Autoridades alemãs detectam dioxina em ovos e carne de aves | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 03.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Autoridades alemãs detectam dioxina em ovos e carne de aves

Escândalo na Alemanha é desencadeado pela detecção de dioxina em ovos. Mais de mil propriedades agrícolas são fechadas preventivamente no estado da Baixa Saxônia. Investigações deverão se estender por várias semanas.

default

Parte dos ovos contaminados já chegaram ao consumidor

A razão do fechamento de inúmeros estabelecimentos rurais alemães foi a detecção da substância tóxica dioxina em ração animal, que teria sido vendida para todo o país. Não se sabe ao certo como o produto foi contaminado pela dioxina. A contaminação atinge não apenas a produção de ovos, mas também a de carnes de aves e de porco. A dioxina é uma substância cancerígena.

No estômago do consumidor

Na análise de 34 amostras de ovos, as autoridades sanitárias encontraram dioxina em 18. Não se sabe ainda, contudo, o volume total de produtos contaminados com dioxina espalhados pelo mercado no país. Boa parte dos ovos contaminados já deve ter sido vendida e consumida. Representantes da indústria alimentícia e do varejo tentam tirar os produtos possivelmente contaminados de circulação.

Agricultores do país temem as consequências do escândalo. O presidente da Associação dos Agricultores Alemães afirmou que os responsáveis pela contaminação da ração animal deveriam assumir a responsabilidade do problema por completo e de imediato. No entanto, disse ele, é preciso evitar que proibições de comercialização de produtos ameacem a subsistência dos agricultores.

Os produtos contaminados encontram-se em vários estados do país. Somente na Baixa Saxônia as autoridades fecharam em torno de mil estabelecimentos agrícolas. Na Renânia do Norte-Vestfália, foram preventivamente sacrificadas oito mil aves.

SV/dpa/ap
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais