1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Baviera confirma autenticidade de vídeo de autor de atentado

Secretaria do Interior do estado alemão afirma que jovem que aparece em imagens divulgadas pelo "Estado Islâmico" com uma faca na mão e fazendo ameaças em pachto é agressor de Würzburg.

Cena de vídeo que mostra autor de ataque em Würzburg

Cena de vídeo que mostra autor de ataque em Würzburg

A milícia terrorista "Estado Islâmico" (EI) divulgou nesta terça-feira (19/07) um vídeo que mostra o autor do atentado num trem regional em Würzburg, no sul da Alemanha, na noite de segunda-feira. A Secretaria do Interior da Baviera confirmou a autenticidade das imagens.

"O homem no vídeo é o agressor de Würzburg", disse um porta-voz do secretário do Interior do estado, Joachim Herrmann, à agência de notícias DPA.

Nas imagens, o jovem, um afegão de 17 anos identificado como Muhammad Riyad, afirma em pachto ser um soldado do "Estado Islâmico". Com uma faca na mão, ele alerta que daria início a uma "operação" na Alemanha.

Assistir ao vídeo 01:05

"Estado Islâmico" reivindica ataque na Baviera

Segundo a Secretaria do Interior da Baviera, a identidade do jovem que aparece no vídeo foi confirmada em parte com base em relatos de testemunhas, que o reconheceram como o jovem que cometeu o atentado.

O grupo extremista já havia reivindicado o ataque mais cedo, afirmando que o agressor era um de seus "guerreiros".

Uma bandeira do EI foi encontrada no quarto do jovem, junto a um papel escrito em pachto, parte em alfabeto árabe e parte no alfabeto latino, que pode ser uma carta de despedida.

Contato com jihadistas

As autoridades alemãs têm se limitado a classificar o atentado, que deixou cinco feridos, como uma ação de motivação "política" e "religiosa islâmica", evitando o termo terrorismo.

O presidente do Departamento Federal de Investigações da Alemanha (BKA), Holger Münch, disse que o fato do vídeo ser autêntico não prova que o agressor mantinha contato com a organização jihadista.

"O EI costuma reivindicar com prazer atentados cometidos em seu nome ou não. Isso é parte de sua estratégia de propaganda", afirmou Münch.

Manchas de sangue no interior do trem regional

Manchas de sangue no interior do trem regional

Até que ponto o "Estado Islâmico" estava de fato envolvido "ainda precisa ser investigado", afirmou o chefe de gabinete da chanceler federal Angela Merkel, Peter Altmaier, que também é coordenador do governo alemão para refugiados, à emissora pública ZDF.

O ataque

O atentado aconteceu na noite de segunda-feira, nos arredores de Würzburg, no sul do país. Com uma faca e um machado, o jovem afegão atacou passageiros de um trem regional, deixando ao menos cinco feridos. Outras14 pessoas ficaram em estado de choque.

Segundo os investigadores, havia de 25 a 30 pessoas no trem no momento do ataque. O agressor fugiu pouco antes da chegada a Würzburg, quando o sistema de freios de emergência parou a locomotiva.

Herrmann disse que um comando especial da polícia estava por acaso na região, atendendo a uma outra ocorrência, e iniciou a perseguição do agressor. Este teria atacado os policiais, que revidaram e o mataram a tiros, disse o secretário.

O jovem tinha 17 anos e era um refugiado vindo do Afeganistão. Ele chegou à Alemanha havia dois anos e recebeu refúgio como menor desacompanhado. Ele morou durante um tempo num abrigo em Ochsenfurt e, nas últimas semanas, vivia com uma família.

Vítimas de Hong Kong

Quatro dos cinco feridos no ataque são de Hong Kong, afirmou o chefe de governo da região administrativa chinesa, Leung Chun-Ying, nesta terça-feira. Membros da representação comercial de Hong Kong em Berlim visitaram as vítimas no hospital de Würzburg.

Segundo o jornal South China Morning Post, trata-se de uma família e um amigo dela. Os quatro feridos são o pai, de 62 anos, a mãe, de 58, a filha, de 27, e o namorado dela, de 31 anos. Um quinto membro do grupo, o filho de 17 anos, escapou ileso. Segundo o jornal, o pai e o namorado da filha tentaram proteger o grupo do ataque.

Uma mulher de identidade não revelada foi ferida pelo agressor no momento em que este deixava o trem, disseram autoridades.

Herrmann disse que a família de Hong Kong deve ter se tornado alvo do ataque por acaso. Segundo ele, uma das vítimas continua internada em estado grave e corre risco de vida. Horas antes ele havia dito que dois feridos no ataque ainda corriam risco de vida, sem especificar quais seriam.

AS/EK/efe/dpa/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados