Autor do ataque de Nice tinha histórico de violência | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 15.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Autor do ataque de Nice tinha histórico de violência

Tunisiano era conhecido da polícia por roubo, violência armada e conjugal, mas não tinha registros de ligação com o terrorismo. Segundo vizinhos, ele era solitário, depressivo, instável e agressivo.

Caminhão usado em ataque em Nice

Caminhão usado no ataque em Nice

O autor do ataque em Nice, no sul da França, que matou ao menos 84 pessoas com um caminhão nesta quinta-feira (14/07) foi identificado por autoridades como sendo o tunisiano Mohamed Lahouaiej Bouhlel, de 31 anos.

Nascido em 1985 na Tunísia, Bouhlel tinha permissão de residência na França e morava em Nice. Ele foi identificado por meio das impressões digitais. Apesar de não estar na lista de vigilância dos serviços de inteligência franceses, era conhecido pela polícia por "violência com arma, violência conjugal, ameaças de roubo, mas com nenhuma ligação com o terrorismo", segundo veículos da imprensa local.

Bouhlel era casado, tinha três filhos e estava em processo de divórcio e desempregado. De acordo com testemunhos de vizinhos recolhidos pela emissora BFM TV, a religiosidade dele "não era evidente", e ele foi descrito como depressivo, instável e agressivo nos últimos tempos, em meio a dificuldades financeiras.

Ainda segundo vizinhos, Bouhlel era uma pessoa "discreta e silenciosa", que costumava vestir bermuda e se locomover de bicicleta e num pequeno furgão que estacionava perto de seu apartamento. Ele seria um solitário, que nunca respondia aos cumprimentos dos vizinhos.

Acidente de trabalho

Bouhlel obteve permissão para conduzir veículos pesados há alguns meses e trabalhava como entregador para uma empresa em Nice. Há cerca de um mês ele sofreu um acidente após dormir ao volante e ficou, então, sob controle judicial.

Ele havia alugado o caminhão usado no ataque da noite desta quinta-feira três dias antes, segundo a emissora France 2. Uma empresa de Saint Laurent du Var, a poucos quilômetros de Nice, alugou o veículo ao suposto terrorista, que atuou, segundo apontam todos os indícios, de maneira premeditada.

No momento do ataque, Bouhlel portava uma arma de calibre 7.65, que ele usou antes de ser abatido pela polícia. No caminhão também foram encontradas armas automáticas e munição, além de um cartão de crédito e um celular, que podem ajudar nas investigações.

Assistir ao vídeo 01:05
Ao vivo agora
01:05 min

Veja imagens do atentado em Nice

De acordo com a BFM TV, uma unidade da polícia especial francesa fortemente armada e investigadores forenses iniciaram buscas no apartamento de Bouhlel, no bairro de Nice Nord, na manhã desta sexta-feira. A esposa dele foi detida para ser interrogada.

Lobo-solitário?

Investigadores tentam agora descobrir se se trata de um chamado lobo-solitário ou se o agressor tinha cúmplices em Nice, conhecida por sua ligação com a militância islâmica. Nenhum grupo terrorista reivindicou o ataque.

Segundo fontes de segurança da Tunísia citadas pela agência de notícias Reuters, Bouhlel era natural da cidade tunisiana de Msaken, que ele visitou pela última vez há quatro anos. As autoridades não especificaram quando o homem viveu no país pela última vez.

No ataque desta quinta-feira, Bouhlel avançou com um caminhão contra milhares de pessoas que estavam reunidas na famosa avenida à beira-mar Promenade des Anglais para acompanhar a queima de fogos de artifício por ocasião do Dia da Bastilha, feriado nacional francês.

"Nem o local nem a data são coincidência", disse Claude Moniquet, ex-agente da inteligência francesa e consultor de segurança, ressaltando a presença jihadista em Nice e o fato de que o 14 de Julho marca a Revolução Francesa.

LPF/efe/lusa/rtr/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados