1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Arte alemã em alta nos Estados Unidos

Os alemães enfrentam dificuldades em Washington desde que a Alemanha resolveu não apoiar os Estados Unidos na guerra contra o Iraque. Mas os artistas alemães e seu trabalho estão em alta entre os americanos.

default

Cartaz da exposição alemã em St. Louis

A arte da Alemanha está por toda parte nos Estados Unidos – apesar da tensão política entre os dois países devido à guerra contra o Iraque. Em Nova York, a Neue Galerie – dedicada inteiramente à arte alemã e austríaca – festejou há pouco os dois anos da sua abertura. No St. Louis Art Museum está em cartaz com grande êxito a exposição German Art Now. “A exposição é um grande sucesso de público e ultrapassou as fronteiras da cidade”, disse a diretora do Fórum Cultural do conglomerado alemão Altana, que financia a German Art Now. E não é só: o Busch-Reisinger Museum da Universidade de Harvard apresenta uma exposição de arte alemã do início do século passado. E no Vasser College estão expostos trabalhos de Käthe Kollwitz.

“Eu acredito que o interesse da sociedade americana pela arte alemã até mesmo aumentou nos últimos tempos”, afirma a professora visitante de Cultura do Século 20 na Universidade de Duke, Dorothea Dietrich. “Antigamente, nos Estados Unidos, prestava-se atenção principalmente à arte francesa, mas nesse meio tempo a arte alemã foi ganhando importância.” Na opinião dela, as divergências políticas em relação à guerra contra o Iraque não trouxeram prejuízos à importância da arte alemã nos Estados Unidos. “Uma recepção negativa aconteceu mais na relação com a França.”

Menos nacionalismo?

Também na opinião da professora de História da Arte da Universidade da Califórnia em Berkeley – e atual integrante da Academia Americana em Berlim –, Anne Wagner, as divergências políticas não tiveram impacto na cena artística. “Talvez os amantes das artes tendam a ser menos nacionalistas que outras pessoas, ou talvez eles pensem que a cultura não é um reflexo direto da política”, supõe Wagner. E ele tem uma prova para sua tese: “Um bom exemplo é a exposição de Gerhard Richter nos Estados Unidos no ano passado. Ela foi um grande sucesso e ninguém estava menos interessado nela por causa da relação tensa entre a Alemanha e os Estados Unidos”.

Ausstellung German Art Now Saint Louis Art Museum

Escultura integrante da exposição German Art Now

A arte pode funcionar como ponte nos processos de comunicação entre países e levar à reflexão, sublinha Firmenich. “Os artistas aindam dialogam, mesmo quando os políticos há muito já não têm mais o que dizer. Artistas alemães e americanos sempre cultivaram um rico intercâmbio, e isso continua”, completa.

Impulso significativo

Desde alguns anos, a arte alemã ganha importância entre os americanos. “A abertura da Neue Galerie, em Nova York, deu um importante impulso à popularidade da arte alemã nos Estados Unidos”, explica Dietrich. Também o Fórum Cultural do complexo químico-farmacêutico Altana quer aumentar sua presença em território americano – independentemente do clima político entre os dois países. “'Agora, mais do que nunca', diz nosso lema desde as divergências entre a Alemanha e os Estados Unidos sobre a guerra contra o Iraque", afirma Firmenich.

Leia mais