Banco suíço lança polêmico manual de vestuário para funcionários | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.12.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Banco suíço lança polêmico manual de vestuário para funcionários

Gigante bancário UBS criou um manual de 43 páginas instruindo seus funcionários na hora de escolher a roupa para trabalhar. As observações incluem até regras sobre o uso de roupas íntimas.

default

Manual exige que gravata combine com a 'morfologia do rosto'

O gigante bancário suíço UBS lançou em meados de dezembro um novo guia de vestuário que não deixa quase nada ao sabor do acaso. O manual é meticuloso, indo, literalmente, dos pés à cabeça: desde coloração de cabelo (tabu absoluto para os homens) ao uso de meias (as com estampa do Mickey Mouse, por exemplo, devem ficar em casa).

As regras são claras e incluem proibições bastante óbvias, como tatuagens, piercings e correntes nos tornozelos (quem ainda usa isso, afinal?). Mas há diretrizes mais esotéricas, como a que diz que gravatas que destoem da "morfologia do rosto" não devem ser usadas.

Tudo gira em torno de um "comportamento irreprochável", o qual, segundo o código de vestuário, "implica uma apresentação impecável".

Aparência = lucros?

O UBS vem tentando recuperar sua reputação, após acumular prejuízos recordes durante a crise financeira e receber ajuda financeira bilionária.

Ao que tudo indica, o raciocínio do banco é o seguinte: uma vez que seus funcionários se tornem autômatos vestidos com requinte, os gráficos de lucros voltarão a subir.

Segundo a instituição suíça, as sugestões foram dirigidas a um pequeno grupo de empregados de cinco agências experimentais na Suíça, mas poderão ser ampliadas. Um porta-voz do UBS afirma que os funcionários reagiram bem às normas.

Visual é rei

Bank UBS in Zürich

UBS passa por tempos dificeis

"Claro que a aparência é importante para o profissional de qualquer setor. Assim tem sido desde a Idade Média, e até antes", afirma Andreas Köhler, fundador da sede alemã da empresa de consultoria The Image Consultants.

Köhler considera compreensível uma empresa tentar manter sua imagem, já que a percepção é soberana. E lembra que na Guerra Civil norte-americana, não se usar o tipo correto de barba poderia significar que se estava do lado do inimigo, motivo para levar um tiro.

"Mas claro que é um pouco embaraçoso a empresa fazer sugestões tão detalhadas em seu código de vestuário", admite Köhler.

Ferro tabu

As mulheres devem maneirar com o perfume aplicando-o, de preferência, logo após o banho quente, reza o manual. E só depois da loção para o corpo, enquanto os poros estão abertos.

Elas também devem evitar o uso de jóias muito "chamativas", ou saias "muito apertadas atrás". A roupa íntima não deve ser "visível por debaixo da roupa ou aparecer para fora da mesma." Aconselháveis são os sutiãs "cor da pele por baixo das blusas brancas".

Os homens devem deixar as unhas com 1,5 milímetro de comprimento e só usar os mesmos sapatos (de cadarço) em dias alternados, permitindo que o couro respire e se recupere.

E, homens, pelo amor de Deus, "jamais lavem nem passem suas próprias camisas"!

Autor: Kyle James (np)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais