1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Atentado deixa mortos em marcha no leste da Ucrânia

Bomba em passeata para comemorar revolução que derrubou governo Yanukovytch mata pelo menos duas pessoas. Rebeldes pró-russos e forças ucranianas acertam retirada de armas pesadas.

default

Marcha em Kiev comemorando primeiro ano da revolução: festa foi ofuscada por atentado no leste do país

Pelo menos duas pessoas morreram e 15 ficaram feridas na explosão de uma bomba neste domingo (22/02) durante uma marcha para comemorar o primeiro aniversário da revolução que derrubou o ex-presidente Viktor Yanukovytch.

O atentado ocorreu em Carcóvia, segunda cidade da Ucrânia, localizada no leste do país, a cerca de 200 quilômetros da zona de combates com os rebeldes pró-russos. Neste domingo, rebeldes pró-russos e Exército ucraniano chegaram a acordo para retirada de armas pesadas da linha de frente no leste ucraniano.

Entre os mortos pela a explosão em Carcóvia, estão um policial e um militante pró-europeu, segundo os organizadores da marcha.

Possível atentado terrorista

A polícia investiga um provável "atentado terrorista", segundo o Ministério do Interior ucraniano. Quatro suspeitos teriam sido presos, e diversas armas foram apreendidas com eles, incluindo um lança-granadas, conforme informações da mídia local.

"Um artefato explosivo foi detonado em meio da multidão junto à estação de metrô Mariscal Zhúkov. Na explosão, foram feridas 15 pessoas, incluindo cinco policiais. Duas pessoas morreram no ato, entre elas, um policial", afirma um comunicado do Ministério do Interior ucraniano.

As autoridades municipais informaram que 10 feridos foram hospitalizados, entre eles um jovem de 15 anos, que entrou em coma após sofrer traumatismo craniano grave.

A cidade de Carcóvia foi palco nos últimos meses de uma dezena de explosões suspeitas, várias das quais causaram feridos e foram qualificadas de atentados terroristas.

Gedenkmarsch für die Opfer des Aufstands auf dem Maidan in Kiew

Presidente alemão, Joachim Gauck (c), ao lado do presidente ucraniano, Petro Poroshenko (e), em passeata em Kiev

Marcha em Kiev

Em Kiev e em outras cidades também se realizam marchas comemorando a queda de Yanukovytch e a chegada ao poder de autoridades pró-ocidentais.

A passeata contou com a participação do presidente ucraniano, Petro Poroshenko. Entre as autoridades internacionais presentes, estavam o presidente alemão, Joachim Gauck, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Em 22 de fevereiro de 2014, o Parlamento da Ucrânia destituiu Viktor Yanukovytch, que na madrugada anterior havia fugido de Kiev.

Acordo para retirada de armas pesadas

Apesar da ainda frágil trégua no leste da Ucrânia, a implementação do plano de paz de Minsk aparentemente prossegue, ainda que lentamente. O Exército ucraniano e os separatistas concordaram neste domingo em iniciar a retirada de armas pesadas da linha de frente, segundo informaram representantes de ambos os lados. A medida faz parte do acordo acertado em Minsk. No sábado à noite, tropas do governo e rebeldes trocaram prisioneiros, como acertado.

O general ucraniano Alexander Rosmasnin informou que os documentos para início da retirada das armas pesadas "de toda a linha de frente" foram assinados. Os separatistas confirmaram a informação. O comandante rebelde Eduard Basurin disse à agência de notícias russa Tass que a retirada das armas deve ser preparada a partir deste domingo e terá início na terça-feira.

MD/afp/dpa

Leia mais