1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Atentados terroristas em Nova York são tema de peça em Dresden

Os acontecimentos de 11 de setembro chegaram no último sábado aos palcos alemães através do texto "Três semanas depois do paraíso: uma voz de Nova York", de autoria do dramaturgo norte-americano Israel Horovitz.

default

O drama de Nova York inspirou o monólogo de Horovitz

O teatro Staatsschauspiel, de Dresden, trouxe ao público de 60 pessoas o monólogo de uma hora, interpretado pelo ator Holger Hübner e dirigido por Anja Niemann. Horovitz, 62 anos, reflete em seu texto sobre a catástrofe através de sua experiência pessoal, descrevendo o medo e a angústia de quem vivia nas imediações do WTC e cujo filho, Oliver, freqüentava uma escola localizada ao lado das torres gêmeas.

O dramaturgo não procura analisar os atentados, atendo-se apenas a suas impressões e ao pesadelo vivido por sua família naquele dia. Seu texto resume-se a protocolar as reações dos que estão ao seu lado.

Atores e público - As aparições do presidente George W. Bush ou do prefeito de Nova York, Rudolph Guiliani, são descritas pelo dramaturgo como produtos de "bons atores", que conseguem seguir "um texto perfeitamente ensaiado" para um "bom público", que engole bravamente seu próprio desespero.

Horovitz, que traz ao espectador o "cheiro de morte" sentido no ar, vê tudo como uma conseqüência que viria mais cedo ou mais tarde do fato "dos americanos terem metido suas cabeças na areia por anos a fio". O título da peça é uma alusão ao "fim do paraíso da segurança em que os americanos viveram até então", segundo o dramaturgo.

A crítica viu o texto do conhecido dramaturgo ( Ensaio Geral, Pera Doce, Jogo da Macaca) e roteirista ( O Despertar de um Século, ao lado de Istvan Szábo) com reservas. Até mesmo a casa de espetáculos de Dresden, que abriu espaço à encenação, procurou minimizar o movimento surgido em torno da peça em toda a Alemanha. "O texto é apenas uma declaração particular sobre um acontecimento que tornou-se público", afirmou a direção do teatro.

Emoção - No monólogo de uma hora, o ator Holger Hübner dispara o texto praticamente sem deixar vir à tona qualquer rastro de emoção, circulando no entanto com desespero entre as cadeiras dos espectadores, espalhadas pelo espaço único que une platéia e público num só ambiente.

Os espectadores, convidados a participar de um debate sobre a peça após a encenação, depois de aplaudirem com contenção o espetáculo resolveram em sua maioria deixar o teatro. Embora a produção de Horovitz tenha sido uma "reação rápida", Três Semanas Depois do Paraíso não parece ultrapassar os limites do que a mídia já cansou de produzir: uma descrição inesgotável da tragédia, sem a profundidade de reflexão que o teatro exige.

A peça deverá ser encenada ainda em Hamburgo e Linz, na Áustria. Em Berlim, Stuttgart, Karlsruhe e Braunschweig, estão programadas apenas sóbrias leituras do texto, sem qualquer tentativa de interpretação. Um CD está ainda sendo preparado com o texto e a emissora de rádio alemã WDR ( Westdeutscher Rundfunk) deve levar a peça em janeiro próximo a seus ouvintes. "Um excesso de atenção a um texto tão fraco", ironiza o diário berlinense Tagesspiegel.