1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

"Atual Alemanha não tem nada a ver com país anterior a 1945"

Embaixadores do Brasil, EUA, Grã-Bretanha, Rússia e Alemanha analisam em entrevista à DW-WORLD o significado dos 60 anos do fim da Segunda Guerra para a política atual.

default

José Artur Denot Medeiros, embaixador do Brasil em Berlim

"A atual Alemanha não tem nada a ver com a Alemanha anterior a 1945", afirma o embaixador britânico em Berlim, Sir Peter Torry. Além dele, a DW-WORLD ainda entrevistou quatro diplomatas sobre o significado dos 60 anos do fim da Segunda Guerra Mundial: outros dois embaixadores na capital alemã – José Artur Denot Medeiros (Brasil) e Vladimir Kotenev (Rússia) –, o embaixador alemão em Moscou, Hans-Friedrich von Ploetz, e o ministro-conselheiro John Cloud, Encarregado de Negócios dos Estados Unidos na Alemanha.

DW-WORLD: Qual o significado dos 60 anos do fim da Segunda Guerra Mundial para o seu país hoje?

Denot Medeiros (Brasil): Os 60 anos do fim da Segunda Guerra Mundial, episódio cujas perdas humanas e materiais foram sem par na História, oferecem à comunidade internacional oportunidade para reafirmação do compromisso incondicional com a solução pacífica das controvérsias, com os princípios do Direito Internacional, com as regras gerais de cooperação e de convivência fraterna entre os povos.

Chargé d'Affaires ad interim John A. Cloud

John Cloud, Encarregado de Negócios dos Estados Unidos na Alemanha

Cloud (EUA): Os arquitetos da aliança transatlântica instituída depois da guerra estabeleceram os rumos da diplomacia norte-americana e de todo o sistema internacional. A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) dela resultante e o Plano Marshall asseguraram segurança militar, desenvolvimento econômico e reformas regionais, bem como uma cooperação internacional mais ampla. As Nações Unidas também surgiram desta experiência. Com base neste fundamento, cabe agora à Europa e aos Estados Unidos difundirem conjuntamente a liberdade para além da região euro-atlântica e apoiar o mundo na superação dos desafios que forem surgindo. A secretária de Estado Condolleezza Rice disse: “Este é um momento de possibilidades inopinadas de liberdade para o ser humano, maiores do que em qualquer outra época desde a Segunda Guerra Mundial”.

Der britische Botschafter in Deutschland: Sir Peter Torry

Sir Peter Torry, embaixador britânico na Alemanha

Torry (Grã-Bretanha): Nós lembramos todos os que morreram entre setembro de 1939 e maio de 1945. Rememoramos centenas de milhares de soldados, marinheiros e pilotos aliados que sacrificaram sua vida para que outros possam viver, a fim de que a liberdade, paz e democracia novamente possam florescer na Europa. O sofrimento e o sacrifício que foram necessários para derrubar a ditadura nazista, jamais devem ser esquecidos. Ao mesmo tempo, devemos nos orgulhar do que alcançamos nos últimos 60 anos. Inimigos de outrora hoje são parceiros e amigos. As relações teuto-britânicas nunca foram tão boas como agora. A Otan e UE tornaram inimaginável uma guerra e trouxeram bem-estar e justiça à Europa. A atual Alemanha não tem mais nada em comum com a anterior a 1945.

Neuer russischer Botschafter Wladimir Wladimirowich Kotenew

Vladimir Vladimirowich Kotenev, embaixador russo em Berlim

Kotenev (Rússia): Sem exageros, esta data é sagrada para todo cidadão russo. A vitória sobre o fascismo, há 60 anos, foi um ato de toda a humanidade progressista, mas a União Soviética prestou a contribuição decisiva. Nosso país pagou um preço muito alto pela vitória: 27 milhões de mortos, dos quais 18 milhões de vítimas civis, 33 mil cidades e povoados completamente destruídos. Apesar disso, vencemos e superamos a guerra. O 9 de maio é para nós motivo de orgulho e ao mesmo tempo "um dia de memória com lágrimas nos olhos".

Der deutsche Botschafter für Rußland: Hans Friedrich von Ploetz

Hans Friedrich von Ploetz (e), embaixador alemão em Moscou

Ploetz (Alemanha): "Olhemos a verdade nos olhos nesse dia, da melhor maneira possível." Com estas palavras o então presidente alemão Richard von Weizsäcker concluiu seu grande discurso pelo 40º aniversário do fim da guerra. Estas palavras valem ainda hoje. Os alemães lembram no 60º aniversário do fim da guerra o infinito sofrimento imposto em nome da Alemanha aos habitantes de muitos países, especialmente aos povos da União Soviética, e o sofrimento a que foram submetidos os próprios alemães no final do conflito. O 8 de maio é ao mesmo tempo um dia de reflexão sobre o curso de nossa história.

Ainda que as lembranças de maio de 1945 na Alemanha e Rússia sejam diferentes, elas desembocam na mesma convicção: nós queremos paz. Justamente tendo em mente de que há 60 anos jovens russos e alemães se enfrentaram numa guerra assassina, desencadeada pela Alemanha e que custou a vida de milhões de russos (mas também de milhões de alemães) e espalhou tanta dor no mundo, compreendemos as chances oferecidas pela nova possibilidade de uma estreita parceria entre os dois povos numa Europa que se unifica. Nesse sentido, os alemães partilham de coração o desejo do presidente [Vladimir] Putin, de que os dias de rememoração em maio se transformem num momento de reconciliação em toda a Europa.

>> Continua

Leia mais

Links externos