Atirador norueguês é declarado insano por especialistas | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.11.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Atirador norueguês é declarado insano por especialistas

Mesmo se escapar da cadeia, Anders Behring Breivik, responsável pela morte de 77 pessoas em dois ataques armados, deverá passar o resto da vida numa instituição psiquiátrica de alta segurança.

default

Breivik em foto recente

A equipe de psiquiatras encarregada de se pronunciar sobre a responsabilidade penal de Anders Behring Breivik concluiu que o autor dos ataques de 22 de julho na Noruega é psicótico, anunciou nesta terça-feira (29/11) a Procuradoria norueguesa.

O extremista de direita desenvolveu ao longo do tempo uma esquizofrenia paranoide, declarou o procurador Svein Holden, citando as conclusões de um relatório entregue por dois psiquiatras.

Diante disso, Breivik deve escapar da cadeia, mas pode vir a ser internado num estabelecimento psiquiátrico de alta segurança caso venha a ser condenado. Seu julgamento está marcado para abril. Breivik assumiu a autoria dos dois atentados que mataram 77 pessoas na Noruega.

"Se a conclusão final é que Breivik é legalmente irresponsável, pediremos ao tribunal para que receba tratamento mental obrigatório", declarou a procuradora Inga Bejer Engh, precisando que o tratamento poderá durar o resto da vida.

O relatório divulgado nesta terça-feira será avaliado por um painel da Comissão Norueguesa de Medicina Forense, que poderá solicitar informações adicionais e acrescentar a sua própria opinião. O chefe da comissão declarara em julho à agência de notícias AP que dificilmente Breivik seria considerado insano, já que os ataques foram cuidadosamente planejados e executados.

O porta-voz de um grupo de apoio a sobreviventes dos atentados disse que é fundamental que Breivik passe o resto da vida na cadeia. "Para nós, o principal é que ele jamais saia. Não é tão importante se ele está na prisão ou no hospital", declarou John Hestnes aos jornal VG.

AS/lusa/dpa/ap/afp
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais