1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Balanço positivo da Copa das Confederações

Os organizadores do torneio que reuniu os oito times campeões do futebol internacional fizeram um balanço positivo do evento.

default

Franz Beckenbauer afirma que torneio foi um sucesso

Um bom futebol, uma boa atmosfera e uma organização quase impecável: para o presidente da Fifa, Joseph Blatter, e o presidente do Comitê Organizador do Mundial (CO), Franz Beckenbauer, a Copa das Confederações pode ser considerada um grande sucesso. "Se analisarmos de modo geral, tudo foi positivo", frisou Blatter durante coletiva sobre o evento, realizada em Frankfurt.

Desde o começo, a Copa das Confederações foi classificada como uma prévia de como será o Mundial de 2006 em solo alemão. Com isso, a responsabilidade foi ainda maior. Beckenbauer aproveitou a ocasião para agradecer a todos os colaboradores, que realizaram "um excelente trabalho".

Confederations-Cup Halbfinale Deutschland Brasilien

Torcedores da Alemanha e Brasil

O presidente do CO também teceu elogios aos fãs do futebol. "Quase sempre o clima era de festa. Se alcançarmos este mesmo patamar no próximo ano, podemos nos dar por satisfeitos."

Para ele, a Alemanha conseguiu apresentar um nível de organização e infra-estrutura nesta competição que deve se repetir na Copa. "Este torneio teve o formato certo e o ritmo adequado. A atmosfera nos estádios era semelhante a de jogos do Mundial", afirmou.

Brilho ofuscado

Apesar dos elogios e do balanço positivo, dois aspectos impediram que o brilho da Copa das Confederações fosse ainda maior: os casos de doping e a invasão de torcedores em campo.

Em apenas quatorze jogos, quatro fãs conseguiram furar a segurança e invadir o campo, interrompendo a partida. Na semifinal Brasil x Alemanha, por exemplo, um espanhol de 27 anos paralisou o jogo ao entrar correndo pelo gramado, tocar em seu ídolo, Ronaldinho, e voltar a correr eufórico até ser pego pelos seguranças.

"Isto é chato e irritante. O CO tem a obrigação de acabar com isso", reclamou o técnico alemão Jürgen Klinsmann. Beckenbauer reconhece que este é um problema que ainda precisa ser resolvido. "O que mais me incomoda é que estes malucos conseguem atrapalhar a festa". Ele adiantou que medidas serão tomadas, sem entrar em maiores detalhes.

Innenministerkonferenz zur Fußball-WM 2006, Schily spielt Fussball

Ministro do Interior da Alemanha, Otto Schily

As invasões em campo também preocupam o ministro do Interior, Otto Schily. "Isso não pode se repetir na Copa." Ele explicou que da mesma forma como estes quatro invasores foram inofensivos, poderiam ser também mal-intencionados, causando conseqüências sérias.

Medidas preventivas

Os dois casos de doping envolvendo os jogadores mexicanos Salvador Carmona e Aaron Galindo não passaram despercebidos. Blatter informou que aguarda uma sanção da Federação Mexicana de Futebol antes de a Fifa se pronunciar a respeito.

Com base neste incidente, a Fifa pretende incrementar as medidas preventivas antidoping. Uma idéia cogitada seria exigir que cada jogador apresente um teste feito pela entidade que comanda o futebol de seu país antes da Copa.

Ainda em relação à saúde dos atletas, os organizadores pretendem submeter os jogadores a um exame cardiológico. O objetivo é evitar uma tragédia semelhante à ocorrida há dois anos, na semifinal da Copa das Confederações, quando o craque Marc-Vivien Foé, da República dos Camarões, teve morte súbita em campo, vítima de uma ataque cardíaco.

Espetáculo inesquecível

A meta da Alemanha é oferecer aos fãs do futebol um espetáculo inesquecível em 2006. Esta Minicopa indicou que o Comitê Organizador está no caminho certo para alcançar este objetivo.

Mas não basta apenas que tudo corresponda às expectativas se os jogos não forem atraentes. Neste sentido, Beckenbauer ressaltou que a Copa das Confederações ofereceu um bom show de bola. "Acompanhamos ótimos jogos e temos que reconhecer que as duas melhores seleções chegaram à final." Apesar de a Alemanha disputar apenas o terceiro lugar, não desmereceu a equipe. "A seleção alemã contribuiu em muito para o sucesso deste torneio", resumiu Beckenbauer.

Leia mais