Berlusconi ganha o segundo voto de confiança em um mês | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.10.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Berlusconi ganha o segundo voto de confiança em um mês

Câmara dos deputados da Itália decide a favor do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, em sessão boicotada pela esquerda. Analistas não veem alternativas a Berlusconi em sua coalizão.

default

Berlusconi recebe apoio do parlamento

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, ganhou o segundo voto de confiança em um mês em sessão da Câmara dos Deputados em Roma nesta sexta-feira (14/10). O governo de centro-direita obteve 316 votos a favor e 301, contra. Sete votos a mais do que o necessário. Berlusconi marca assim uma vitória importante sobre a corrente de opositores que cresce na sua própria coalizão.

Caso perdesse, o premiê teria que renunciar. A votação sofreu o boicote da esquerda, que se negou a participar da primeira chamada, causando caos e tumulto no parlamento. Se a centro-direita não conseguisse a metade dos votos da casa (315), a sessão seria considerada inválida.

Votação foi boicotada pela esquerda

Votação foi boicotada pela esquerda

Berlusconi foi forçado a pedir o voto de confiança após seu dividido governo de centro-direita falhar na tentativa de aprovar, na última terça-feira (11/10), o primeiro artigo de um balanço legislativo do Estado em 2010, cuja adoção é normalmente uma formalidade. O premiê impôs iniciativas legais com este instrumento em mais de 50 oportunidades.

Sem alternativa

Cada vez mais enfraquecido por escândalos sexuais e má gestão da crise financeira, o premiê italiano tem sido pressionado pela oposição e setores da sociedade civil a renunciar. Antes da votação, o premiê disse que a Itália seria jogada em uma catástrofe econômica e social caso seu governo fosse dissolvido neste momento.

A votação se mostrou incerta até o último minuto porque os próprios parlamentares da centro-direita, que se declaravam fiéis ao premiê, temiam um possível revés. O deputado Francesco Nucara se destacou durante a sessão por declarar que votaria para salvar o governo pelo bem da Itália, mas era contrário à forma como Berlusconi lida com a coalizão.

"Você tem colocado algumas pessoas no seu governo que não têm valor nem para serem porteiros de umas de suas empresas", disse Nucara direcionando a crítica ao premiê. Após a votação, Sílvio Berlusconi disse que "o governo foi envolvido em uma tentativa de emboscada" que teria sido armada pela oposição de centro-esquerda.

Italien Protest gegen Berlusconi

Para este sábado está marcada uma manifestação contra Berlusconi

Para ele, o voto de confiança deixa claro que o governo ainda tem a maioria no parlamento. Ele disse que vai revitalizar a economia do país com um decreto a ser introduzido na próxima semana. O primeiro-ministro não quis apresentar detalhes do plano econômico. O mandato de Silvio Berlusconi termina em 2013.

Analistas acreditam que o novo voto de confiança de Berlusconi foi conquistado porque sua conflituosa coalizão não teria um nome para substituí-lo. "Se algum grupo de deputados dentro do Partido do Povo da Liberdade (PdL) tivesse uma estratégia precisa, provavelmente os dias de Berlusconi estariam contados", disse o analista político Sergio Romano.

Neste sábado (15/10) Berlusconi, cuja popularidade diminuiu para 24% segundo as últimas pesquisas, será o alvo principal de uma manifestação que deve concentrar dezenas de milhares de pessoas em Roma. Sindicatos, intelectuais e estudantes vão para as ruas em um protesto social semelhante aos dos "indignados" espanhóis, ao "Ocupe Wall Street" norte-americano e ao "Geração à Rasca" português.

MP/afp/rtr/dpa/lusa
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais