Ataque deixa dezenas de mortos na Somália | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

África

Ataque deixa dezenas de mortos na Somália

Carro-bomba explode perto de mercado movimentado de Mogadíscio. Embora nenhum grupo tenha reivindicado atentado, presidente do país pede unidade perante "selvageria" do grupo jihadista Al-Shabaab.

Somalia Selbstmordanschlag in Mogadischu (Reuters/F. Omar)

Explosão ocorreu perto de um mercado do distrito de Wadajir, na capital somali

Ao menos 35 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas neste domingo (19/02) num atentado com carro-bomba executado nos arredores de um mercado de Mogadíscio, capital da Somália. Testemunhas afirmaram que há muitas mulheres e crianças entre os mortos.

A forte explosão aconteceu quando um grande número de pessoas se encontrava neste popular mercado, situado no distrito de Wadajir e que ficou totalmente destruído, segundo testemunhas. A polícia local afirmou que o número de mortos chega a 35. Equipes de resgate continuam no local e um grande número de feridos foi transferido para hospitais próximos.

Embora nenhum grupo tenha reivindicado a autoria do ataque, o novo presidente somali, Mohammed Abdullahi Farmaajo, condenou o atentado e pediu unidade perante a "selvageria" das milícias Al-Shabaab. A milícia radical islâmica advertiu recentemente que continuaria com seus ataques após a designação do novo presidente, em 8 de fevereiro.

Os terroristas já haviam realizado um atentado contra o novo governo nesta quinta-feira, quando duas crianças morreram em decorrência do lançamento de várias bombas nas imediações do palácio presidencial, onde o novo líder se encontrava reunido com seu antecessor, Hassan Shiekh Mohamud.

Nos últimos meses, os terroristas optaram por uma estratégia de confronto direto e lançaram vários ataques a bases militares da missão da União Africana na Somália (Amisom), o que causou a morte de centenas de soldados. Além disso, dezenas de civis morreram em ataques realizados contra hotéis e restaurantes da capital, que se transformaram em alvo constante do grupo.

Segundo um relatório das Nações Unidas, Al-Shabaab segue tendo capacidade para efetuar ações em grande escala tanto dentro como fora da Somália, e a situação da segurança no país africano não melhorou. A milícia radical, filial da Al Qaeda na Somália, luta para instaurar um Estado islâmico de caráter wahhabista no país, onde controla grandes extensões de território no sul e no centro.

FC/efe/afp/ap/dpa

Leia mais