1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Arte falsificada, mas legal

Quem não gostaria de ter um quadro de Picasso na parede de casa? Caro demais? Então compre uma cópia falsificada. Veja como é possível.

default

"Preto e Branco sobre Vinho", pintura a óleo do artista expressionista Mark Rothko

Frank Eilmann, um arquiteto de Leipzig, concretizou o sonho de sua vida: possuir uma pintura do expressionista lituano-americano Mark Rothko (1903-1970). O quadro é falso e custou apenas 1400 euros. Se fosse um verdadeiro Rothko, sairia por vários milhões de euros.

O quadro foi pintado por encomenda em uma galeria de Leipzig, cujo nome já diz tudo: Die Fälscher-Galerie (A Galeria dos Falsificadores). Em princípio, é proibido copiar e vender obras de artes falsificadas. Falsificação de obras de arte dá cadeia.

Mas os artista que trabalham na Fälscher-Galerie de Leipzig não têm o que temer. Eles não fazem outra coisa senão copiar as obras dos mestres antigos e contemporâneos – mas legalmente. E as falsificações são vendidas por um preço irrisório, se comparadas aos originais.

A fronteira entre o legal e o ilegal

Como é possível que falsificação seja uma atividade legal? É muito simples: depois de 70 anos da morte de um artista, suas obras podem ser copiadas à vontade. O que não é permitido – e este é o segredo do negócio – é falsificar a sua assinatura. Quem falsificar a assinatura de um artista vai preso, pois a assinatura indica que se trata de um original e não de uma cópia.

No caso de artistas vivos, ou que morreram há menos de 70 anos, a coisa é mais complicada: pode-se copiar o seu estilo mas não uma obra propriamente dita.

"Nós recebemos muitos pedidos de cópias de obras modernas, sobretudo de pop art", explica Ralf Munir, proprietário da Fälscher-Galerie . Ele cita como exemplo os legendários retratos de Marilyn Monroe, do artista americano Andy Warhol (1928-1987). Neste caso, falsifica-se apenas o estilo de Andy Warhol.

O cliente é rei

Cerca de 20 artistas formados na Academia de Belas Artes são empregados na Galeria dos Falsificadores. O trabalho de copiar os mestres exige muito tempo e dedicação e tudo é feito para satisfazer os desejos dos clientes, nos mínimos detalhes.

Robby Neugebauer, um dos artistas da galeria, conta por exemplo que um cliente começou a contar o número de ondas do mar, para comparar se correspondia ao original

Os pedidos de falsificação chegam do mundo inteiro e o êxito da Galeria dos Falsificadores é tão grande que está abrindo filiais em outras cidades alemãs.

Quem não tiver dinheiro suficiente para comprar uma obra de arte falsificada pode alugá-la. A partir de 15 euros por mês, já se consegue uma "verdadeira" pintura a óleo falsificada.

Leia mais