1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

+ Ao vivo: Dois irmãos estão entre os suicidas de Bruxelas +

Autoridades afirmam que Ibrahim El Bakraoui detonou uma das bombas do aeroporto, e irmão dele, Khalid, é o suicida do metrô. Terceiro homem-bomba é Najim Laachraoui. Polícia procura agora quarto terrorista.

Assistir ao vídeo 00:33

Imagens dos suspeitos do ataque ao aeroporto

Bruxelas amanheceu em clima de tensão nesta quarta-feira (23/03), no dia seguinte aos atentados terroristas que deixaram ao menos 31 mortos e mais de 300 feridos. Os ataques ocorreram no aeroporto internacional de Zaventem e na estação de metrô de Maelbeek, no centro da capital belga, perto dos escritórios da União Europeia (UE). As detonações no aeroporto causaram 11 mortes, e a explosão no metrô, 20.

Nesta terça-feira, pouco antes das 8h (hora local), duas explosões foram ouvidas no aeroporto internacional de Zaventem. Pouco tempo depois, uma terceira explosão ocorreu na estação de metrô de Maelbeek. As três explosões foram executadas por homens-bomba, segundo as autoridades belgas.

A polícia identificou os irmãos Ibrahim El Bakraoui e Khalid El Bakraoui como os responsáveis por duas das três explosões, uma no aeroporto e a outra na estação de metrô. O terceiro suicida, que também detonou uma bomba no aeroporto, foi identificado mais tarde pela imprensa como Najim Laachraoui. A polícia continua procurando um quarto suspeito, cujo nome ainda não se sabe.

As autoridades belgas divulgaram fotos dos três suspeitos de serem os responsáveis pelo ataque no aeroporto. O homem que está sendo procurado aparece na foto em roupas claras e chapéu escuro, empurrando um carrinho de aeroporto. As autoridades pediram à população para que ajude a localizá-lo.

O prefeito de Zaventem, onde se localiza o aeroporto, afirmou que os três suspeitos transportaram as bombas em malas colocadas nos carrinhos de bagagem, após chegarem ao terminal num táxi. Uma das bombas não foi detonada, e o homem que a transportava teria sobrevivido e está foragido.

As explosões ocorreram quatro dias após a captura, em Bruxelas, de Salah Abdeslam, principal suspeito de arquitetar os ataques de Paris em novembro de 2015.O grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) reivindicou a autoria dos atentados.

O governo da Bélgica elevou ao máximo o nível de alerta no país, para o grau 4, que indica ameaça "séria e iminente".

Todas as atualizações estão no horário local de Bruxelas. Para atualizar, pressione CTRL+ F5.

02h30 - Os ataques em Bruxelas também foram destaques nas primeiras páginas de vários jornais nesta quinta-feira. O Le Soir da Bélgica trazia uma edição especial sobre os atentados.

00h29- O jornal turco Daily Sabah divulgou através do Twitter uma imagem que afirma ser de uma página do passaporte de Ibrahim El Bakraoui, um dos terroristas suicidas que detonaram explosivos no aeroporto de Zaventem, em Bruxelas.

O registro foi feito quando Bakraoui foi preso na Turquia em 2015, antes de ser deportado do país e retornar à Bélgica.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta quarta-feira que

um dos suicidas havia sido detido no país e deportado para a Holanda

. Mais tarde ele teria sido liberado porque a Bélgica "não conseguiu comprovar suas ligações com o terrorismo", assegura.

"Um dos autores dos ataques de Bruxelas é um homem que detivemos em junho de 2015 em Ganziatep e que foi deportado. Informamos a embaixada belga sobre a deportação em 14 de julho. A Bélgica o deixou solto", afirmou Erdogan.

23h50- Após o atentado no aeroporto de Zaventem, cerca de 2,2 mil passageiros que não puderam prosseguir viagem passaram a noite em alojamentos, enquanto aguardavam definição por parte de suas empresas aéreas. Informações nesta quarta-feira dão conta que aproximadamente 800 pessoas irão passar a noite nos centros de acolhimento.

23h41 - O MInistério da Saúde da Bélgica atualizou as informações sobre os mais de 300 feridos nos atentandos desta ter­ca-feira. Segundo o órgão, 150 vítimas estão sendo tratadas em hospitais da cidade e 61 pessoas estão internadas em unidades de terapia intensiva. Os ferimentos mais graves eram de queimaduras, além de outros resultantes das explosões, como em pacientes atingidos por fragmentos metálicos.

Quatro pacientes em coma ainda não foram identificados. O Ministério belga do Exterior está em contato com embaixadas de diversos países para coordenar a identificação dos feridos, que incluem pessoas de até 40 nacionalidades diferentes.

23h27 - O secretário de Defesa Americano, Ash Carter, afirmou que os ataques de Bruxelas demonstram que a Europa precisa se unir aos Estados Unidos para aumentar os esforços no combate ao grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) na Síria e no Iraque.

"Os eventos em Bruxelas irão significar para os europeus, enquanto aceleramos a campanha para derrotar o EI na Síria, no Iraque e em outras partes, que eles precisam acelerar seus esforços e se unirem a nós", disse Carter.

21h44 - A Bélgica identificou o terceiro homem-bomba dos ataques de terça-feira. O nome do marroquino Najim Laachraoui, de 25 anos, foi confirmado como um dos dois suicidas do aeroporto. Inicialmente foi noticiado que ele seria o suspeito foragido, mas a informação foi corrigida mais tarde. Laachraoui é suspeito de ter participado também dos atos terroristas de novembro em Paris.

21h15 - As autoridades das Bahamas afirmaram que estão investigando se um dos suicidas de Bruxelas, Khalid El Bakraoui, também tinha nacionalidade bahamense. Segundo Bernard Nottage, ministro de Segurança Nacional das Bahamas, há um alerta vermelho da Interpol que diz que El Bakraoui era belga e que uma possível "nacionalidade bahamense não havia sido confirmada".

21h06 - Depois de o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarar que o país já havia alertado a Bélgica sobre um dos suspeitos dos ataques, um alto funcionário do governo deu maiores esclarecimentos sobre o caso.

O funcionario especificou que Ibrahim El Bakraoui, um dos homens-bomba do aeroporto de Bruxelas, foi deportado para a Holanda e liberado pelas autoridades depois de a Bélgica não conseguir provar que se tratava de um terrorista.

Saiba mais

.

20h51 - O número de pessoas feridas nos ataques em Bruxelas subiu para 300, segundo afirmou a agência de notícias Belga, citando o Ministério da Saúde. Cerca de 150 pessoas permanecem hospitalizadas, e 61 estão sob cuidados intensivos.

19h39 - O segundo homem-bomba responsável pela explosões no aeroporto foi identificado como Najim Laachraoui, informou a agência de notícias AFP, citando fontes policiais. Mais cedo, Laachraoui havia sido citado como sendo o suspeito que está foragido.

19h01 - O aeroporto de Bruxelas permanecerá fechado até sexta-feira (25/03), afirmaram as autoridades. "Neste momento, as investigações na cena do crime ainda estão em curso no terminal do Aeroporto de Bruxelas", diz a nota.

18h35 - Um dia após os atentados, milhares de pessoas se reuniram em frente ao prédio da Bolsa de Valores, em Bruxelas, para prestar homenagem às vítimas. Autoridades da União Europeia também se solidarizaram. No Vaticano, o papa Francisco condenou os atentados. Confira, em vídeo, algumas das homenagens.

18h19 - Em viagem oficial na Argentina, o presidente americano Barack Obama voltou a falar sobre os ataques em Bruxelas. Em coletiva de imprensa, ele prometeu que os Estados Unidos irão atrás do "Estado Islâmico" (EI) de forma agressiva, e disse que o mundo deve se unir contra o terrorismo.

Obama declarou ainda que o EI não é uma ameaça aos EUA, e que grupos como esse não são capazes de destruir ou derrotar o país. Segundo o presidente americano, a organização terrorista é composta de assassinos cruéis que só deturpam a religião islâmica, que é uma das maiores do mundo.

17h58 - O presidente turco Recep Tayyip Erdogan declarou que a Turquia já havia alertado a Bélgica sobre um dos suspeitos dos ataques desta terça-feira.

O homem, cujo nome Erdogan não quis identificar, foi detido na fronteira da Síria com a Turquia em junho e então deportado de volta para a Bélgica. Segundo o presidente, "apesar de nossos avisos de que essa pessoa era um combatente terrorista estrangeiro, a Bélgica não foi capaz de estabelecer ligações com terrorismo" e o liberou.

17h28 - O procurador federal belga Frédéric Van Leeuw esclareceu, em coletiva de imprensa, o que se sabe sobre os responsáveis pelo atentado no aeroporto. Ele disse que dois dos suspeitos ainda não foram identificados – um deles é um homem-bomba e outro está foragido.

Van Leeuw explicou que o homem que aparece no centro da imagem de uma câmera de segurança (foto abaixo) é o belga Ibrahim El Bakraoui, de 29 anos, nascido em Bruxelas. Ele era um dos suicidas e foi identificado por impressão digital.

Ainda de acordo com o procurador, o segundo homem-bomba aparece à esquerda na imagem e não foi identificado. Já o rapaz de casaco claro, à direita na foto, está foragido e também não foi identificado.

17h01 - Em discurso, o comissário de Migração da União Europeia (UE), Dimitris Avramopoulos, afirmou que as 28 nações do bloco precisam cooperar melhor no compartilhamento de inteligência se quiserem combater a ameça do extremismo religioso.

"Esse é um momento para que todos os países-membros comecem a trabalhar juntos, fomentando a confiança mútua e trocando informações e inteligência, porque essa é a única maneira de seguir em frente", disse ele.

16h42 - O casal real da Bélgica esteve no aeroporto de Bruxelas para um encontro com os integrantes das equipes de resgate desta terça-feira. O rei Filipe prestou homenagem às vítimas e elogiou o trabalho dos socorristas.

15h53 - A Polônia voltou atrás com o compromisso de acolher 7,5 mil requerentes de asilo, afirmou a primeira-ministra polonesa, Beata Szydlo. A líder disse que não vê "qualquer possibilidade de refugiados entrarem na Polônia" após os atentados que ocorreram em Bruxelas.

15h44 - A procuradoria federal também confirmou que os ataques de terça-feira em Bruxelas deixaram 31 mortos, além dos três homens-bomba, e mais de 270 feridos.

15h38 - O procurador federal belga Frédéric Van Leeuw contou que os três suspeitos pelo ataque no aeroporto foram de táxi ao local do atentado na manhã desta terça-feira. O motorista do táxi forneceu à polícia o endereço da residência em que pegou os três homens, no bairro de Schaerbeek, em Bruxelas.

Após buscas na casa, a polícia encontrou detonadores, uma mala cheia de pregos e parafusos, equipamentos e materiais para fabricação de bomba e 15 quilogramas de explosivos.

15h27 - Um oficial do Ministério do Exterior alemão informou que há cidadãos da Alemanha entre os feridos nos ataques em Bruxelas. "Entre eles, há pelo menos uma pessoa com ferimentos graves", disse ele, acrescentando que, com base nas informações atualmente disponíveis, não é possível descartar que há também alemães entre os mortos.

15h20 - A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, esteve na capital belga durante o minuto de silêncio. "Ontem, Paris estava ferida. Hoje, Bruxelas está ferida. Paris e Bruxelas são uma só – há uma amizade entre nossas duas cidades e nosso povo. Estou aqui para prestar minha homenagem às vítimas e suas famílias", disse ela.

15h09 - Um amistoso de futebol entre as seleções da Bélgica e Portugal, programado para o dia 29 de março em Bruxelas, foi transferido para a cidade portuguesa de Leiria. "Decidimos aceitar a proposta da Federação Portuguesa de Futebol de disputar essa partida em Leiria, no mesmo dia e mesmo horário, terça-feira, 29 de março, às 20h45", disse a Federação Belga de Futebol, em comunicado.

14h10 - Não há evidências ainda de que os ataques em Bruxelas tenham ligações com a Alemanha, afirmou um porta-voz do Ministério do Interior alemão. Ele disse, porém, que as investigações estão avançando rápido.

Nesta terça-feira, a polícia alemã recebeu uma pista e prendeu, próximo à fronteira da Áustria, três pessoas do Kosovo que estavam em um carro com placa da Bélgica. Agora, a polícia investiga se os três planejavam realizar um ato terrorista.

13h49 - Segundo o procurador federal Frédéric Van Leeuw, o homem-bomba do aeroporto, Ibrahim El Bakraoui, deixou um testamento em um computador encontrado numa lata de lixo no bairro de Schaerbeek, em Bruxelas.

Na mensagem, ele dizia se sentir cada vez mais inseguro, e que temia acabar na prisão. "Estou em perigo, sem saber o que fazer, sendo observado em todos os lugares", afirma a nota, segundo o procurador.

13h39 - A procuradoria também confirmou que um terceiro suspeito, que seria o segundo homem-bomba do aeroporto, permanece não identificado.

13h30 - A procuradoria federal belga informou que Khalid El Bakraoui foi o responsável pelo ataque ao metrô, e não ao aeroporto de Bruxelas, como havia sido informado anteriormente. Já o irmão dele, Ibrahim El Bakraoui, é um dos homens-bomba do aeroporto, afirmou o procurador federal Frédéric Van Leeuw.

12h55 - A Bélgica fez um minuto de silêncio em memória das mais de 30 vítimas dos atentados em Bruxelas. O país declarou três dias de luto nacional.

12h50 - O aeroporto internacional de Bruxelas anunciou que vai permanecer fechado por ao menos mais um dia. Autoridades disseram que cerca de 600 voos teriam que ser cancelados nesta quarta-feira e outros 600, nesta quinta-feira.

12h15 - A mídia belga desmentiu a prisão de Najim Laachraoui, o principal suspeito dos ataques em Bruxelas e suposto cúmplices dos atentados de 13 de Novembro em Paris. O jornal La Libre Belgique disse que uma outra pessoa havia sido detida, e não Laachraoui. O DH, que primeiro noticiou a prisão, também afirmou que o detido no distrito de Anderlecht havia sido identificado incorretamente.

11h25 - A estação de metrô de Maelbeek, alvo de um dos ataques desta terça-feira, vai permanecer fechada por várias semanas, disse o prefeito de Bruxelas, Yvan Mayeur, à emissora Bel RTL. A bomba detonada no local matou cerca de 20 pessoas e causou graves danos.

10h05 - O jornal belga La Dernière Heure (DH) informou em sua página na internet que a polícia prendeu Najim Laachraoui, visto em imagens de câmeras de segurança no aeroporto de Bruxelas junto com os irmãos El Bakraoui, identificados como suspeitos dos atentados.

Nesta segunda-feira, a procuradoria federal belga havia anunciado a descoberta da verdadeira identidade de Laachraoui, até então conhecido pelo nome falso de Sufiane Kayal e apontado como um dos possíveis cúmplices dos atentados de 13 de Novembro em Paris.

Assistir ao vídeo 01:24

Homenagens às vítimas do terror em Bruxelas

08h31- A polícia belga identificou os dois irmãos Jalid e Brahim El Bakraoui como os homens-bomba responsáveis pelos atentados no aeroporto de Zaventem, segundo informações da TV pública RTBF. Os dois homens são originários de Bruxelas e já tinham passagem pela polícia por vandalismo, mas não por terrorismo.

01h57- Horas após reivindicar a autoria dos atentados em Bruxelas, o grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) divulgou um novo comunicado ameaçando os outros países que integram a coalizão internacional que combate o EI na Síria e no Iraque.

O comunicado promete "dias sombrios" aos países aliados que lutam contra o EI, afirmado que "o que está por vir é pior e mais cruel". O texto foi publicado originalmente em árabe e francês.

O EI também divulgou imagens de supostos militantes distribuindo doces a crianças em comemoração aos ataques em Bruxelas, segundo informou o grupo de inteligência Site, que monitora portais de internet de conteúdo jihadista.

01h42 - O Departamento de Estado em Washington alertou os cidadãos americanos sobre os potenciais riscos de viajar á Europa, após a série de ataques terroristas que culminaram nos atentados em Bruxelas, nesta terça-feira.

"Grupos terroristas continuam a planejar ataques através da Europa, em eventos esportivos, locais turísticos, restaurantes e meios de transportes" afirmou em comunicado o Departamento de Estado.

As autoridades pediram que os americanos se mantenham vigilantes em locais públicos ou ao utilizar transportes de massa. Locais de grande concentração de pessoas devem ser evitados e precauções adicionais devem ser tomadas durante feriados religiosos, eventos e festivais de grande porte.

01h25 - Uma autoridade de segurança da Bélgica afirmou que o número de mortes nos atentados em Bruxelas aumentou de 31 para 34, sem, no entanto, especificar quantas vítimas teriam morrido no ataque ocorrido no aeroporto e na estação de metrô de Maelbeek, no centro da capital belga.

A autoridade se pronunciou na condição de anonimato, uma vez que os números deverão ser anunciados oficialmente apenas na manhã desta quarta-feira. Anteriormente, o governo belga havia relatado 20 mortes na estação de metrô e 11 no aeroporto de Zaventem.

00h46 - As operações policiais no distrito de Schaerbeek ainda estão em andamento. Os investigadores antiterrorismo prosseguem com as buscas em diversos edifícios, com a presença de um grande número de policiais com os rostos encobertos por máscaras e fortemente armados. Uma ampla área foi isolada.

Horas antes, a polícia afirmou ter encontrado uma bomba e uma bandeira do "Estado Islâmico" (EI) dentro de uma residência em Schaerbeek. Também foram apreendidas substâncias químicas, além de um dispositivo explosivo contendo pregos. Não há previsão para o fim das operações no distrito.

00h18 - O alerta de segurança no aeroporto internacional de Denver, no estado americano do Colorado, foi desativado pelas autoridades, após verificação em diversas malas e bagagens constatar que não havia qualquer ameaça.

O terminal que havia sido evacuado por medida de segurança foi reaberto. O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos reforçou a vigilância nos principais aeroportos do país, após os ataques em Bruxelas.

00h05- Memoriais improvisados apareceram em diversas partes da capital.

23h55 - Centenas de pessoas se dirigiram à região central da capital belga para prestar homenagens às vítimas dos atentados. Em frente à Bolsa de Valores de Bruxelas, muitos depositaram coroas de flores e acenderam velas.

23h18 - A polícia alemã interceptou três kosovares que viajavam entre Munique e cidade austríaca de Salzburgo num automóvel procedente de Bruxelas. Segundo a imprensa alemã, eles podem estar relacionados a grupos terroristas.

Um porta-voz do departamento de polícia de Baviera confirmou a detenção dos três suspeitos, mas não forneceu maiores informações. A emissora pública ARD e a rádio bávara BR noticiaram a detenção do automóvel com placa belga.

Segundo a imprensa, os kosovares foram detidos por suspeita de estarem preparando uma ação contra a segurança de Estado. Os três detidos são dois irmãos e um acompanhante, com idades entre 36 e 46 anos, que afirmaram trabalhar numa empresa de construção civil belga.

Eles estavam em poder da planta de um edifício, que os três afirmaram ser do local em que trabalham. Um dos homens estava em situação ilegal, e era tido como desaparecido após uma ordem de expulsão das autoridades belgas.

22h41 - Os terroristas que perpetraram o atentado ao aeroporto internacional de Bruxelas transportaram as bombas em malas colocadas em carrinhos de transporte de bagagem. A informação foi dada pelo prefeito de Zaventem, onde está localizado o aeroporto, à agência de notícias francesa, France Presse.

"Eles chegaram de táxi, com malas [...] as bombas estavam dentro das malas. Eles puseram as malas em carrinhos. As duas primeiras bombas explodiram", afirmou o prefeito Francis Vermeiren.

