1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Autor de atentado a fábrica na França confessa decapitação

Investigadores apresentam primeiras informações sobre o autor de assassinato e subsequente atentado a uma usina de gás. Destinatário de selfie macabro foi identificado como francês supostamente morando na Síria.

Os investigadores franceses confirmaram neste domingo (28/06) que o presumível terrorista islâmico Yassin Salhi quebrou seu silêncio de dois dias. "Ele estava mudo, mas agora mudou a atitude", já informavam na véspera fontes próximas às autoridades em Lyon.

O pai de três crianças, de 35 anos, confessou ter assassinado e decapitado, possivelmente num estacionamento, seu patrão, Hervé Cornara, de 54 anos, dono de uma firma de entregas. Em seguida, partiu para um atentado contra a usina de gases industriais Air Products & Chemicals, em Saint-Quentin-Fallavier, no centro-leste da França, a cerca de 40 quilômetros de Lyon.

Lá, invadiu um depósito de substâncias perigosas com a camionete da firma de entregas, precipitando-a sobre bujões de gás e causando uma explosão, sem vítimas. Bombeiros que acorreram ao local o subjugaram, impedindo, assim, que provocasse novas explosões.

Selfie para a Síria

Ainda não está esclarecido se Salhi teve cúmplices, porém um indício nesse sentido é foto que tirou de si, segurando a cabeça de Cornara, e enviou pelo serviço de mensagens instantâneas WhatsApp a um número no Canadá.

A polícia identificou o destinatário como o francês Sébastien-Younès, originário de Besançon, que viajou para a Síria em 2014. As últimas notícias é que ele se encontraria em Rakka, no norte do país, cerca de 200 quilômetros a leste de Aleppo.

Segundo o canal de TV iTÉLÉ, sem confirmação oficial, o interrogado haveria se referido a uma discussão com a esposa, e uma testemunha teria mencionado tensões entre ele e o patrão. A esposa e a irmã de Salhi, em custódia policial desde a sexta-feira para interrogatórios, foram dispensadas. Também foi liberado um homem detido logo após o atentado sob "acusações de terrorismo".

Frankreich Paris Saint Quentin Fallavier Anschlag Gasfabrik

Saint-Quentin-Fallavier fica na região de Rhône-Alpes, centro-leste da França

França reforça segurança

Yassin Salhi já vinha sendo observado há mais de uma década pelos serviços de segurança franceses: em 2003 foram registrados seus contatos, no leste do país, com um salafista notório conhecido como "Ali". Em 2006 abriram-se investigações contra Salhi, que foram fechadas dois anos mais tarde. Entre 2011 e 2014, ele voltou a chamar a atenção das autoridades por ligações com o movimento salafista.

O ataque à Air Products coincidiu com o

massacre numa praia turística da Tunísia

e o ataque suicida a uma mesquita no Kuwait. Ainda se investiga uma eventual conexão entre os atos. Logo na sexta-feira, o presidente François Hollande decretou a elevação do nível de segurança para as quase 160 fábricas da região de Rhône-Alpes que trabalham com materiais perigosos.

Em reação ao atentado, o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, anunciou que será elevado o número de agentes de segurança: na polícia se criarão mais 500 vagas por ano, e os serviços de informações serão reforçados com 1.500 novos funcionários.

AV/rtr/afp/ap/dpa

Leia mais