1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Anistia Internacional acusa Turquia de expulsar refugiados

Relatório denuncia que migrantes não estão sendo acolhidos pela Turquia e são enviados de volta para a Síria. Para organização, situação evidencia falhas do acordo entre Ancara e UE.

A Anistia Internacional (AI) acusou a Turquia de enviar diariamente centenas de refugiados de volta à Síria, desde meados de janeiro. Em relatório divulgado nesta sexta-feira (01/04), a organização de defesa dos direitos humanos afirma que a prática expõe "falhas fatais" do acordo entre o governo em Ancara e a União Europeia (UE).

A Anistia afirmou que cerca de cem sírios são deportados diariamente da Turquia, muitos deles sem sequer terem feito um registro no país. Essas deportações em grande escala são ilegais, acrescentou.

A AI também manifestou preocupação nas vésperas das primeiras readmissões pela Turquia de milhares de sírios que têm chegado às ilhas gregas, agendadas para começar na próxima semana.

"Em seu desespero para fechar suas fronteiras, os líderes da UE têm ignorado o mais simples dos fatos: a Turquia não é um país seguro para os refugiados sírios e está ficando cada dia menos seguro", alertou John Dalhuisen, diretor da AI para a Europa.

Diversos grupos de defesa dos direitos humanos e de assistência humanitária têm manifestado temor de que o acordo sobre refugiados, fechado entre a UE e a Turquia, ameaça os direitos dos requerentes de asilo. Entre esses grupos estão a Médicos Sem Fronteiras (MSF) e a agência de refugiados da ONU, Acnur.

Mais de 1 milhão de migrantes, incluindo muitos refugiados da Síria, do Iraque e do Afeganistão, desembarcaram na costa da Europa no ano passado.

Mais de 100 mil chegaram desde o início deste ano, embora haja sinais, desde que o acordo entre a UE e Turquia foi fechado, no mês passado, que Ancara tem tomado medidas para evitar que os migrantes deixem sua costa.

A Turquia, aliada da oposição ao presidente sírio, Bashar al-Assad, abriga mais de 2 milhões de refugiados sírios, e o governo diz que ja gastou 10 bilhões de dólares para cuidar deles.

No acordo, fechado em Bruxelas, a UE se comprometeu a acelerar o envio de 3 bilhões de euros já prometidos para apoiar os refugiados na Turquia e a providenciar outros 3 bilhões de euros até 2018, assim que Ancara elaborar uma lista de projetos que se qualificam para receber assistência do bloco.

Em troca, a Turquia prometeu receber de volta todos os imigrantes ilegais que forem para o território grego, incluindo sírios, e em contrapartida a UE vai acolher milhares de refugiados sírios diretamente da Turquia e recompensá-la – com mais dinheiro, o ingresso de cidadãos turcos na UE sem visto e com avanços na negociação da filiação da Turquia ao bloco.

MD/dpa/ap

Leia mais