Amatrice não tem mais salvação, diz prefeito | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 26.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Amatrice não tem mais salvação, diz prefeito

Sergio Pirozzi afirma que cidade, devastada após terremoto, precisa ser demolida e promete reconstrução mantendo modelo original: "Tem que ser posta abaixo por completo." Número de mortos passa de 270.

Amatrice ficou completamente destruída após terremoto

Amatrice ficou completamente destruída após terremoto

O prefeito de Amatrice, Sergio Pirozzi, afirmou nesta sexta-feira (26/08) que a cidade não tem mais salvação – o que sobrou dela terá que ser demolido por completo, para ser reconstruído. O município foi devastado pelo terremoto que atingiu o centro da Itália há dois dias e deixou mais de 270 mortos.

As operações de busca na cidade histórica, eleita no ano passado uma das mais bonitas do país, chegaram à fase final, e agora autoridades precisam pensar em sua reconstrução.

"Amatrice tem que ser posta abaixo por completo", afirmou o prefeito. O tremor destruiu todos os prédios do centro histórico medieval. "Queremos reconstruir [a cidade] no mesmo lugar e com a mesma forma e estética", disse.

Imagem mostra Amatrice antes e depois de terremoto

Imagem mostra Amatrice antes e depois de terremoto

Os bombeiros iniciaram os trabalhos de limpeza, retirando os escombros e abrindo novas vias de acesso para facilitar o trânsito nas ruas, que estão cobertas de ruínas. A reconstrução da cidade de cerca de 2 mil habitantes é prioridade .

Pirozzi anunciou ainda que estão sendo procuradas regiões em outras localidades para a construção de casas de madeiras para que os habitantes de Amatrice possam começar a refazer suas vidas. De acordo o prefeito, a medida visa a evitar que guetos se formem ao redor do município em ruínas.

"Quero um modelo de reconstrução como o de Friul", disse, em referência à cidade do norte do país que foi totalmente reconstruída depois um terremoto em 1975, sem precisar que moradores fossem alojados em novas regiões.

Imagem mostra Amatrice antes e depois de terremoto

Imagem mostra Amatrice antes e depois de terremoto

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, anunciou a liberação de 50 milhões de euros para a região atingida. "Queremos que essas comunidades tenham a possibilidade de um futuro e não apenas lembranças", disse o premiê.

A Defesa Civil afirmou nesta sexta-feira que a probabilidade de encontrar sobreviventes entre os escombros na região atingida pelo abalo é mínima. O número de mortos na tragédia chegou a 278, 218 somente em Amatrice.

CN/efe/dpa

Leia mais