"O terceiro [terrorista] também colocou a sua mala num carrinho, mas deve ter entrado em pânico, ela não explodiu", acrescentou. A possível presença de três terroristas foi também mencionada pela procuradoria federal belga, que informou que o terceiro homem, que teria sobrevivido ao ataque, está sendo "intensamente procurado".

22h20- O aeroporto internacional de Denver, no estado americano do Colorado, informou através do Twitter que parte do terminal principal está sendo evacuada em razão de uma "possível ameaça à segurança".

22h01- Após os atentados em Bruxelas, o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos reforçou a segurança nos aeroportos americanos, enquanto as maiores cidades do país entraram em estado de alerta.

O secretário de Segurança Interna, Jeh Johnson, informou que "medidas preventivas" estão sendo tomadas "nos aeroportos das principais cidades do país e em várias estações ferroviárias e de transporte".

"Até o momento, não temos informações específicas ou críveis de qualquer plano para conduzir ataques semelhantes [aos de Bruxelas] nos Estados Unidos", assegurou Johnson.

21h50 - O comando militar dos Estados Unidos na Europa proibiu viagens não oficiais de militares americanos a Bruxelas. As proibições são válidas para militares e funcionários civis que prestam serviços às Forças Armadas americanas, além de seus familiares. Apenas aqueles que atuam em representações diplomáticas poderão viajar à capital belga.

"Condenamos os ataques e continuaremos ao lado de nossos aliados e parceiros da Otan para derrotar os terroristas que ameaçam nossas liberdades e nosso estilo de vida", afirmou o general Philip Breedlove, comandante americano na Otan e chefe do Comando Europeu dos EUA.

21h35 - Em Paris, a torre Eiffel recebeu as cores da bandeira da Bélgica, em solidariedade aos ataques em Bruxelas.

21h07 - Muitas pessoas não se intimidaram e foram às ruas de Bruxelas nesta terça-feira para prestar sua solidariedade. Com giz, mensagens otimistas eram escritas no chão: "espalhe o amor", "viva e deixe viver" e "nós somos um só" foram algumas das frases. No Twitter, uma brasileira mostrou a "manifestação de paz":

20h51 - A presidente Dilma Rousseff publicou, em rede social, uma mensagem de solidariedade ao governo e ao povo da Bélgica.

20h42 - O ministro do Interior belga, Jan Jambon, declarou que as autoridades já sabiam que algum tipo de ato extremista estava sendo planejado na Europa, mas não esperavam por algo da dimensão dos ataques em Bruxelas. "Não tínhamos informação sobre isso, mas sabíamos que as coisas estavam se movimentando pela Europa, em diferentes países: França, Alemanha, Bélgica", afirmou.

20h32 - Alguns dos monumentos mais famosos da Europa foram iluminados em solidariedade aos ataques em Bruxelas. A TorreEiffel, em Paris, e o Portão de Brandemburgo, em Berlim (foto abaixo), receberam as cores da bandeira belga.

20h17 - A portuguesa Mariza Sobral, que mora em Bruxelas há 11 anos, embarcaria para Lisboa às 8h15 desta terça-feira, com suas três filhas. Em entrevista à DW Brasil, ela falou sobre os momentos de desespero: "Foi uma explosão muito alta. O cheiro de pólvora era muito forte, e as pessoas ficaram muito assustadas. Foram as oito piores horas da minha vida".

20h10 - Brasileiros que estiveram no aeroporto de Bruxelas nesta terça-feira publicaram depoimentos nas redes sociais.

19h50 - O rei Filipe da Bélgica também se pronunciou a respeito dos ataques. "Hoje nosso país está em luto. Para cada um de nós, o dia 22 de março nunca mais será um dia normal. Expressamos todo nosso apoio aos membros das forças de segurança, e louvamos a todos aqueles que espontaneamente se ofereceram para ajudar", disse o monarca. "Diante dessa ameaça, continuaremos a responder coletivamente, com determinação, calma e dignidade."

19h26 - A polícia belga afirmou ter encontrado uma bomba e uma bandeira do "Estado Islâmico" (EI) dentro de uma residência em Bruxelas. "As buscas que ocorreram no distrito de Schaerbeek encontraram um dispositivo explosivo contendo pregos, entre outras coisas", disse o promotor federal em comunicado. "Os investigadores também acharam substâncias químicas e uma bandeira do EI."

19h04 - O promotor federal Frederic Van Leeuw confirmou que as autoridades belgas estão à procura de um homem visto no aeroporto de Bruxelas na manhã desta terça-feira. "Uma fotografia de três suspeitos do sexo masculino foi tirada em Zaventem. Dois deles parecem ter cometido ataques suicidas. O terceiro, vestindo uma jaqueta de cor clara e um chapéu, está sendo procurado", disse Van Leeuw, em coletiva de imprensa.

18h56 - Em coletiva de imprensa, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, confirmou três dias de luto nacional e declarou que o país aumentará o controle das fronteiras. "Estamos diante de inimigos que lutam contra nossos valores fundamentais", discursou Michel.

