1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Bayern é campeão mundial com gol de Kuffour

Zagueiro de Gana garante o segundo título mundial para o time de Munique e oferece o gol à sua filha e à sua mulher.

default

Kuffour disputa bola com Riquelme na vitória dos alemães por 1 a 0

Com um gol marcado pelo zagueiro Sammy Kuffour aos 4 minutos do segundo tempo da prorrogação, o Bayern de Munique sagrou-se campeão mundial em Tóquio pela segunda vez em sua história. O herói da conquista e jogador da seleção ganesa, que ganhou um carro da Toyota, patrocinadora do evento, ofereceu seu gol à filha e à esposa. Quanto ao carro, o atleta não guardou segredo. "Vou andar com ele em Gana, junto com a minha mãe", revelou contente.

A partida foi marcada pela disputa de bola no meio campo, com os dois times cometendo muitas faltas. A primeira grande oportunidade surgiu para o Bayern aos 19 do primeiro tempo, quando o atacante peruano Pizarro chutou perto da trave. Aos 29 minutos, Delgado desperdiçou a maior chance do Boca em todo o jogo, depois de uma falha grotesca de Kuffour. No último minuto do primeiro tempo, o mesmo Delgado foi expulso, depois de "encenar" um pênalti, pois já tinha levado um cartão amarelo por fazer um gol e não atender ao apito do juiz num impedimento.

Com isso, o Boca voltou bem retrancado na segunda etapa, cometendo muitas faltas e explorando os contra-ataques. Apesar da superioridade numérica, o time da Baviera não quis arriscar. Élber teve uma atuação apagada, deixando a desejar nas conclusões e na participação nas jogadas de seu time. Por outro lado, Paulo Sérgio mostrou bastante movimentação dos dois lados do campo. Buscou armar jogadas perigosas e revelou disposição para enfrentar a compacta defesa argentina. Apenas aos 38 minutos do segundo tempo o Bayern ameaçou o time de Buenos Aires, quando Pizarro, outra vez, concluiu com perigo um passe do suíço Sforza, que tinha entrado no lugar de Hargreaves, para uma defesa arrojada do goleiro colombiano Córdoba.

Enfim a vitória

Na prorrogação, o time de Munique continuou insistindo contra o encurralado Boca, que se limitava a segurar a bola com Riquelme e cavar faltas inexistentes em vários setores do campo. O treinador Ottmar Hitzfeld, tentando dar mais poder ofensivo à sua equipe, substituiu no fim do tempo normal o meia Kovac pelo atacante Carsten Jancker. Este, por sua vez, apareceu bem no comando do ataque e desperdiçou a maior oportunidade do Bayern na partida até então, quando Pizarro tocou para trás e deixou o centroavante livre na marca do pênalti para concluir. O alemão chutou fraco, facilitando a defesa de Córdoba.

Depois de tanta pressão, finalmente o Bayern deu o passo decisivo para trazer para Munique a Copa Intercontinental. Na cobrança de um escanteio por Sforza, Pizarro cabeçeou para o gol e o zagueiro Rodriguez, embaixo da trave, salvou momentaneamente os argentinos. Na confusão, Élber pressionou o argentino, o que ajudou o ganense Kuffour a concluir para as redes, com o gol vazio. A partir de então, a equipe alemã soube tocar a bola e fazer o tempo passar, garantindo o seu segundo título mundial na história. Agora, os times europeus possuem 19 conquistas contra 21 dos sul-americanos, desde que a disputa entre os ganhadores da Libertadores de América e da Liga dos Campeões foi estabelecida, em 1960.

  • Data 28.11.2001
  • Autoria Marco Justo Losso
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/1PzR
  • Data 28.11.2001
  • Autoria Marco Justo Losso
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/1PzR