Banco Central Europeu eleva taxa de juros e garante apoio a Portugal | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 07.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Banco Central Europeu eleva taxa de juros e garante apoio a Portugal

Foi o segundo reajuste no índice este ano visando conter o avanço da inflação. Presidente da instituição, Jean-Claude Trichet, assegura liquidez a Portugal.

default

Trichet afirma que BCE vai monitorar a inflação na zona do euro

Pela segunda vez este ano, o Banco Central Europeu (BCE) aumentou nesta quinta-feira (07/07) a taxa básica de juros e sinalizou com uma nova política de maior arrocho para conter a inflação, apesar do aprofundamento da crise de débito na zona do euro. Com a elevação de 0,25 ponto percentual, a taxa básica nos países-membros agora alcança 1,5% ao ano.

Já a inflação está atualmente calculada em 2,7% entre as economias que adotam o euro – acima da meta de até 2% instituída pelo BCE.

O banco ainda ofereceu ajuda a Portugal, que se encontra sob forte pressão depois que a agência de classificação de risco Moody's rebaixou esta semana em quatro classificações a nota do país, fazendo com que alcançasse o nível "especulativo", ou "lixo". A intenção é continuar oferecendo liquidez ao país.

"Vamos continuar monitorando atentamente o desenvolvimento deste risco crescente para a estabilidade dos preços", afirmou o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira.

Antes mesmo da entrevista, economistas já haviam ressaltado que o uso desta frase significaria um novo aumento nos juros até o fim de dezembro, provavelmente programado para o último trimestre do ano.

Já em Londres, o Banco da Inglaterra manteve a taxa básica de juro no país – que não faz parte da zona do euro – num nível baixo recorde de 0,5%. O índice deve permanecer o mesmo até o ano que vem, avaliam economistas.

Elevação esperada

O aumento dos juros já vinha sendo aguardado pelo mercado após recentes declarações de representantes do banco, afirmando que a instituição estaria no "modo de vigilância forte" – código tradicionalmente usado para sinalizar um aumento. Para analistas, não houve surpresas no anúncio do BCE.

Os dados mais recentes sobre a economia da zona do euro são frustrantes. As demandas do setor industrial cresceram menos que o esperado, enquanto o crescimento do setor de serviços, dominante no bloco, desacelerou acentuadamente.

Liquidez para Portugal

ILLUSTRATION - Portugiesische Euromünzen liegen am Montag (10.01.2011) in Schwerin auf einer Nationalflagge von Portugal. Das hoch verschuldete Euro-Land Portugal wird doch die Finanzhilfe der Europäischen Union beantragen. Das erklärte der Finanzminister der geschäftsführenden Regierung, Fernando Teixeira dos Santos, am Mittwoch (06.04.2011) in Lissabon. Foto: Jens Büttner dpa/lmv

Portugal sob forte pressão após rebaixamento de classificação de risco

O rebaixamento da nota de Portugal no ranking da Moody's, esta semana, abalou o mercado financeiro e levantou novas dúvidas sobre a efetividade dos esforços da Europa para resgatar países em crise na zona do euro.

O BCE prometeu garantir a liquidez aos bancos da zona do euro e Trichet afirmou que o títulos portugueses serão aceitos pela instituição, independentemente da classificação do país por agências de rating. Segundo ele, o BCE suspendeu a exigência de classificação mínima para Portugal. Esta decisão também já havia sido tomada em relação à Grécia e à Irlanda.

MS/rts/afp
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais