1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Bayern de Munique e Colônia conseguem trégua em suas crises

Sorte esteve ao lado do Bayern em partida típica de decisão. Mesmo sem jogar, Élber ganha cartão amarelo. Colônia revela-se a zebra da rodada. Leverkusen e Schalke também classificam-se para quartas-de-final.

default

Knavs colou em Jancker e impediu o atacante do Bayern de jogar

Bayern de Munique e Colônia conseguiram dar a volta por cima. Os dois times que vivem momento de crise no Campeonato Alemão classificaram-se, na noite de quarta-feira, para as semifinais da Copa Alemanha e podem provisoriamente suspirar. O Bayern derrotou o Kaiserslautern na disputa de pênaltis (5x3), enquanto o Colônia surpreendeu o Hertha, em Berlim, vencendo por 2x1 na prorrogação.

Bayer Leverkusen e Schalke cumpriram seus papéis de favoritos e igualmente classificaram-se sem dificuldades. O Leverkusen derrotou o 1860 Munique por 3x0 e o Schalke, o Rot-Weiss Oberhausen por 2x0. As partidas semifinais serão definidas na noite de sábado, através de sorteio.

Kaiserslautern 3 x 5 Bayern de Munique (nos pênaltis)

A partida teve clima de decisão. O nervosismo deixou o jogo muito truncado, marcado por atritos entre jogadores – cotovelada, tapa, agarramento, puxões, empurrões –, sem espaço para jogadas criativas e bonitas.

Quase todas as investidas de ataque eram interrompidas por faltas, de ambos os lados. Com isto, as oportunidades de gols foram escassas, no que a arbitragem ainda colaborou, ao interromper três contra-ataques (dois do Bayern e um do Kaiserslautern) com marcações indevidas de impedimento.

Além disto, faltou pulso ao juiz Jürgen Janssen, que pareceu ter esquecido o cartão vermelho em casa. Logo no início, devia ter dado, no mínimo, um amarelo para Kahn, por uma cotovela em Klose após uma defesa.

Tapa na cara - Janssen viu o lance desleal, mas preferiu apenas chamar a atenção do goleiro do time bávaro. Mais tarde, deu somente amarelo para Lincoln, que dera um tapa na cara de Fink. E quase no fim ignorou uma entrada violenta de Hargreaves em Basler, para não ter de expulsá-lo, uma vez que o inglês já tinha um amarelo.

Para completar sua atuação desastrada, Janssen puniu Élber com um cartão amarelo, mesmo estando o brasileiro fora do jogo, se exercitando junto à linha de fundo. A razão da advertência permanece desconhecida.

O Kaiserslautern chegou a merecer a vitória. Mas a sorte esteve quase sempre ao lado do adversário. Aos 12 minutos, Lincoln sofreu um pênalti, que ele mesmo cobrou. Goleiro para um lado, cobrança para o outro, o brasileiro já comemorava, quando a bola bateu na trave, sendo afastada pela zaga bávara. Na segunda etapa, Klose desperdiçou duas oportunidades. Em toda partida, os visitantes só tiveram uma única chance de gol, numa cabeçada de Pizarro, ainda aos 35 minutos do primeiro tempo, defendida pelo goleiro Koch.

Na prorrogação, não foi diferente. Só o Kaiserslautern criou situação para abrir o placar. Basler cobrou uma falta, mas a bola mais uma vez encontrou o travessão. E quase no fim, Kahn mostrou bom reflexo ao segurar uma cabeçada de Lokvenc.

Nos pênaltis, a sorte mostrou novamente estar ao lado do Bayern. Em sorteio, a moedinha decidiu que as cobranças seriam do lado da torcida bávara, mau prenúncio. Os visitantes começaram chutando e não desperdiçaram nenhuma chance. Já Bjelica bateu para fora a terceira cobrança do Kaiserslautern. Pizarro definiu o marcador.

Hertha Berlim 1 x 2 Colônia (na prorrogação)

Poucos berlinenses tiveram ânimo de apoiar sua equipe no Estádio Olímpico. Pareciam ter previsto o desastre que a noite lhes reservava. Apesar do esforço de Marcelinho Paraíba, o Hertha foi incapaz de superar a retranca do Colônia, que estreava seu técnico interino, Christoph John.

Após um primeiro tempo fraqüíssimo, os anfitriões voltaram a campo com o belga Bart Goor, que logo abriu o placar. Mas aos 40 minutos, Zellweger empatou a partida e a levou para a prorrogação. Em seu retorno à equipe, o capitão Lottner fez, na prorrogação, o gol da vitória, a única zebra da rodada.

Bayer Leverkusen 3 x 0 Munique 1860

Apesar de dominar desde o início, o líder da Bundesliga só foi marcar seus gols no segundo tempo, através de Berbatov (2) e Brdaric. Em alguns momentos, o 1860 chegou a assustar em contra-ataques, mas sem eficiência. Foi uma vitória tranqüila, tal como pretendida para poupar os jogadores para o clássico de domingo em Munique contra o Bayern, pelo Campeonato Alemão.

Schalke 2 x 0 Rot-Weiss Oberhausen

Apesar da goleada do fim de semana sobre o Bayern de Munique, o defensor do título da Copa Alemanha não entrou com salto alto, mas em ritmo de treino contra o último representante da segunda divisão.

O placar foi aberto aos 30 minutos, por Böhme, ao cobrar um pênalti duvidoso. Na etapa complementar, o juiz ignorou uma falta na área a favor do Rot-Weiss, dando argumento para os derrotados justificarem seu fracasso. Quatro minutos antes do fim, o habilidoso Möller fechou o placar num belo passeio individual pela zaga adversária.