1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

ATIRAR PARA MATAR

Como era de se esperar, o tema que predominou nos comentários desta semana foi a morte do brasileiro Jean Charles de Menezes em Londres. Confira aqui!

default

Um absurdo, que pensei só existir em países de Terceiro Mundo sob ditadura. Sou policial militar, brasileiro, e mesmo vivendo no “terceiro mundo”, trabalhando com bandidos já conhecidos, nunca tivemos este tipo de instrução. Apesar de tudo o que ocorre em nosso país, nossas leis sempre dizem "ninguém é culpado até o julgamento". Fiquei chocado ao saber que um país que eu admirava, admirava os procedimentos policiais e a cultura de seu povo, tenha tal tipo de atitude. Meus pêsames ao povo inglês!

Marcelo Benigno da Silva

Moro em Hamburgo e estou abalado, triste e com o coração partido pela perda de nosso compatriota brasileiro Jean Charles Menezes... Me sinto extremamente desolado, porque assim como ele, eu também estou aqui para ter uma vida melhor no Brasil e ajudar minha familia. Espero que Deus o acolha e ele viva em paz lá em cima...

Cleiton Martins

A Inglaterra, vista como nação civilizada e modelo para o mundo, está agindo como os carrascos nazistas; pior, prometendo continuar, numa demonstração de incompetência e insanidade. É vergonhoso!

Antonino


Essa prática de atirar para matar, utilizada por Israel, não é coerente, pois no seio do povo há os justos que se sentem temerosos pela atitude bruta do Estado. A Inglaterra, ao copiar esse modelo, copia também as mazelas da região do Oriente Médio, quais sejam: a insegurança, o temor paranóico e a reação desequilibrada ante os fatos. Quem perde? O povo inglês, que novamente cai na armadilha dos assimétricos e se vê em meio ao caos de um inimigo que de tão próximo se torna invisível.

O diálogo sempre foi a mais importante arma da democracia, entretanto com o endurecimento do discurso e a radicalização dos atos pelo Ocidente em relação ao Oriente, o que há de se esperar? O recrudescimento do terrorismo como arma estratégica para abalar os alicerces do capitalismo ocidental. O movimento terrorista islâmico representa a luta de Davi contra Golias, e notadamente a juventude, biologicamente sempre rebelde, principalmente a oriental, tende a ir para o lado do Islã, renovando as forças dos assimétricos.

Enquanto a juventude ocidental preocupa-se com compras no shopping, cinema, roupas e futilidades, sem nenhum aprofundamento filosófico religioso, os jovens islâmicos são umbilicalmente ligados à religião de uma tal forma, que mesmo longe de casa por anos, são capazes de se matar em prol de uma causa que para eles é maior que sua própria existência. Alea jact est!!! escolham seus lados! A terceira guerra mundial não será de paus e pedras, será de guerrilha urbana, bater e esconder. É triste retornar para o embate. Nietzsche tinha razão...

Celso


Essa nova tática da policia londrina é vil, preconceituosa, racista ao extremo, e deixa toda a população de pele morena na mira das armas assassinas desses policiais. Porque, como se sabe, eles procuram os culpados destes atentados entre os muçulmanos, em geral, e, como é de conhecimento de todo o mundo, os muçulmanos não são loiros nem têm a pele branca, nem tipo nórdico europeu e, assim, os franceses, os alemães, os ingleses, os norte-americanos, os holandeses, etc... podem ficar tranqüilos porque eles não se encaixam no tipo característico do muçulmano. Logo: não serão vítimas da nova tática do "atirar para matar".

Entretanto, todos os orientais, tais como os árabes, os turcos, os indianos, bem como os sul-americanos, notadamente os brasileiros pela mestiçagem racial de seu povo, são todos eles suspeitos pela tática do "atirar para matar" e, com isso, prudente seria que diferentemente dos citados povos europeus, usassem capacetes para proteger suas cabeças, já que, aos olhos da polícia britânica, têm tipos característicos semelhantes aos dos muçulmanos, o que os deixam na mira das armas assassinas da Scotland Yard.

Miguel Almeida Cerqueira

Acho que é bem verdade que a polícia britânica vive em condições estressantes atualmente, mas devemos considerar que há pessoas que não têm nada a ver com esta história de terrorismo e apenas estão vivendo suas vidas rotineiras. Alguns vivem ilegalmente nesse país, disso o governo está ciente, e neste ponto o Reino Unido tem que tomar muito cuidado para não cometer mais equívocos deste porte.

Penso que a situação tende a piorar, então eles terão de agir o mais rápido possível para reprimir práticas terroristas. Entretanto, nenhum combate a terroristas justifica tal atitude, simplesmente porque mais pessoas inocentes pagarão caro, além daquelas que são vítimas dos terroristas...

