ANULADA ABSOLVIÇÃO DE POLICIAL POR MORTE DE AFRICANO | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 09.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

ANULADA ABSOLVIÇÃO DE POLICIAL POR MORTE DE AFRICANO

Nossos leitores comentaram esta semana a revogação da sentença contra policial alemão, o Palácio de Berlim, desperdício de comida, desarmamento, sobras de vacina e escaneadores de corpo.

default

A Corte Federal de Justiça Alemã proporciona ao mundo um exemplo de seriedade e retidão no processamento das causas levadas à sua apreciação. A morte suspeita de um estrangeiro, pobre e negro, marcada por sérias acusações de agir contra os bons costumes (estar bêbado e molestar mulheres alemãs), não passou em branco aos juízes alemães, diante de contradições aparentes, mas objetivas e fundadas (estar amarrado e atear fogo a si próprio) e de explicações inconsistentes (desligar o alarme de incêndio por achar que havia disparado indevidamente).

O novo país, que emergiu das cinzas da Segunda Guerra Mundial como a mitológica fênix, demonstra, com o resultado do julgamento citado, que conserva as mais características tradições jurídicas, e deve ser reputado o grande centro irradiador e paradigmático da justiça contemporânea e do respeito aos direitos fundamentais.
Andre Ricardo Cruz Fontes

Achei notável a decisão da Corte de Justiça Alemã de anular a absolvição dos policiais envolvidos na morte do africano. Afinal neste processo não havia apenas lacunas, como cita o artigo, mas sim enormes "crateras" no tocante aos indícios!
Silvia Monteiro

2010 PODERÁ SER VITAL PARA DESARMAMENTO NUCLEAR

Em nosso tempo é muito difícil ter esperanças. Nem por isso devemos nos vestir do pessimismo e do niilismo político. A verdade é que não existe civilização sem armas. Sejam estas "armas" a da palavra, da ideologia, da religiosidade ou as bélicas, em questão. Desarmamento nuclear, contrapondo-se ao quê? A contrapartida de armas de menor porte, mas capacitadas com potencialidade de destruição nuclear também. O que mudaria então? Queremos um mundo livre das armas e consequentemente das guerras ou apenas de algum tipo de arma?
Francisco Waitz

EUROPEUS TENTAM VENDER SOBRAS DE VACINA

Só bobos ou mal-intencionados corruptos para não enxergar que foi uma jogada satânica dos grandes laboratórios para ganharem dinheiro, e que infelizmente teve a imprensa e os governos como "aliados" ou inocentes úteis. A humanidade caminha cada vez mais para a manipulação geral.
Osvaldo Luiz Ramos

Acho que era completamente imprevisível como a gripe suína iria se desenvolver. Se a gripe tivesse realmente tomado proporções de uma pandemia e os governantes europeus não tivessem comprado vacina suficiente seriam naturalmente criticados por não haver suficientemente planejado a vacinação em massa. É claro que agora não se sabe o que fazer com tanta vacina!
Mauricio Sampaio

DESPERDÍCIO DE COMIDA TAMBÉM GERA PREJUÍZO AMBIENTAL
Parece mentira que tanta comida nos países ricos vai parar no lixo. Cerca de 40% dos alimentos colocados nas prateleiras dos supermercados vão parar no lixo, ainda intactos, ou fechados nos casos dos enlatados, ou por validade vencida ou porque mofaram na geladeira.

Tive a oportunidade de constatar isto durante um ano de permanência na cidade de Austin, Texas, nos EUA.
Quando levava o nosso lixo, via a quantidade de alimentos abandonados ainda intactos, jogados fora. Meu primeiro sentimento foi de aversão à sociedade consumista americana.

Pensava nos milhares de pessoas que morrem de fome em meu país e em dezenas de outros países. Imaginava ao voltar para casa, que com estes alimentos que são jogados fora, no lixo, a fome mundial poderia ser amenizada.


Não sei se poderíamos nós, do Terceiro Mundo, dar sugestões a uma sociedade que vive o consumismo na forma mais extrema. Nossas sugestões não serão ouvidas. Existe um grande abismo para ser superado, a alta tecnologia gera riqueza, que facilita a compra de muitos alimentos, mais do que o necessário.

Os países ricos conseguem fazer mais riqueza, enquanto as economias mais pobres continuam recebendo muito pouco com os alimentos que vendem. Só um grande susto, que é o da sobrevivência, poderá mudar a maneira de pensar dos que sem medo nenhum jogam fora o que saciaria a fome de milhões.
Odalberto Domingos Casonatto

Sou leitor e telespectador da DW, versão em inglês, a qual admiro pela diversidade de assuntos e não somente de notícias ruins. Sobre o desperdício, quero elogiar esta organização por ter abordado um assunto tão simples que se tornou tão preocupante, conforme a própria reportagem. Quero dizer que em minha mensagem de Natal deste ano, aos meus mais de 100 empregados, convidei a uma reflexão sobre este assunto, que atinge a maioria de nossos lares, comunidades, igrejas, governos e empresas. É um grande desafio para todos, reduzirmos o desperdício.
Cesar de Oliveira

ESCANEADORES DE CORPO SE ESTABELECEM NOS AEROPORTOS
Na minha opinião, os funcionários de segurança podem escanear até a minha alma. Abdico do meu direito à privacidade pelo direito maior de voar com segurança. Acho que a segurança dos passageiros tem prioridade absoluta.
Raquel Almeida

É claro que a empresa que produz estes aparelhos vai ganhar rios de dinheiro. Os oportunistas que só visam lucro desprezam as pessoas. Quem viaja com frequência de avião vai ser um dos candidatos a câncer e terá sua privacidade invadida. As pessoas não são mais cidadãos, mas escravas!
Cristiane Vallim

O PALÁCIO DE BERLIM COMO ESPAÇO DE ENCENAÇÃO

Talvez a quimera de "adição, destruição, demolição, construção, conversão, demolição, reconstrução..." esteja na própria natureza do lugar. Contudo, a opção neste processo de reconstruir o castelo prussiano surge como um contra-senso ao seu próprio fenômeno evolutivo. Atraiçoando-o, a reconstrução do castelo significa simplesmente a estagnação e cristalização do lugar.

Mais sentido faria que este lugar, que foi outrora o centro nevrálgico de Berlim, reflectisse a própria história arquitectónica, política e social da cidade - de "adição, destruição, demolição, construção, conversão, demolição, reconstrução...", uma história sempre imperfeita e naturalmente inacabada. Se assim fosse, Berlim assumir-se-ia finalmente corajosa perante a sua própria história.
Eduardo Vieira (Portugal)

Leia mais