1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Atletismo alemão termina só com duas medalhas de ouro

Apesar de ter arrecadado o segundo maior número de medalhas, Alemanha amargou o sétimo lugar no Campeonato Europeu de Atletismo, quando se esperava ficar atrás apenas da Rússia e da Grã-Bretanha.

default

Florence Ekpo-Umoh, Grit Breuer, Birgit Rockmeier e Claudia Marx: revezamento de ouro no último dia

Enquanto na semana anterior a natação alemã reconquistou seu prestígio internacional sagrando-se campeã do continente com 15 medalhas de ouro, o atletismo ficou aquém do esperado no Campeonato Europeu, encerrado neste domingo em Munique. De 46 provas, a Alemanha venceu apenas duas.

Muito pouco para o país vice-campeão de 1998, quando arrebatara oito títulos e 23 pódios. A meta de terminar desta vez em terceiro lugar na classificação geral ficou distante, apesar da soma de 18 medalhas. "A grande quantidade de medalhas superou nossas expectativas. Mas deveriam haver mais de ouro", reconhece Clemens Prokop, presidente da Federação Alemã de Atletismo (DLV).

Os vencedores – Favoritas, Rússia e Grã-Bretanha conquistaram sete medalhas de ouro cada. O título de campeã da competição ficou, porém, mais uma vez com os russos, graças ao banho de nove medalhas de prata, enquanto os britânicos só levaram uma do metal. No bronze, a Rússia também prevaleceu, com oito medalhas. No total: 24. Mais conquistas de ouro do que a Alemanha, obtiveram ainda Espanha (seis), França, Grécia (quatro cada) e Suécia (três).

Os heróis dourados alemães deste ano são todos corredores. Ingo Schultz venceu a prova dos 400 metros rasos, enquanto Florence Ekpo-Umoh, Birgit Rockmeier, Claudia Marx e especialmente Grit Breuer, com uma ultrapassagem arrasante na reta de chegada, ganharam o revezamento 4x400 metros. Breuer brilhou também nos 400 metros rasos, nos quais obteve uma medalha de prata.

Os quase quarentões – Muita atenção atraiu ainda Dieter Baumann. Aos 37 anos, o campeão olímpico dos 5 mil metros em 1992, que ficou dois anos suspenso por doping, retornou ao palco europeu em grande estilo, faturando o segundo lugar nos 10 mil metros.

Enquanto ele voltou, duas atletas de mesma idade se despediram. Uma com sucesso. Sabine Braun encerrou sua carreira igualmente com medalha de prata no heptátlo. Já Heike Drechsler decepcionou. A campeã olímpica de 2000 amargou o quinto lugar no salto em distância, encerrando sua seqüência de quatro títulos europeus.

Também em baixa – A queridinha do público alemão não foi a única atleta vitoriosa de Sydney que deixou a desejar. A ex-campeã mundial e atual olímpica Astrid Kumbernuss igualmente não passou do quinto lugar no arremesso de peso. E, pela segunda vez desde sua conquista na última olimpíada, o corredor Nils Schumann, de 24 anos, não bateu a concorrência nos 800 metros.

O defensor do título europeu de Budapeste terminou em Munique apenas em terceiro lugar, atrás do recordista mundial, o dinamarquês Wilson Kipketer, e do campeão mundial, o suíço Andre Bucher. "Acho que posso me dar por satisfeito com o bronze. Aprendi muito no ano passado", disse Schumann, que em 2001 chegou em quinto lugar no mundial de atletismo em Edmonton (Canadá).

Duas dobradinhas prata-bronze – Alguma decepção houve também no salto com vara. Lars Börgeling e Tim Lobinger não impediram que o israelense Alex Averbuch voasse mais alto do que eles e ficasse com a única medalha de seu país na competição, 30 anos após a tragédia dos Jogos Olímpicos de Munique. Em 1972, 11 atletas israelenses morreram numa ação terrorista árabe. Dobradinha alemã no pódio viu-se ainda na maratona feminina (Luminita Zaituc e Sonja Oberem).

De fato para comemorar, os alemães tiveram o sucesso de público do evento, que custou 7,5 milhões de euros, mas fechou sem prejuízo. Nos seis dias de competições, o Estádio Olímpico de Munique recebeu 303.900 espectadores, 100 mil a mais do que o esperado. E isto apesar da chuva torrencial e permanente que caiu na Baviera durante todos estes dias. As emissoras de tevê que cobriram ao vivo as competições tiveram igualmente audiência acima da expectativa.

Já o presidente da federação de atletismo, Prokop, festeja a aproximação de potenciais parceiros para o futuro do atletismo alemão. "Foi surpreendente o número de empresas que me procuraram durante o campeonato, com projetos interessantes. Temos de aproveitar este interesse."

As medalhas alemãs

Ouro

  • 400 m – Ingo Schultz
  • 4x400 m feminino

    Prata

  • 400 m – Grit Breuer
  • 10 mil – Dieter Baumann
  • 4x100 m feminino
  • 400 m com barreiras – Heike Meissner
  • Maratona – Luminita Zaituc
  • Salto com vara – Lars Börgeling
  • Salto triplo – Charles Friedek
  • Arremesso de dardo – Steffi Nerius (fem.)
  • Heptátlo – Sabine Braun

    Bronze

  • 800 m – Nils Schumann
  • Maratona – Sonja Oberem
  • Salto com vara – Tim Lobinger (masc.) e Yvonne Buschbaum (fem.)
  • Arremesso de peso – Ralf Bartels
  • Arremesso de disco – Michael Möllenbeck
  • Arremesso de dardo – Boris Henry (masc.)
  • Leia mais