1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Assad diz que aliança com Rússia "salvará Oriente Médio"

Em entrevista a emissora de televisão iraniana, presidente sírio afirma que sucesso da campanha militar de seu país contra terroristas, em aliança com Moscou, é vital para poupar região da "destruição".

O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse, em entrevista veiculada neste domingo (04/10) pela emissora iraniana Khbar TV, que o sucesso de uma campanha militar da Rússia e seus aliados é vital para salvar o Oriente Médio da destruição. A afirmação foi feita um dia depois de Moscou dizer que irá redobrar ataques aéreos contra alvos do Estado Islâmico na Síria.

Assad disse que a campanha militar realizada pelas forças aéreas ocidentais e árabes na Síria e no Iraque têm sido contraproducentes e que ajudam o terrorismo se propagar. "Mas uma coalizão entre Síria, Rússia, Irã e Iraque pode alcançar resultados reais", afirmou. "Ela deve ter sucesso. Caso contrário, enfrentaremos a destruição de toda a região e não apenas de um ou dois Estados", acrescentou Assad.

“Não temos visto que a aliança liderada por Washington haja conseguido resultados, simplesmente porque os países que apoiam o terrorismo não podem combatê-lo”, ressaltou o presidente sírio, citado pela agência estatal de notícias síria. Na opinião dele, o Ocidente "carece de uma visão clara".

Esta semana, Moscou lançou seus primeiros ataques aéreos na Síria, em locais identificados como bases militantes do Estado Islâmico no país.

No entanto, Estados Unidos, França, Reino Unido afirmam que os ataques aéreos russos têm como objetivo fortalecer Assad, após os recentes avanços dos rebeldes. "Eles estão apoiando o carniceiro Assad, o que é um erro terrível para eles e para o mundo", reclamou o premiê britânico David Cameron, em entrevista à BBC.

A Rússia afirmou neste domingo que suas aeronaves realizaram 20 missões na Síria e atacaram 10 alvos do Estado Islâmico nas 24 horas anteriores, incluindo um campo de treinamento e uma fábrica para produzir cintos explosivos.

"Conseguimos interromper o sistema de controle, as linhas de fornecimento da organização terrorista e também causar danos significativos à infraestrutura utilizada para preparar ataques terroristas", comunicou o Ministério da Defesa russo.

MD/rtr/ap/dpa

Leia mais