18h47 - O EI assumiu formalmente a responsabilidade pelos atentados ao emitir um comunicado na tarde desta terça-feira. "Uma célula secreta de soldados do califado lançou-se contra a cruzada Bélgica que não cessou de combater o Islão", diz o texto, divulgado em francês e em árabe. O comunicado precisa que os autores dos ataques – "cuidadosamente escolhidos" – utilizaram "cintos explosivos, bombas e espingardas metralhadoras" no interior do "aeroporto de Zaventem e numa estação de metrô". O EI promete ainda "dias muito sombrios", acrescentando que o que virá "será mais duro e mais amargo".

18h27 - A Turquia deteve dez militantes do "Estado Islâmico" (EI) perto da fronteira com a Síria, e um deles carregava dispositivo explosivo, afirmou um comunicado das forças de segurança turcas. Os homens estariam tentando entrar na Turquia através de rotas ilegais. O EI reivindicou a responsabilidade pelos ataques em Bruxelas nesta terça-feira.

18h15 - A polícia belga fez um apelo ao público para ajudar a encontrar um dos suspeitos de envolvimento com os ataques no aeroporto de Bruxelas. A imagem de câmera de segurança mostra um homem de óculos, chapéu preto e casaco branco empurrando um carrinho de bagagem, que continha uma mala preta.

18h00 - A seleção de futebol da Bélgica cancelou um treino que seria realizado nesta terça-feira em Bruxelas. "Nossos pensamentos estão com as vítimas. O futebol não é importante hoje. Treino cancelado", afirmou a federação no Twitter. A seleção enfrentará Portugal num amistoso marcado para a próxima terça-feira.

17h46 - A chanceler federal alemã, Angela Merkel, declarou estar "horrorizada" com os recentes ataques e prometeu ajudar a "achar, prender e punir" os responsáveis, que são "inimigos de todos os valores que a Europa representa". "Nossa repulsa a esses ataques é tão forte quanto nossa determinação em combater o terrismo", disse Merkel, informando ainda que seu gabinete realizará uma reunião extraordinária nesta quarta-feira para discutir as consequências do ocorrido.

17h35 - O aeroporto internacional de Bruxelas permanecerá fechado nesta quarta-feira (23/03), segundo informou o CEO do aeroporto, Arnaud Feist, o que afetará cerca de 24 mil passageiros. "Todos os meus pensamentos estão com as vítimas desses terríveis eventos e seus parentes", acrescentou o executivo no Twitter.

17h25 - Os serviços belgas de segurança encontraram uma terceira bomba no aeroporto de Bruxelas. O dispositivo, que falhou em explodir, já foi desativado e não apresenta mais riscos, afirmou o governador da província de Brabante Flamengo.

17h10 - A agência de notícias Amaq, que confirmou o "Estado Islâmico" (EI) como autor dos ataques, relata que "combatentes do EI abriram fogo dentro do aeroporto de Zaventem, e depois vários deles detonarem seus cintos com explosivos". Ao mesmo tempo, "um homem-bomba detonou seu cinto de explosivos na estação de metrô de Maelbeek", diz a Amaq.

17h00 - Em comunicado conjunto, os 28 líderes da União Europeia afirmam que estão determinados a enfrentar esta ameaça juntos, "usando todos os meios necessários". "Este último atentado só reforça a nossa determinação em defender a tolerância e os valores europeus dos ataques dos intolerantes. Estaremos unidos e firmes na luta contra o ódio, o extremismo violento e o terrorismo", diz a nota.

16h52 - A Bélgica decretou três dias de luto em decorrência dos ataques. "Todas as bandeiras nacionais em edifícios públicos ficarão hasteadas a meio mastro até quinta-feira", afirmou Frederic Cauderlier, porta-voz do primeiro-ministro belga, à agência AFP.

16h45 - Após os ataques em Bruxelas, várias imagens do personagem Tintin – ícone belga das histórias em quadrinhos – se espalharam pelas redes sociais.

16h30 - O "Estado Islâmico" (EI) reivindicou a autoria dos ataques em Bruxelas, segundo a agência de notícias Amaq, que apoia a organização terrorista. "Combatentes do EI realizaram uma série de atentados com cintos de explosivos e outros dispositivos nesta terça-feira, tendo como alvo um aeroporto e uma estação de metrô no centro de Bruxelas, capital da Bélgica", disse a Amaq.

16h20 - Vários países têm demonstrado solidariedade a Bruxelas após os ataques desta terça-feira. A Torre Eiffel, em Paris, e o Portão de Brandemburgo, em Berlim, serão iluminados com as cores da bandeira belga. Em Londres, a bandeira foi hasteada no gabinete do primeiro-ministro britânico.

16h10 - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, também condenou os ataques "ultrajantes" a Bruxelas, afirmando que seu país fará o possível para capturar os responsáveis. "Precisamos estar juntos – independentemente da nacionalidade, raça ou fé – na luta contra o terrorismo. Nós podemos e iremos derrotar aqueles que ameaçam a segurança de pessoas ao redor do mundo", disse Obama, durante visita a Havana, Cuba.

15h50 - Há pelo menos um brasileiro entre os feridos nos ataques desta terça-feira. O ex-jogador de basquete Sebastien Bellin, de 37 anos, estava no aeroporto da capital belga quando foi atingido por fragmentos de uma das bombas. De acordo com o time de basquete belga BC Oostende, pelo qual Bellin jogou entre 2006 e 2009, o ex-atleta passou por uma cirurgia num hospital de Bruxelas, mas ainda há estilhaços em sua perna e quadril. "Nós desejamos muita força e uma rápida recuperação ao nosso ex-jogador Sebastien Bellin", disse o clube no Twitter.

15h40 - Papa Francisco condenou a "violência cega" dos ataques em Bruxelas e ofereceu orações às vítimas, às suas famílias às equipes de emergência. O cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, enviou um telegrama ao arcebispo de Bruxelas, Jozef De Kesel, em nome do pontífice. Nele, Francisco diz que "condena mais uma vez a violência cega que gera tanto sofrimento e implora a Deus o dom da paz" a todo o povo belga.

15h30 - A emissora belga VTM afirmou que muitas das vítimas que estão sendo atendidas pelo hospital Gasthuisberg, em Leuven, têm ferimentos profundos causados por pregos, sugerindo que eles estariam contidos em uma das bombas explodidas no aeroporto de Bruxelas.

15h13 - O prefeito de Bruxelas, Yvan Mayeur, declarou que pelo menos 20 pessoas morreram e 106 estão feridas após a explosão na estação de metrô de Maelbeek. Mais cedo, a ministra da Saúde belga, Maggie De Block, afirmou que as duas explosões no aeroporto causaram 11 mortes e deixaram 81 feridos. Assim, os ataques em Bruxelas nesta terça-feira já contabilizam ao menos 31 mortes e 187 pessoas feridas.

14h50 - Um "veículo suspeito" foi destruído pelo exército belga no bairro de Ixelles, no sul da capital, segundo informou a polícia da região. A operação foi realizada perto do campus da universidade VUB (Vrije Universiteit Brussel). "A explosão que vocês acabaram de ouvir foi uma explosão controlada, iniciada pelo esquadrão antibombas", explicou a instituição no Twitter.

14h44 - Uma usina nuclear na Bélgica, próximo à fronteira com a Alemanha, foi evacuada após os ataques em Bruxelas, informou a agência de notícias Belga, citando a polícia local.

14h32 - Ainda segundo Doris Pundy, uma pessoa foi detida num trem que vinha de Bruxelas e chegava ao aeroporto de Schiphol, em Amsterdã.

14h25 - A jornalista da DW Doris Pundy confirmou que fuzis kalashnikovs foram encontrados no aeroporto de Bruxelas, onde já foi encerrada a evacuação. Cerca de mil pessoas foram retiradas do local nesta manhã. A emissora belga VTM afirmou que um cinto com explosivos também foi encontrado, e que o esquadrão antibombas foi acionado para desativá-lo.

Infografik Explosionen in Brüssels Flughafen englisch

Duas explosões foram ouvidas no aeroporto de Zaventem, em Bruxelas

14h10 - A polícia belga encontrou um fuzil kalashnikov – tipo de arma usada nos ataques em Paris em novembro – próximo ao terrorista morto no aeroporto de Bruxelas nesta terça-feira. A informação também é da emissora VRT.

13h40 - O número de mortos nos ataques desta terça-feira em Bruxelas subiu para 34, com 14 vítimas no aeroporto e outras 20 no metrô, segundo a emissora pública belga VRT. Os feridos já ultrapassam 130.

13h35 - Em solidariedade a Bruxelas, a prefeitura de Paris anunciou que vai iluminar a Torre Eiffel nas cores da bandeira belga.

13h30 - O presidente francês, François Hollande, disse que "terroristas atingiram Bruxelas, mas a Europa é que foi alvo". Ele alertou que a guerra contra o terrorismo será longa.

13h25 - "Estamos em guerra. Fomos submetidos a atos de guerra na Europa nos últimos meses", disse o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.

13h20 - Mais de 200 voos para Bruxelas foram desviados ou cancelados. O aeroporto de Bruxelas permanece fechado, e medidas de segurança foram elevadas em aeroportos europeus.

13h03 - O chefe da Casa Civil alemã, Peter Altmaier, pediu solidariedade à Bélgica, afirmando que "os terroristas nunca ganharão". "Nossos valores europeus são muito mais fortes que o ódio, a violência e o terror!", completou.

12h58 - Em visita oficial à China, Joachim Gauck, presidente da Alemanha, afirmou que as "notícias dos cruéis ataques terroristas" o abalaram profundamente. "Condeno esses terríveis crimes, que têm feito tantas vítimas. Em face dos atos de violência terrorista, a Alemanha está lado a lado com a Bélgica", disse Gauck, que esteve na Bélgica há duas semanas.

