1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Atentado suicida mata pelo menos 45 pessoas em jogo de vôlei no Afeganistão

Ataque em área conturbada perto do Paquistão é tido como o pior no país deste ano. Homem detonou bomba no meio da torcida. Terrorismo aumentou no país desde eleição controversa do presidente Ashraf Ghani, em setembro.

Um atentado suicida em um jogo de vôlei no leste do Afeganistão matou no mínimo 45 pessoas neste domingo (23/11). O autor do ataque detonou a si próprio no meio da torcida, segundo o vice-governador da província de Paktika, Attaullah Fasli. Cerca de 80 pessoas ficaram feridas.

De acordo com o vice-governador, vários funcionários da administração provincial e o chefe de polícia estavam assistindo ao evento. O ataque ocorreu no distrito de Yahyakhail, numa área conturbada próxima ao Paquistão. O presidente afegão, Ashraf Ghani, condenou o ato, para o qual, em um primeiro momento, ninguém assumiu a responsabilidade.

Perto da fronteira com o Paquistão, a província de Paktika fica em uma das regiões mais instáveis do Afeganistão, onde os militantes do talibã e de outros grupos insurgentes afiliados ao Talibã, como a rede Haqqani, estão intensificando a guerra contra o governo em Cabul.

O ataque deste domingo tem características das operações dos Haqqani, grupo que envia regularmente jovens para realizar atentados suicidas contra alvos importantes. Ataques que matam mulheres e crianças causam indignação especial, e o talibã é conhecido por evitar reivindicar a responsabilidade ou ser culpado por mortes entre forças de segurança.

Afghanistan Anschlag Volleyballturnier

Criança vítima de atentado é atendida em hospital da província de Paktika

No início deste ano, um ataque suicida detonou um carro cheio de explosivos perto de um movimentado mercado e uma mesquita no bairro de Urgun, em Paktika. O número de mortos foi originalmente estimado em cerca de 90, mas foi posteriormente revisado para menos de 43. Este atentado era, até domingo, considerado o pior deste ano no Afeganistão.

Ataques aumentaram com novo presidente

Os ataques em todo o país têm aumentado este ano após uma eleição controversa e a posse do presidente Ashraf Ghani, em setembro. Os insurgentes usam suas ações para deixar claro sua oposição ao governo de Ghani, assim como ao apoio do presidente a um acordo de segurança com os EUA, que ele assinou imediatamente após assumir o cargo.

A câmara baixa do Parlamento afegão aprovara neste domingo, poucas horas antes do atentado, dois acordos que permitem o estacionamento de soldados da Otan e dos Estados Unidos no país nos próximos anos. A atual missão de combate das tropas internacionais termina este ano.

A missão sucessora da Otan, chamada "Resolute Support (apoio resoluto), prevê a implantação de 12.500 soldados no próximo ano, para continuar a apoiar e treinar as forças de segurança locais na luta contra o talibã.

O governo da Alemanha deu na quarta-feira sua permissão para a nova missão de suas Forças Armadas no Afeganistão. Ela prevê o envio de até 850 soldados alemães. Agora, ainda falta o aval do Bundestag (câmara baixa do Parlamento alemão). A votação está prevista para dezembro.

MD/ap/afp

Leia mais