Berlim cede área nobre para museu inspirado no Guggenheim de Bilbao | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 26.06.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Berlim cede área nobre para museu inspirado no Guggenheim de Bilbao

Berlim poderá obter novo museu de arte moderna baseado na receita de sucesso do Guggenheim de Bilbao, na Espanha. Para tal projeto, a capital alemã está disposta a ceder um terreno altamente valorizado.

default

Novo museu: concorrência para o Hamburger Bahnhof?

Investidores pagariam milhões para construir nas margens do rio Spree adjacentes à nova Estação Central. Mas agora o governo de Berlim está cedendo o terreno de 16 mil metros quadrados. Em contrapartida, quem construir o complexo previsto para a área, com centro comercial e edifício de escritórios, deverá incluir no projeto um museu de arte moderna de 10 mil metros quadrados.

De acordo com o edital do concurso público, a ser anunciado em toda a Europa no fim do mês, o novo museu teria que ser análogo ao Guggenheim de Bilbao, na Espanha. Inaugurado em 1997, a obra-prima do arquiteto americano-canadense Frank Gehry é um de cinco museus de arte contemporânea da Fundação Guggenheim.

O edifício marcante e a abrangente coleção de arte moderna conseguiram rejuvenescer a pequena cidade de Bilbao, no País Basco. A passagem anual de um milhão de visitantes se tornou um importante fator econômico para a região.

Guggenheim Museum in Bilbao

Guggenheim de Bilbao

Tradição de colecionadores

O multimilionário Nicolas Berggruen é considerado o favorito para assumir o projeto de Berlim, pois dinheiro e arte são tradições de família. Seu pai, Heinz Berggruen, falecido no ano passado aos 93 anos, cedeu uma coleção de arte avaliada em 750 milhões de euros à Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano. O acerto foi consumado em 2000, como gesto de reconciliação.

Heinz Berggruen teve que fugir da Alemanha e emigrar para os Estados Unidos durante o regime nazista, tendo retornado ao país somente em 1996. O Museu Berggruen, em frente ao Palácio de Charlottenburg, foi construído para abrigar a coleção familiar de clássicos do modernismo, que inclui importantes obras de Picasso, Klee, Giacometti e Matisse, entre outros.

De acordo com a imprensa alemã, Nicolas Berggruen estaria procurando agora um espaço adequado para instalar sua própria coleção em Berlim.

Críticas ao apoio da iniciativa privada

Esse acerto incomum gerou uma certa controvérsia política, num país onde instituições culturais patrocinadas pela iniciativa privada são uma raridade e a insuficiência de recursos para os museus é constante motivo de reclamação.

Além disso, o projeto significaria uma concorrência para outro museu de arte moderna e contemporânea, Hamburger Bahnhof, localizado logo em frente ao terreno previsto para o projeto. Construído em 1996, este museu abriga diversas coleções particulares. Em 2004, recebeu como empréstimo temporário, por sete anos, a renomada Friedrich Christian Flick Collection.

De acordo com relatos de imprensa, o planejado museu de arte moderna não deverá substituir o projeto para um novo espaço de arte contemporânea em Berlim, ainda sem lugar definido. A idéia é que este abra possibilidades de exposição para artistas internacionais que vivam ou trabalhem em Berlim.

Na Schlossplatz, a praça onde está sendo construído o Humboldt Forum, futura sede de todas as coleções etnológicas de Berlim, vai surgir um novo espaço para exposições temporárias. Ele deverá ser inaugurado em outubro e utilizado durante dois anos.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados