1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Assad é reeleito com 88% dos votos na Síria

Eleição realizada apenas nas áreas controladas pelo regime dá novo mandato de sete anos para o atual presidente. União Europeia e Estados Unidos criticam votação.

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, foi reeleito para um novo mandato de sete anos com 88,7% dos votos, anunciou nesta quarta-feira (05/06) o presidente do Parlamento, Mohammad al-Lahham. Os outros dois candidatos, Hassan al-Nuri e Maher al-Hadshar, obtiveram 4,3% e 3,2%, respectivamente.

Estas foram as primeiras eleições sírias com mais de um candidato em mais de meio século. Antes da divulgação dos resultados, o Tribunal Constitucional Eleitoral havia anunciado que a taxa de participação nas eleições presidenciais atingiu os 73,42%.

Das 15,8 milhões de pessoas chamadas às urnas em plena guerra civil, 11,6 milhões participaram do escrutínio, precisou o porta-voz do tribunal, adiantando que houve 442.108 votos nulos, o que corresponde a 3,8%.

As eleições desta terça-feira, organizadas apenas nas zonas controladas pelo regime num país em guerra civil há três anos, foram classificadas como "uma vergonha" por países como Estados Unidos e França e chamadas de "farsa" pela oposição.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse em Beirute que a eleição não pode ser considerada justa, argumentando que milhões de pessoas nem sequer estavam habilitadas a votar. Ele se referia àquelas que moram nas regiões controladas pelos rebeldes.

A União Europeia também condenou a eleição, afirmando que não pode ser considerada uma votação genuinamente democrática.

O conflito na Síria já fez mais de 162.000 mortos, entre os quais 53.978 civis, e deixou milhões de deslocados e refugiados desde março de 2011, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), organização oposicionista baseada em Londres.

AS/lusa/ap/afp/dpa