1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Autoridades antiterror dos EUA receberão dados de passageiros europeus

Informações sobre passageiros de vôos da Europa serão fornecidas a todas as autoridades norte-americanas envolvidas no combate ao terrorismo. Estas, por sua vez, abrirão mão do acesso direto aos dados.

default

Até 34 dados por passageiro são passados adiante

O Conselho Europeu dos Ministros do Interior e da Justiça divulgou nesta sexta-feira (06/10), em Luxemburgo, o resultado de uma videoconferência realizada durante a noite com representantes dos Estados Unidos. O consenso põe fim ao impasse criado depois que a Corte Européia de Justiça considerou ilegal um acordo da União Européia com o governo norte-americano sobre o repasse de dados de passageiros de vôos com destino aos EUA.

O acordo agora negociado prevê que as companhias aéreas forneçam ao Departamento de Segurança Nacional norte-americano até 34 dados sobre os passageiros de vôos provenientes da Europa, afirmou o chefe dos negociadores europeus, Jonathan Faull.

Passagierschlangen in den USA

Controles são rigorosos na chegada aos EUA

Por sua vez, o órgão que foi criado nos Estados Unidos após os atentados de 11 de setembro de 2001 poderá repassar as informações a todas as autoridades do país envolvidas no combate ao terrorismo. "Certamente o FBI faz parte delas, mas não há nada de novo nisso", disse Faull. O comissário de Justiça e Interior Franco Frattini acentuou, no entanto, que só receberão as informações as repartições tiverem padrões comparáveis a respeito do sigilo de dados.

Renúncia ao acesso direto

Desde 2004, os Estados Unidos só dão permissão de aterrissagem a aviões europeus após terem recebido até 34 dados relativos a cada um dos passageiros. Fazem parte das informações o número do telefone, do cartão de crédito, o endereço eletrônico, mas também encomendas especiais em relação ao menu de bordo, o que permite tirar conclusões a respeito da religião do passageiro.

Até agora, as autoridades de fronteira norte-americanas tinham acesso diireto aos sistemas eletrônicos de reservas e vendas de vôos. Esse procedimento será substituído por um fornecimento ativo dos dados pelas linhas aéreas, esclareceu Frattini. A nova forma de intercâmbio, que exige a instalação de filtros nos computadores, deverá ser testada ainda antes do fim do ano.

O novo acordo tem validade provisória até julho de 2007. Até lá, precisará ser negociada uma solução definitiva, o que ocorrerá principalmente durante o período em que a Alemanha assumir a presidência rotativa da UE.

Problema dos vistos permanece

Reisepass mit Chip

Visto: questão não solucionada

Para a discórdia criada pela questão dos vistos não foi encontrada ainda uma saída. Alguns países-membros e a Comissão Européia criticam o fato de os Estados Unidos continuarem exigindo visto de entrada dos cidadãos de dez dos 25 países que compõem o bloco.

Os ministros chegaram a debater em Luxemburgo a introdução de um visto obrigatório para diplomatas dos EUA ou soldados norte-americanos estacionados na Europa. Mas o atual presidente do Conselho, o finlandês Kari Rajamäki, rejeitou qualquer iniciativa nesse sentido.

Leia mais