Bélgica e Holanda homenageiam vítimas de desastre de ônibus na Suíça | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 16.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Bélgica e Holanda homenageiam vítimas de desastre de ônibus na Suíça

Milhões fizeram um minuto de silêncio durante um minuto em memória dos 28 mortos, entre eles 22 crianças, de acidente rodoviário. Autoridades investigam causas da tragédia.

Na manhã desta sexta-feira (16/03), milhões de belgas e holandeses homenagearam com um minuto de silêncio as vítimas de um desastre de ônibus ocorrido na Suíça na última terça-feira. As emissoras silenciaram e ônibus, metrôs e trens desligaram seus motores.

O acidente aconteceu quando 46 alunos de duas escolas belgas retornavam de uma semana de férias esquiando na Suíça. O ônibus que também transportava quatro professores e dois motoristas perdeu o controle dentro de um túnel e bateu numa parede de concreto. Dos 28 passageiros que morreram, 22 eram crianças – seis delas holandesas, segundo o Ministério holandês de Relações Exteriores. Seus corpos já começaram a ser trasladados.

Pouco antes do minuto de silêncio na Bélgica e na Holanda, às 11 horas, aviões militares haviam pousado na base aérea de Melsbroek, em Bruxelas, com os caixões das vítimas. Na Bélgica, as bandeiras ficaram hasteadas a meio mastro nesta sexta-feira. O Parlamento, a Comissão e o Conselho da União Europeia também aderiram ao silêncio na capital belga.

Além dos 22 vítimas fatais, as demais 24 crianças ficaram feridas no acidente. As primeiras sobreviventes com ferimentos leves haviam sido levadas às suas famílias em Bruxelas na noite de quinta-feira.

Causa do acidente

Busunglück Schweiz Belgien HEVERLEE Trauerfeier

População belga em luto pelas vítimas

A Suíça dará início a investigações detalhadas sobre o acidente. As afirmações da mídia belga de que o motorista do ônibus se distraíra, ao trocar um DVD, foram contestadas pela associação belga de transporte rodoviário FBAA e a empresa TopTours, proprietária do ônibus acidentado. A polícia falou em "meras especulações".

As autoridades suíças seguem investigando a partir de três hipóteses básicas: problema técnico, falha humana ou um problema de saúde agudo do motorista. O Departamento Federal de Autoestradas da Suíça (ASTRA) encarregou peritos de examinar as normas de construção de túneis. De acordo com porta-voz do ASTRA, Michael Müller, a regra de muros perpendiculares em áreas de emergência nos túneis será investigada. O ônibus se chocou contra uma parede desse tipo.

O governo belga criticou a divulgação de fotos de crianças mortas no acidente por diversos veículos belgas. "Há limites que não devem ser ultrapassados", disse a ministra flamenga de Mídia, Ingrid Lieten, segundo informações da agência de notícias Belga. Contudo, ressalvou, haveria uma diferença se as imagens aparecem em redes sociais ou se são exibidas em grande estilo.

Na noite de quinta-feira, o primeiro-ministro belga, Elio di Rupo, havia pedido "enfaticamente" aos repórteres, sobretudo os estrangeiros, que respeitassem a privacidade das vítimas e de suas famílias.

LPF/dpa/afp
Revisão: Augusto Valente

Leia mais