1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Beethovenfest de 2015 sob a marca da mudança

Músicos de todo mundo se reúnem em Bonn para festival anual em homenagem ao compositor alemão. Edição deste ano terá lançamento de novas composições alusivas à obra do gênio da música clássica.

"Vassoura nova varre bem", diz o ditado também na Alemanha. Assim, foi criada uma nova marca para a edição deste ano do mais importante festival temático sobre o compositor alemão Ludwig van Beethoven.

Em seu primeiro ano plenamente como diretora-artística do evento, Nike Wagner, bisneta de Richard Wagner, introduziu uma ideia para a edição de 2015: "mudanças". O festival ocorre de 4 de setembro a 4 de outubro em 22 locais diferentes da região de Bonn.

No contexto musical, de forma vulgar, a ideia de "mudanças" pode ser associada a "variações" – uma técnica de composição que permeia a obra de Beethoven. As "variações" são particularmente populares, pois jogam também com a memória das pessoas. Pesquisadores sabem que o reconhecimento de uma melodia ou de um motivo, mesmo na sua forma modificada, é agradável ao ouvido e provoca um sentimento de felicidade.

Andras Schiff

Andras Schiff interpreta as variações de Diabelli

Existem variações em abundância na história da música, e muitas delas fazem parte do programa do festival – como 33 variações sobre uma valsa de Anton Diabelli. No "Longo fim de semana de Diabelli", de 10 a 14 de setembro, András Shiff vai executar esta obra central em piano moderno. Já Ronald Brautigam transportará o público a um universo sonoro completamente diferente no histórico fortepiano.

Esta composição aconteceu porque Beethoven atendeu a uma encomenda de uma editora vienense para escrever variações sobre um tema de Diabelli. Mas, como frequentemente acontecia com Beethoven, ele fez muito mais do que lhe foi pedido. O fato de outros 49 compositores terem atendido ao mesmo chamado da editora na ocasião é menos conhecido. Todas as variações serão tocadas em Bonn. A maratona musical acontecerá totalmente no espírito de Beethoven, que sempre exigiu muito de seu público.

Neujahrskonzert der Wiener Philharmoniker Zubin Mehta

Zubin Mehta e a Filarmônica de Israel estão no programa

O novo e o antigo

Neste ano, tem início a primeira série de um projeto. A partir da edição 2015, a cada ano, será lançada uma nova composição que se relaciona com a obra de Beethoven. A velha obra do compositor alemão e as novas canções encomendadas soarão juntas no concerto.

As novas composições serão executadas até mesmo duas vezes. Assim, o público terá oportunidade de absorvê-las melhor. O projeto segue até 2020, no 250º aniversário de Beethoven, quando haverá um mostruário de todas as obras encomendadas. Para 2015, a composição foi encomendada a Salvatore Sciarrino, que tomará Fantasia Coral, como ponto de partida.

Haverá até um simpósio sobre a audição como fenômeno nos dias 5 e 6 de setembro. Compositores, artistas de diversas áreas e cientistas de várias disciplinas vão debater o tema em um encontro chamado "Ouvir/Música: ontem, hoje, amanhã".

Não faltarão grandes nomes

A orquestra belga Anima Eterna Brugge apresentou recentemente uma gravação aclamada de todas as sinfonias de Beethoven. Ela vai apresentar um repertório tanto familiar – com três das sinfonias de Beethoven – como desconhecido, uma vez que no festival raramente eram executados contemporâneos como o sueco Franz Berwald e o francês George Onslow.

Outras orquestras vão trazer variações na bagagem. A Staatskapelle Berlin, sob a regência de Daniel Barenboim, fará o concerto de abertura. Está prevista também a apresentação da Orquestra do Festival de Budapeste, sob a regência de Ivan Fischer, e da Orquestra Sinfônica de Viena, com o maestro Philippe Jordan. O sonho de Nike Wagner de convidar todas as orquestras sinfônicas de rádio da Alemanha até 2020 foi realizado.

A WDR-Sinfonieorchester, sob a direção do seu regente-chefe Jukka-Pekka Sarastem e a SWR- Sinfonieorchesterm de Baden Baden e Freiburg, com o maestro Lothar Zagrosek, devem participar. Sem esquecer de uma das principais atrações desta edição, a Orquestra Filarmônica de Israel com seu laureado maestro Zubin Mehta. No segundo dia de festival, em 5 de setembro, ela vai executar a 9ª Sinfonia de Gustava Mahler.

A música de câmara não vai perder tanto espaço: ficou reduzida, mas ainda terá 54 eventos no programa. Na programação está o duo de piano com Yaara Tal e Andreas Groethuysen, a violoncelista Sol Gabetta e, iniciando um projeto de três anos onde todas as sonatas de violoncelo de Beethoven serão apresentadas, o violoncelista Nicolas Altstaedt e o pianista Alexander Lonquich.

Além da convenção

Além do repertório central, o festival também oferece algo incomum. O artista holandês Jaap Blonk vai explorar os limites entre o discurso e o canto com riqueza de variações.

Projetos voltados à capacitação dos jovens, como um específico de gestão de escolas, se tornaram tradição na Beethovenfest nos últimos anos. Neste ano, os estudantes serão colocados na posição de organizadores de concertos com o evento "Caribbean Showdown", que contará com o multipercussionista Martin Grubinger. A ação "Für 8 um 8", que venderá ingressos que sobrarem na bilheteria por oito euros, é outra ideia para despertar na juventude o interesse por concertos de música clássica.

Nike Wagner und Jürgen Nimptsch

Nike Wagner e prefeito de Bonn Jürgen Nimptsch

O início da era Nike Wagner à frente da Beethovenfest também deve ser marcado por eventos interdisciplinares, como a cooperação entre a coreógrafa Stephanie Thiersch com o Asasello-Quartett, ela convidará todos os envolvidos ao palco, e dançarinos e músicos irão interpretar a Grande Fuga, de Beethoven. Na ocasião, não faltarão também sons eletrônicos e mais variações musicais com formações de jazz, com Jan Gabarek e suas conhecidas leituras de obras de Beethoven.

Beethovenfest pelo mundo

Nesta edição, no centro do campus da orquestra da Beethovenfest e da DW, está a compositora chinesa Zulan. Encomendada pela DW, a sua nova obra também se refere a Ludwig van Beethoven.

A Orquestra Nacional Jovem da Alemanha fez, há poucas semanas, pela primeira vez, uma turnê pela China e vai se apresentar para o público em Bonn no dia 25 de setembro.

A DW é a principal parceira da Beethovenfest e vai cobrir o evento pela TV e com matérias no site. Serão gravados 15 concertos, que poderão ser acompanhados em áudio. Além disso, será disponibilizada por 30 dias uma seleção de concertos na página da DW para serem ouvidos no sistema Audio on Demand. A Beethovenfest tem também o apoio da Prefeitura de Bonn, da Deutsche Post e da Deutsche Telekom.

Leia mais