1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Ataques suicidas a mesquitas matam dezenas no Iêmen

Explosões têm como alvo dois templos frequentados por xiitas do grupo houthi, que controla a capital do país. Ao menos 77 pessoas morreram, afirma médico do governo.

Ataques suicidas mataram ao menos 50 pessoas nesta sexta-feira (20/03) em duas mesquitas na capital do Iêmen, Sanaa, frequentadas principalmente por apoiadores do grupo xiita houthi, que

tomou o poder em fevereiro

. Mais de cem pessoas ficaram feridas, segundo informações dos serviços médicos locais.

Um médico ligado ao Ministério da Saúde do Iêmen disse à agência de notícias AFP que ao menos 77 pessoas morreram e 121 ficaram feridas. Destas, 30 estão em estado grave, acrescentou.

A primeira bomba explodiu na mesquita de Badr, no sul de Sanaa. Quando os fiéis correram para fora, uma segunda explosão aconteceu perto da entrada do templo. Uma terceira explosão aconteceu na mesquita de Al-Hashahush, no norte da capital iemenita. Os ataques aconteceram durante as orações de meio-dia da sexta-feira, tradicionalmente as mais frequentadas.

Uma rede de televisão controlada pelos houthis afirmou que os hospitais da capital lançaram apelos por doações de sangue. Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado.

Em janeiro deste ano, um ataque com carro-bomba que matou 40 pessoas e deixou dezenas de feridos numa academia de polícia foi atribuído pelos órgãos de segurança iemenitas à Al Qaeda. No entanto, um líder da rede terrorista negou as acusações.

Os houthis controlam parte da capital desde setembro passado. Suas tentativas de ampliar seu domínio para outras áreas do país encontram forte resistência de tribos sunitas e da Al Qaeda. O braço da organização no Iêmen, a Al Qaeda na Península Árabe (Aqap),é apontado pelos Estados Unidos como a mais terrível ramificação do grupo.

Tropas leais ao presidente

Abd Rabbuh Mansur al-Hadi

, que renunciou no mês passado, ainda controlam parte do país.

RC/afp/rtr/ap

Leia mais