Alessandro Souza Martins

Todo mal deve ser combatido pela raiz! Mas mesmo assim, pouquíssimas mortes podem ser justificadas. Entretanto, na dúvida entre morrerem centenas de pessoas, é melhor então que morra somente uma. Do ponto de vista técnico-policial, há até como justificar o ato que culminou com a morte do brasileiro – poderia ter sido um turco, iraquiano ou qualquer outra nacionalidade. Não poderiam correr o risco de ele detonar uma bomba para então perguntar. Sua aparência talvez, mais a atitude suspeita de sair correndo, justifica "atirar para matar". Em todo caso, o terrorismo, tal como a fome, a ignorância, a criminalidade e etc. devem ser combatidos sempre, não importa com que armas.

Gilmar Bender

TERRORISMO

Os radicais islâmicos, equivocados e doutrinados em evocar a guerra santa escrita no Alcorão, prática atrasada que remonta ao início do islamismo, declarou “guerra santa” contra o ocidente. Os radicais deveriam conquistar o poder pela democracia, no entanto desconhecem a democracia. Os radicais devem ser combatidos pelos próprios chefes religiosos islâmicos, não existe outra saída. O islã não foi feito para matar inocentes. Todo país ocidental ou pró-ocidental não está livre desta praga (terrorismo). O ataque terrorista do dia 07/07/2005 a Londres foi escolhido pelos seguintes fatos: 1. A reúnião do G-8, naquele dia e na mesma hora. Foi um ataque para desmolalizar o G-8. 2. Forçar o Reino Unido a retirar seus soldados do Iraque. Tanto é verdade que logo em seguida foram mortos soldados britânicos no Iraque, também por ataques terroristas. 3. Vingança pelo sucesso do primeiro-ministro ao vencer as eleições meses atrás.

Antonio de Oliveira Silva

O terrorismo de origem islâmico-fundamentalista só está começando e não há prazo para terminar, muito pelo contrário, a "nova guerra" entre católicos e muçulmanos já começou faz tempo. Essa permissividade européia com relação a ideologias não-democratas e assassinas, e a tolerância irresponsável para com terroristas de todos os tipos, vai cobrar seu preço e é agora. Filhos de políticos e de juristas não serão poupados, aqueles que fizeram leis que impedem terroristas de ser deportados e cumprir suas penas em seus países de origem, mesmo as de morte. Pois bem, aqui na Europa eles continuam a cometer seus crimes, só fogem de serem condenados à morte...

O que assusta nessa nova onda é o nihilismo contido na falácia de Osama Bin Laden. Ele quer que voltemos à Idade das Pedras, do terror, da pobreza absoluta, do caos, mulheres de burca e, claro, todos dizendo "amém", mas para Alá...

Vai ser interessante observar como os países ditos "democratas" irão sair dessa, se nem eles conseguem combater a pobreza, o desemprego, a desigualdade, o preconceito. Enfim, não vejo luz no fim do túnel...

Tarsila

A Europa é um dos melhores continentes para se viver. A Europa é minha origem cultural, lingüística, intelectual e histórica. É a parte do planeta onde tem a menor criminalidade, e suas prisões em sua maioria, estão vazias, comparando-se a outros lugares do mundo. Deter o terrorismo é manter a Europa como sendo o melhor lugar do mundo para viver. Não deixem o radicalismo islâmico tomar conta da Europa. A Europa deve ser segura para os seus cidadãos e para os turistas.

Antonio de Oliveira Silva

Não só a Europa, mas todo o mundo civilizado deve se unir contra a barbárie que ameaça a civilização ocidental, além de estabelecer mecanismos de cooperação policial e judicial na prevenção e repressão aos atos ilícitos.

Rivadávia Rosa

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Acredito que a liberdade de expressão seja um direito básico de todas as pessoas: "Posso não concordar com suas opiniões, mas defendo até a morte o seu direito de expressá-las", é um resumo, se bem que um tanto extremo. Ainda que se deva exercer uma certa autocensura em relação a temas delicados, que segundo a boa educação não se discutem, não há nada que justifique a morte ou quaisquer castigos por se formar uma opinião divergente das que são consideradas politicamente corretas. E o politicamente correto é assunto para outra ocasião. Mas acho lamentável que não se questione o multiculturalismo em nome de uma "tolerância" imposta a qualquer sociedade, ainda mais quando essa mesma tolerância é tão somente uma rua de mão única. O Marrocos não mudou desde os anos 80, é um dos países mais intransigentes de que tenho notícia. Por exemplo, uma mulher de aparência européia corre sérios riscos naquele país.

Beatriz C. P. Zonari

Sem a menor dúvida, o direito da liberdade de expressão é prevalecente ante a proteção do sentimento religioso. Primeiro, porque o culto à divindade deve ser pessoal e direto, na forma escolhida por cada um. Segundo, porque não se deve proteger o sentimento religioso, apenas garanti-lo, quando não implique prejuízo à sociedade. O direito à liberdade de expressão é a pedra angular dos sistemas democráticos, a essência do Estado Democrático de Direito, fruto de árdua conquista da humanidade, cujo princípio imortalizou-se na Revolução Francesa. O sentimento religioso, invariavelmente, conduz a excessos, os quais devem ser combatidos pela sociedade, em defesa dela mesma.

Regina Nóbrega