1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Axel Scheffler e o Grúfalo pelo mundo

Um dos mais renomados ilustradores e autores de literatura infantil alemã é, ao lado de Manfred Geier, um dos veteranos entre os autores alemães na Bienal do Livro do Rio.

Nascido em Hamburgo em 1957, Axel Scheffler tem um dos currículos mais invejáveis do campo de escrita em que se especializou: o da literatura infantil e da ilustração. É também um dos veteranos entre os autores alemães na Bienal do Rio, ao lado do ensaísta e historiador Manfred Geier.

A lista de autores privilegiou estreantes e autores razoavelmente jovens, como Olga Grjasnowa, Julia Friese e Carmen Stephan. Mas Scheffler é também um dos mais reconhecidos autores presentes na delegação.

Com Der Grüffelo (O Grúfalo), escrito por Julia Donaldson e ilustrado por Scheffler, seus autores conquistaram renome internacional. O livro vendeu mais de 10 milhões de cópias e foi traduzido para cerca de 40 línguas – entre elas o português do Brasil, onde foi lançado pela Brinque Book. De Davidson e Scheffler, o Brasil conhece ainda O caracol e a baleia, lançado pela Cosac Naify.

Vivendo em Londres, o interesse por seu trabalho, frequentemente ao lado de Julia Donaldson, tem ressonância mundial, e O Grúfalo transformou-se em filme em 2009, numa produção da BBC. Com direção dos alemães Jakob Schuh e Max Lang, a versão inglesa contou com as vozes de atores importantes como Helena Bonham-Carter, Robbie Coltrane e James Corden. Veiculado pela emissora ZDF na Alemanha, a dublagem ficou a cargo de Christian Ulmen, Heike Makatsch e Otto Sander.

Desculpas de camundongo

A personagem principal de O Grúfalo é um camundongo e seu passeio pela floresta, dividido em duas partes, nas quais encontra seus predadores naturais, como raposas, corujas e cobras, que tentam enganá-lo e levá-lo para casa, sob pretexto de amizade, para na verdade devorá-lo. O camundongo sempre recusa os convites, dizendo que já tem um encontro marcado com o tal "grúfalo".

Cover des Buches auf Portugiesisch O Grúfalo Rechte: Divulgação/Brinque-Book. Achtung: Nur zur Rezension dieses Buchs zu verwenden!

'O Grúfalo' foi lançado no Brasil pela Brinque-Book

O camundongo então o descreve, já que os animais não sabem o que é um "grúfalo", de forma a meter-lhes medo. Na segunda caminhada, ele encontra realmente o grúfalo, que também tenta devorá-lo, mas a quem o camundongo então leva a conhecer os outros animais. Por fim, consegue salvar-se incitando o medo naqueles que eram mais fortes que ele.

Confiança e esperteza contra o medo

O livro foi estudado por pedagogos, por sua maneira de lidar com os temores infantis, tão próprios da idade de seus leitores. Numa tradição como a da literatura infantil alemã, recheada de histórias quase de terror para crianças, como é o caso das colecionadas em Der Struwwelpeter (no Brasil, João Felpudo), de Heinrich Hoffmann em 1845, é interessante notar a maneira como Scheffler e Donaldson parecem querer reverter o medo e o terror em crianças, em confiança e esperteza contra o perigo.

Axel Scheffler trabalha também com outros autores, como Jon Blake, Paul Shipton, Toon Tellegen e o importante autor alemão Uwe Timm. Em 2009, a renomada editora Faber & Faber de Londres contratou-o para fazer novas ilustrações para a edição comemorativa dos 70 anos de publicação do livro Old Possum's Book of Practical Cats, com poemas infantis e absurdos de T.S. Eliot, na tradição de Lear e Carroll. Trata-se do livro que daria origem ao musical Cats, um dos mais famosos da Broadway.

Na Bienal do Livro, o ilustrador e seu colega alemão Ole Könnecke conversarão com Roger Mello sobre a criação de livros infantis.