1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

BAIXA NATALIDADE NA ALEMANHA

A baixa natalidade na Alemanha, a era Bush, as eleições na Rússia, meio ambiente, Aids e trabalho escravo foram, entre outros, os temas comentados por nossos usuários esta semana. Leia aqui, vale a pena!

default

A taxa de natalidade continua baixando na Alemanha e, na minha opinião, isso acontece porque o governo ainda não entendeu que não é dinheiro o que as mulheres realmente querem, mas ajuda para conseguirem cumprir as tarefas que se propõem e que a própria sociedade exige delas. Dinheiro é ótimo, mas só estimula mulher que não gosta de trabalhar e trabalha "porque precisa", o que não fará dela uma boa mãe, por exemplo, muito ao contrário. [...]

As verdadeiras profissionais - a mulher que estudou, que gosta de trabalhar, que quer ter uma carreira - estão interessadas em manter o que conquistaram, por isso, preferem abrir mão da maternidade a ficar limpando chão e popô de nenê com aquele sorriso de felicidade nos lábios que só os homens (idiotas) enxergam!

Uma mulher tem de receber do governo condições para ser mãe e profissional ao mesmo tempo; ter uma carreira gratificante e ao mesmo tempo uma família. O índice de frustração da dona de casa alemã é fantástico, a taxa de divórcio é bastante alta e a culpa é dessa sociedade ultraconservadora, que insiste em sacrificar a mulher - isso é injusto e quem é esperta está tentando cair fora da estrutura perversa! [...]
Regina Drummond

ERA BUSH ESTÁ ENCERRADA

Ainda que a era de Bush e seus falcões esteja encerrada, há toda uma geração de aves de rapina em gestação nos EUA. Já nos dias subseqüentes ao atentado do WTC, George Soros alertou que os Estados Unidos estavam agindo como um animal ferido e que isso não seria bom para o mundo inteiro. Foi o que aconteceu. Eu também me lembro do embaixador francês na Grã-Bretanha, afirmando que a França já foi uma potência imperial alguns séculos antes dos EUA, e que os franceses aprenderam com seus erros, que se não for possível conquistar os corações e mentes dos povos subjugados, nenhuma vitória será possível a longo prazo. Ocorre, entretanto, que o poder permanente dos EUA parece recusar-se a aprender com os erros do passado, notadamente os do Vietnã. Há uma " wille zur macht" [vontade do poder] irrefreável nas elites americanas, e infelizmente, não são meras palavras que vão chamar essas elites à reflexão.
Lyndon C. Storch Jr.

VLADIMIR PUTIN E DMITRI MEDVEDEV

Temos que tomar muito cuidado com previsões quando o assunto é Rússia. Não devemos nos esquecer que quando Ieltsin legou o poder para o então desconhecido Vladimir Putin, os ditos especialistas e analistas afirmavam em uníssono que ele seria apenas uma marionete de fácil controle nas mãos dos oligarcas e da chamada "família". E o que aconteceu foi justamente o contrário: Putin erradicou tais elementos do poder russo. O cargo de chefe de Estado russo concentra poderes formidáveis. Como bem disse o analista da DW, podem acontecer surpresas.

Pessoalmente, penso que foi outro golpe de mestre de Putin. Mesmo que ele continue a influenciar os rumos da política russa, como primeiro-ministro ou não, Medvedev é a melhor opção disponível para conduzir a Rússia nos próximos anos. Só o fato de não ser oriundo dos aparatos de segurança ou do antigo KGB (motivo pelo qual os governos e a mídia internacionais já recebem com quatro pedras na mão), bem como acreditar nos ideais de liberdade e diálogo com o Ocidente, já apresenta-nos fatores muito encorajadores.
Miguel Galante Rollo

A Europa Ocidental tão democrática, liderada pela potência econômica da atual Alemanha, comete o ultraje de caluniar e desdenhar as eleicões russas. Não importa o que Putin fez ou desfez, não interessa se seu sucessor ao posto mais alto do Kremlin virá a fazer ou não. Não adianta. [...] De fato, Berlim não está interessada de modo algum em ver a Rússia crescer de novo em qualquer âmbito. Vocês têm tanto mêdo da Rússia que chega a dar pena da vulnerabilidade alemã e de outros países europeus, que tanto dependem das riquezas naturais da Rússia. [...]

Arthur Cardoso da Costa Júnior

REESTATIZAÇÃO – VALE DO RIO DOCE

Não, a Vale não deve ser reestatizada, pois ainda não vi uma empresa do governo dar lucro, e ter uma administração séria. Acredito que o melhor para o país é a privatização. Estatização é só para quem não quer trabalhar.
Antonio José Assumpção

A companhia vem crescendo ascendentemente, o que me faz acreditar que reestatização não seria uma boa, pois os seus números são execelentes em relação às outras grandes multinacionais, que diferentemente dela vêm caindo com as suas errôneas escolhas! Afinal, em time que está ganhando não se mexe.
Italo Machareth

PENA DE MORTE

A pena de morte já existe. Eu só posso conceber a existência de qualquer tipo de pena em vida; depois de mortos, todos são inocentes. Povos civilizados e cultos em geral não aprovam a pena de morte porque é uma coisa bestial e sem lógica. A maioria dos europeus tem um nível de evolução humana que faz com que saibam da incoerência da pena de morte.
Ariovaldo L. Lucas

PROTEÇÃO AMBIENTAL

O governo brasileiro deve fiscalizar com muito mais rigor o que se passa em nível de florestas. Punições severas deverão ser executadas, com a finalidade de coibir as queimadas, como também o egoísmo do ser humano em derrubar nossas árvores.
Carlos Alberto Moore

Está na hora de a União Européia e o Reino Unido também aderirem ao biocombustível. Basta utilizar o biodiesel somente para veículos de passeio e utilitários leves. Diesel de petróleo sómente para o transporte de cargas, como é no Brasil.
Jose Gurgel Tavares

Acredito que vai dar certo o pacote sobre redução de poluentes. A Alemanha é um país sério, e com pessoas realmente dedicadas e capacitadas na gestão do meio ambiente. É um grande passo, que a longo prazo trará beneficios mundiais.
Pedro Biora

"TROPA DE ELITE" VAI CONCORRER AO URSO DE OURO
Estou perplexo: o filme Tropa de Elite vai participar da Berlinale. O festival de cinema de Berlim só vai acontecer em fevereiro de 2008. Sempre lutei pelo cinema brasileiro e sempre me senti frustrado porque a cultura neste país não passa de ficção cientifica. Alguém pode me explicar como essa "coisa" foi escolhida para ir para o festival? Misericórdia!
Ariovaldo L. Lucas