12h49 - Evan Lamos, uma das pessoas que usavam o metrô em Bruxelas na manhã desta terça-feira, publicou um vídeo em rede social que mostra o vagão sendo evacuado por conta da paralisação no sistema de transportes. O trem estava na estação Arts-Loi indo em direção a Maelbeek, onde ocorreu um dos ataques.

12h40 - Os ataques no aeroporto internacional de Bruxelas deixaram 11 mortos e um total de 81 feridos, segundo afirmou a ministra da Saúde da Bélgica, Maggie De Block. Entre os feridos, 31 estão em estado grave.

12h34 - Segundo a agência Associated Press, o ataque na estação de Maelbeek deixou 15 mortos e 55 feridos até o momento. As informações são do porta-voz do metrô belga Guy Sablon.

12h25 - Max Hoffman, repórter da DW em Bruxelas, contou que as pessoas continuam evacuando o aeroporto da capital belga.

12h18 - O promotor federal belga Frederic Van Leeuw afirmou que as três explosões desta manhã se tratam de "ataques terroristas" – duas ocorreram no aeroporto internacional de Zaventem, e outra, na estação de metrô de Maelbeek, no centro da capital. "Um dos ataques foi provavelmente realizado por um homem-bomba", disse Van Leeuw.

12h08 - Em conversa com a imprensa em Bruxelas, Michel declarou ainda que as autoridades estão preocupadas com novos possíveis ataques, e que o controle das fronteiras da Bélgica foi reforçado. "Sabemos que enfrentamos um momento trágico. Temos que ficar calmos e mostrar solidariedade", afirmou.

12h00 - "O que temíamos aconteceu", disse Charles Michel. O primeiro-ministro afirmou, porém, que ainda não há informações sobre a relação dos ataques desta terça-feira com a captura do suspeito dos ataques de Paris na semana passada.

11h51 - Bruxelas foi atingida por ataques "cegos, violentos e covardes", declarou o primeiro-ministro belga, Charles Michel. "Há muitos mortos e feridos, alguns em estado grave", disse na televisão.

11h37 - Segundo a agência de notícias Belga, houve mais uma explosão em Bruxelas, próxima à Rue de la Loi, nas imediações da estação de metrô de Maelbeek, onde uma explosão deixou ao menos dez mortos pela manhã.

11h28 - O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, condenou os "ataques terroristas" em Bruxelas. "Estou chocado com as explosões desta manhã no aeroporto de Zavantem, que custaram várias vidas inocentes e feriram vários outros", disse em comunicado. "A UE devolverá a Bruxelas solidariedade e vai ajudar Bruxelas, a Bélgica e a Europa a enfrentar a ameaça terrorista", escreveu no Twitter.

11h20 - Segundo Pierre Meys, porta-voz do corpo de bombeiros, o número de mortos no aeroporto pode passar dos atuais 11. Um teto falso desabou e pode haver mais vítimas sob os destroços, disse.

11h15 - O presidente da França, François Hollande, convocou uma reunião de emergência após a série de explosões em Bruxelas, com a presença do premiê francês, Manuel Valls, do ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, e do ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian.

11h06 - Pierre Meys, porta-voz do corpo de bombeiros de Bruxelas, disse à AFP que 11 pessoas morreram nas duas explosões no aeroporto. Também houve "cerca de dez mortos na estação de metrô de Maalbeek, onde houve uma enorme explosão", disse. "A maioria dos feridos foi evacuada. O cenário é a caótico."

11h00 - Ao menos 21 pessoas morreram nas explosões no aeroporto e no metrô de Bruxelas, segundo fontes do corpo de bombeiros ouvidas pela agência de notícias AFP.

10h55 - "Hoje é um dia negro para a Europa", disse o ministro da Justiça alemão, Heiko Maas. "Os acontecimentos horríveis em Bruxelas afetam todos nós", escreveu no Twitter.

10h51 - As explosões no aeroporto de Bruxelas foram provocadas por um atentado suicida perpetrado por um homem-bomba, disse o procurador federal belga, citado pelas emissoras VTM e RTBF.

10h40 - A empresa ferroviária de alta velocidade Eurostar cancelou todos os trens de e para Bruxelas nesta terça-feira. Passageiros devem adiar suas viagens e não devem se dirigir a estações, pediu a companhia.

10h37 - O ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, havia dito nesta segunda-feira (21/03) que o país estava em alerta máximo diante de uma possível revanche após a prisão de Salah Abdeslam, o principal suspeito dos ataquesa de 13 de Novembro em Paris, na última sexta-feira.

Jambon disse à uma emissora de rádio belga: "Sabemos que deter uma célula [terrorista] pode levar outras a agir. Estamos cientes disso neste caso."

10h23 - Todo o transporte público em Bruxelas foi paralisado, incluindo trens, metrôs e ônibus.

10h05 - Um homem-bomba foi responsável pelas explosões no aeroporto de Bruxelas, que mataram pelo menos 10 pessoas, segundo a emissora belga VRT.

09h33 - As autoridades de Bruxelas fecharam todas as estações de metrô da cidade.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados