1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Autoridades alemãs dão prazo à Volks

Departamento Alemão de Veículos Motorizados (KBA) estabelece prazo para montadora alemã apresentar plano de retífica de veículos. KBA poderá retirar licença de fabricação. Bosch advertiu Volks em 2007, diz jornal.

O jornal alemão Bild afirma, em sua edição deste domingo (27/09), que o Departamento Alemão de Veículos Motorizados (KBA, na sigla em alemão) deu prazo à montadora Volkswagen até 7 de outubro próximo para que entregue um plano delineando se e quando seus veículos estarão em conformidade com os padrões oficiais de emissão de gases poluentes – sem o uso do software manipulador.

No documento de duas páginas citado pelo Bild am Sonntag, o KBA afirma que está legalmente incumbido de "exigir as medidas necessárias para assegurar que os automóveis fabricados sejam postos em conformidade com o respectivo tipo aprovado [de veículo]"

Se a exigência do BKA não for atendida, diz o documento, a licença para a fabricação do tipo de veículo será retirada. Os automóveis afetados não poderão ser mais vendidos e deverão ser retirados das estradas.

Bosch advertiu Volks

O Bild revelou ainda que uma investigação interna da Volks encontrou uma carta da Bosch, de 2007, advertindo à montadora do uso ilegal de sua tecnologia com vista ao pós-tratamento de gases poluentes. A Bosch forneceu o software manipulador à Volks.

O software, no entanto, estava previsto para ser usado somente em testes, mas não durante a condução normal nas estradas, afirma o Bild. Segundo o jornal, a empresa Bosch alertou a Volkswagen, na ocasião, de que a planejada implementação do software era ilegal.

Em todo o mundo, 11 milhões de veículos de diferentes marcas da Volks foram afetados pelo escândalo de manipulação de valores de emissões. Desses, por volta de 2,8 milhões estão na Alemanha.

O escândalo forçou Martin Winterkorn, CEO de longa data da Volks, a renunciar na última semana. Na sexta-feira, ele foi substituído por Matthias Müller, ex-presidente da Porsche.

CA/dpa/rtr/afp

Leia mais