1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

As várias faces do ensino religioso na Europa

Aulas de religião fazem parte do programa de escolas públicas de quase todos os países europeus, à exceção apenas da França e da Albânia. Mas sua organização é tão variada quanto as tradições religiosas no continente.

default

Cada país tem suas próprias regras

"Cada aula de ensino religioso traz consigo sua própria história", explica Peter Schreiner, presidente da Comissão Intereuropéia para Igreja e Escola (ICCS). "Pode-se até fazer comparações, mas não haverá uma regra que seja aplicável em todos os países."

Cada país europeu decide hoje por si próprio como o ensino religioso é organizado, desenvolve os planos de ensino e estabelece o material didático necessário, treina e contrata professores, além de criar alternativas para alunos que não queiram participar das aulas de religião.

Várias modalidades

"Os mapas religiosos são muito diferentes na Europa", argumenta Schreiner. E a maneira como cada país lida com o ensino religioso reflete essas diferenças: no Sul da Europa, na Europa Central e no Leste Europeu, bem como na região da Alsácia-Lorena, na Finlândia, Itália, Áustria e Alemanha, o ensino religioso é separado por religião.

Erster Schultag in Frankreich

A França proibiu o uso do véu islâmico nas escolas de todo o país

Outros países oferecem um ensino religioso conjunto, que chamam então de ética, filosofia ou "valores e normas". Na Bélgica, na Espanha, em Portugal e Luxemburgo, os alunos podem escolher qual das modalidades eles preferem acompanhar.

Diferenças à parte

Na Alemanha, os alunos são obrigados por lei a freqüentar aulas de religião. Mas há exceções: em Bremen e em Brandemburgo, eles podem optar por freqüentar aulas de História da Bíblia ou de Ética. Agora, a capital Berlim avalia adotar o mesmo modelo.

Na Áustria, por exemplo, não há apenas as variantes católica e evangélica, mas também ortodoxa, neo-apostólica, judaica, islâmica e budista.

S.Giuliano di Puglia

Na Itália, participação é facultativa

Já a Itália garante o ensino da religião católica nas escolas públicas. A participação é aberta a alunos de todas as confissões, mas facultativa desde 1984. O ensino de outras religiões é permitido, embora o Estado não arque com os custos. Os alunos italianos também podem optar pela disciplina Direitos Civis e Humanos.

Na Grécia, todos os alunos são obrigados a freqüentar as aulas de religião ortodoxa, não importa se forem católicos, judeus ou muçulmanos. No entanto, quem não quiser participar pode pedir dispensa.

Os países do norte da Europa, a Inglaterra, o País de Gales e a Escócia oferecem a seus alunos a possibilidade de aprender sobre as diversas religiões, sem serem doutrinados em apenas uma delas, embora na Inglaterra e no País de Gales o ensino seja mais direcionado ao cristianismo.

No entanto, desde 1994, alunos muçulmanos, hindus, sikhs, judeus, budistas e os pertencentes a outras modalidades religiosas são estimulados a contribuir para o conteúdo do programa.

Localize os países citados no mapa da Europa

Leia mais