos passos.

O PD tem forte maioria na Câmara dos Deputados. No Senado, que dispõe de poderes equivalentes, Letta só conta com uma maioria apertada, e dependeria ou dos votos do PdL ou da oposição para formar uma nova coalizão

Berlusconi criticou a declaração de Letta de que não tomará nenhuma decisão política até o voto de confiança. "Essa é uma grave violação do contrato de coalizão, sobre cuja base o governo foi formado", disse o político de centro-direita, conhecido por irregularidades em sua carreira política e empresarial, que completa 77 anos de idade neste domingo. No final de junho, Berlusconi foi condenado a sete anos de prisão por prostituição de menores e abuso de poder.

AV/rtr/afp/dpa

Leia mais