Após teste de míssil, Coreia do Norte promete ″presente″ maior | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 30.05.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Após teste de míssil, Coreia do Norte promete "presente" maior

Pyongyang confirma lançamento bem-sucedido de dispositivo de alta precisão, o nono realizado neste ano. Regime anuncia novas manobras em retaliação a provocações militares dos EUA.

Kim Jong-un

Kim Jong-un referiu-se a americanos como "Yankees"

A Coreia do Norte elevou o tom contra os Estados Unidos e a Coreia do Sul nesta terça-feira (30/05), ao anunciar avanços no desenvolvimento de seu sistema de mísseis. Após comunicar a realização bem-sucedida de um novo teste com míssil balístico de alta precisão, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, prometeu enviar um "pacote de presente" ainda maior para os "Yankees" americanos, em retaliação a provocações militares.

Segundo informações da agência de notícias estatal KCNA, Kim supervisionou pessoalmente o teste e ordenou o desenvolvimento de armas estratégicas ainda mais poderosas. "O míssil balístico voou para o leste (...) e atingiu corretamente o alvo planejado, com um desvio de sete metros", informou a agência.

O anúncio foi feito um dia após a Coreia do Sul acusar o país vizinho de ter testado mais um míssil. O projétil atingiu uma altitude de 120 quilômetros e percorreu cerca de 450 quilômetros antes em cair no Mar do Japão.

O teste de segunda-feira foi o nono realizado por Pyongyang neste ano e o terceiro em apenas três semanas. De acordo com a KCNA, o lançamento buscava testar uma arma "capaz de realizar ataques de ultraprecisão contra objetos dos inimigos em qualquer área".

"Sempre que notícias da nossa vitória valiosa forem divulgadas [...], os Yankees ficarão preocupados, e os gângsters do exército de marionetes da Coreia do Sul ficarão mais e mais desanimados", disse Kim, citado pela KCNA.

Japão e Coreia do Sul condenaram a provocação do país vizinho. Os insistentes testes armamentistas da Coreia do Norte causaram um aumento da tensão na região e uma escalada verbal com o governo americano, que chegou a insinuar que estuda possíveis ataques preventivos.

Durante a cúpula do G7 na Itália encerrada no último fim de semana, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou a descrever a Coreia do Norte como um "problema mundial" que será resolvido. "Vocês podem apostar", afirmou.

IP/rtr/afp/efe

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados