1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Assessor de Trump é indiciado por agressão

Corey Lewandowski, coordenador-chefe da campanha do pré-candidato favorito entre os republicanos, é acusado de agredir uma jornalista durante evento. Imagens e testemunhas corroboram denúncia.

Corey Lewandowski (c) é acusado de agredir jornalista em evento da campanha de Trump (d)

Corey Lewandowski (c) é acusado de agredir jornalista em evento da campanha de Trump (d)

O coordenador-chefe da campanha do pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos Donald Trump foi indiciado nesta terça-feira (29/03) por, supostamente, ter agredido uma jornalista durante um evento de campanha, no início do mês.

Corey Lewandowski, de 42 anos, é acusado de causar ferimentos no braço da jornalista Michelle Fields ao puxá-la para longe de Trump, enquanto o pré-candidato deixava o local do evento, na cidade de Jupiter.

A polícia da Flórida divulgou um vídeo que mostra Fields ao lado de Trump, tentando entrevistá-lo, no momento em que Lewandowski agarra seu braço e a puxa para trás.

Apesar das imagens, a direção da campanha de Trump nega as acusações, afirmando em comunicado que "o Sr. Lewandowski é absolutamente inocente" e que "ele está plenamente confiante de que será absolvido".

Michelle Fields (e) se aproxima de Trump, pouco antes da suposta agressão

Michelle Fields (e) se aproxima de Trump, pouco antes da suposta agressão

Fields realizava a cobertura da campanha de Trump para o portal de notícias Breibart, notoriamente conservador. O próprio website, numa atitude que muitos críticos consideraram suspeita, repudiou as alegações de sua repórter, sugerindo que a identidade de Lewandowski poderia ter sido confundida. A declaração foi feita antes da divulgação das imagens da suposta agressão.

Em razão da falta de apoio, Fields e ao menos outros cinco repórteres pediram demissão do Breibart, afirmando que trabalhavam para o portal para exercer a função de jornalista, e não para participar de uma campanha política.

Dias após a suposta agressão, Trump chegou a declarar à emissora CNN que o incidente teria sido provavelmente armado. Uma porta-voz de sua campanha chegou a declarar que "nenhuma câmera ou repórter, dos mais de cem que lá estavam, registraram o suposto incidente". Desde então, diversas imagens e testemunhas emergiram para denunciar Lewandowski.

A campanha de Trump, o pré-candidato favorito para obter a nomeação do partido, tem sido marcada nas últimas semanas por

tensões e atos de violência

.

RC/rtr/ap

Leia mais