1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Ator centenário não pensa em parar

Inscrito no Guinness como mais idoso ator do mundo em atividade, Johannes Heesters completa 100 anos com agenda repleta de compromissos. Mas seus compatriotas holandeses não perdoam que ele tenha servido ao nazismo.

default

O ator durante gravação do show de TV em sua homenagem

Há sete anos, Johannes Heesters garantia numa canção: "Vou fazer 100 anos, podem ter certeza!". Sua profecia se concretiza nesta sexta-feira (05), e o ator-cantor que para os alemães incorpora como ninguém a imagem do galã não demonstra ares de cansaço. No show de gala realizado pela emissora de televisão ARD em sua homenagem e gravado com antecedência, expressou como desejo "poder começar de novo com a minha vida a partir de 1º de janeiro". Entre seus planos mais imediatos, consta voltar a tomar aulas de canto.

Ainda em setembro, ele subiu ao palco em Stuttgart, para representar a si mesmo no musical Heesters, escrito especialmente para ele. Por ocasião do jubileu, está recebendo inúmeras homenagens e, já para o ano que vem, sua agenda registra numerosos compromissos.

Seu forte: a opereta

Nascido a 5 de dezembro de 1903 em Amersfoort, na Holanda, Johannes Heesters queria inicialmente ser sacerdote católico. Após ir com o pai assistir a uma apresentação teatral, no dia em que completava 16 anos, decidiu se tornar ator. Tomou aulas de interpretação e canto e estreou no palco, em Amsterdã, aos 17 anos. Durante mais de uma década atuou na Holanda e na Bélgica em clássicos do teatro, com sucesso mediano.

Só chamou a atenção depois de se especializar em operetas, tendo sido convidado para participar de uma representação de O Estudante Mendigo, de Carl Millöcker, na Ópera Popular de Viena, em 1934. Dois anos depois, ele interpretou o mesmo papel, já em Berlim, na filmagem da opereta pela UFA, a empresa cinematográfica estabelecida em Babelsberg.

Os personagens que representava nas operetas acabaram cunhando sua imagem para o público: o galã sempre de elegante fraque, cartola e xale de seda branco, que arrancava suspiros das mulheres.

Bambi Medienpreis 2003 Johannes Heesters und Simone Rethel

Johannes Heesters e a esposa Simone Rethel

Na vida real, ele passou 53 anos casado com a mesma mulher, a atriz belga Louise Ghijs, falecida em 1983, com a qual teve duas filhas, também artistas. Em 1992, voltou a se casar, com a atriz alemã Simone Rethel, 46 anos mais nova que ele. Ao lado dela, representou diante de platéias lotadas durante quase cinco anos, de 1996 até 2001, o papel principal na peça de Curth Flatow com o significativo título Idade Abençoada ( Gesegnetes Alter). É desta época o registro no Livro Guinness de Recordes como "o mais idoso ator do mundo em atividade".

Holanda: um relação de mágoas recíprocas

Na Holanda, seu país natal, não se nota nada da popularidade de que Heesters goza na Alemanha. Nas lojas não se encontra nenhum CD dele, nem suas memórias foram traduzidas para o holandês.

A mágoa de seus compatriotas data do nacional-socialismo. Os holandeses acusam Heesters de ter servido ao nazismo. Ator predileto de Adolf Hitler, ele continuou atuando, após a subida dos nazistas ao poder e durante a Segunda Guerra Mundial, em filmes leves, bem-vindos ao sistema como elementos de distração do povo. Como justificativa, Heesters afirma ser "uma pessoa apolítica, um artista e nada mais".

O ator centenário, por sua vez, se sente magoado com esta rejeição. Só voltou à Holanda para se apresentar uma única vez, no início da década de 60. "No fundo do coração, eu sou um holandês", suspira conformado com a idéia de que já não será possível retornar aos palcos da terra natal.

Leia mais

Links externos